22.6.04

BRIZOLA E O SONHO IMPOSSÍVEL

"Sonhar mais um sonho impossível...
Lutar quando é fácil ceder...
Vencer o inimigo invencível...
Negar, quando a regra é vender.
Sofrer a tortura implacável,
Romper a incabível prisão,
Voar no limite improvável,
Tocar o inacessível chão.
É minha lei, é minha questão
Virar esse mundo, cravar esse chão,
Não me importa saber, se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer por um pouco de paz.
E amanhã, se esse chão que eu beijei for meu leito e perdão.
Vou saber que valeu delirar e morrer de paixão
E assim, seja lá como for,
vai ter fim, a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor...
Brotar do impossível chão."

E agora?

Uma silenciosa e perturbadora dor, arranha e rasga minha alma no dia de hoje e desde ontem à noite. Brizola, meu velho Leonel Brizola, adeus.

Nenhum comentário: