14.3.06

BREVES COISAS DO DIA A DIA


"Todos acham que eu falo demais
E que ando bebendo demais
Que essa vida agitada
não serve pra nada
Andar por aí bar em bar, bar em bar
Dizem até que ando rindo demais
E que conto anedotas demais
Que não largo o cigarro..."


(Tom Jobim - Aloísio de Oliveira)

Atenção! Antes mesmo de dar-lhes a notícia - que não interessa a ninguém, somente a mim, e aí deixa de ser uma notícia - estou ouvindo os relinchos e as gargalhadas de incredulidade do Fefê, Dalton, Vidal, Szegeri, Flavinho, de quase todos. Mas a foto denuncia a notícia.

Hoje, 14 de março de 2006, fumo meu último cigarro.

(podem rir... podem rir...)

Várias coisas contribuíram para a decisão, que é gravíssima e solene. Um email de meu irmão Szegeri, que reli recentemente, no qual ele diz, basicamente, que bebendo como eu bebo posso viver muito, e bem, mas fumando como eu fumo, definitivamente não. E descreve, com riqueza de detalhes funestos, o quadro que recentemente viu de uma conhecida sua internada em decorrência do excesso de cigarro. E vejam como anda minha cabeça... Sonhei, na semana passada, com a Pimentinha, de pata em riste, as unhas arranhando meu rosto, falando (eu disse falando mesmo):

- Pai, pare de fumar.

(podem rir... podem rir...)

Há mais, há mais. Eu ando acordando com uma tosse olímpica. Quase não é uma tosse. É, digamos, um arroto monumental vindo dos pulmões. Vou sempre ao espelho e tenho piedade intensa de mim mesmo. Ando fedendo, e muito. Jatos e jatos de perfume não dão conta de sequer disfarçar o futum do tabaco. Isso para não ter de falar dos dedos da mão direita, amareladíssimos.

Enfim, com 36 anos, está tomada, e irreversivelmente, a decisão. Tenho aqui a meu lado dois maços de Carlton (acho que terei saudade deles...), o Zippo vermelho comprado recentemente (à toa, vê-se agora), um cinzeiro fruto das peripécias de Exu Meliante e chega. Amanhã não haverá mais nada disso.

Estou tomando meu bom e velho Zyban, recorrerei, se preciso, aos adesivos de nicotina, mas cigarro na boquinha never more, como diria a Sorriso Maracanã. Dito isso, em frente.

Inaugurou hoje, aqui pertinho, na Hadock Lobo quase esquina com a Rua do Matoso (sempre ela!), um hortifruti. E quem me conhece sabe. Eu nunca perderia isso.

Não soubesse ler o letreiro e eu diria:

- O que faço numa casa geriátrica?

Uma nuvem de cabelos brancos, azulados, cinzas, cotovelos enrugados em guerra franca e muitos gritos, era apenas o que havia diante dos balcões dos hortifutis. Chamou-me a atenção um diálogo:

- Roseli! Roseli! Corre aqui, Roseli! Me ajuda a empacotar essas couves! - grita a senhora, uns 80 anos por baixo.

Vem a Roseli. Morenaça. Deve ser a empregada da velhota.

- Dona Neném, a senhora odeia couve...

- Cala a boca, Roseli, e me ajuda a empacotar! Nove centavos o molho, eu nunca vi!!!!! Eu tenho que comprar!

Rodopio e dou de cara com outra velhinha cheirando os tomates. Grita para um funcionário:

- Setenta e nove centavos? Aqui do lado, no Rede Economia, está sessenta e nove!

- Minha senhora, nossos tomates são melhores que os deles...

E a velha espreme, sem dó nem piedade, um, dois, três tomates e quase esfrega na fuça do empregado.

Forma-se uma roda em volta do coitado. As velhas e os velhos vaiam, batendo palma, e batem em retirada, quase me atropelam, tomam a direção do Rede Economia e voltam, em questão de segundos, a mesma velha à frente:

- Eles aumentaram o preço! Aumentaram o preço!

E vai a manada de velhos, atropelando tudo e todos, em direção ao balcão de tomates.

São os "metódicos de hortifruti", citados no meu humilde livro.

Até.

8 comentários:

Patricia Moreira disse...

Parabéns Edu pela decisão!

Só para constar, uma amiga minha parou de fumar com um tratamento que fez a base de acupuntura a laser. Ela era uma chaminé ambulante e parou!

Bem, lá vai o tel da clinica Action Laser 2558-1316. Não estou fazendo propaganda, é só mais uma dica!

O casamento do Celso e da Tathi foi maravilhoso e realmente eu vi que o "URSO Zé Colméia" não saia de perto do bar montado para os drinks coloridos!

Abraços,

Cesar Nascimento disse...

Força Edu que é difícil mas está longe de ser impossível. Mantenha a gente informado aqui do sucesso dessa batalha. Abraço e boa sorte.

Seu Pai !! disse...

Du , uma vez mais lamento como voce está tomando a sua decisão que deve ser a 27ª decisão e sempre com os Zybans da vida , com os maços na cabeceira , com os amigos te alertando , e voce jurando que nunca mais..........Du , quando se quer realmente tomar uma decisão , ninguem precisa saber , ninguem precisa ser testemunha , não é preciso lamentar o isqueiro novo , nada disso é preciso !!! Se voce tem por hábito dizer que aprendeu a beber comigo , o que não é verdade , pelo menos , siga , neste caso , o meu exemplo , que aliás foi citado pela Patricia Moreira , isto é , apenas uma aplicação da acunpuntura a laser , e pronto ; e sabe porque funcionou ?? é porque estava realmente afim de parar de fumar e mais , não precisei avisar a ninguem , e foi tudo na moita . bjs e juizo !!

Lucia disse...

Acho uma ótima decisão!
Tenho um amigo, que morreu ano passado de cancêr na garganta.
Era um cara bacanerrímo,divertidissimo e toda a familia se preocupava com ele, por ele beber muito e fumar demais.
Ele não dava pelotas...
Quando ia visitar alguém levava sua garrafa de Jonhy debaixo do braço.
Você saia do elevador e no hall social do apartamento dele, já sentia o cheiro de cigarro.
tá certo que a mulher dele também fumava, mas ele era demais!
E além de tudo fumava Malboro, do qual, acreditie se quiser, ele tirava o filtro!!
Tinha um bar na casa dele que eu achava o maxímo! Uma coletânea de garrafas, bonecos,copos,balde de gelo,cinzeiros, etc. tenho uma foto por aí...
Há uns 3 anos atrás a mulher dele teve um aneurisma. Graças ao socoro rápido que ele prestou a ela, e aos bons cuidados que ela teve, ela se recuperou.
Num ato de amor irrestrito, ele fez promessa de parar de beber, caso ela se recuperasse.
Ele parou.
De beber, mas não de fumar.
Ano passado, no auge de seus 51 anos,depois de sofrer um bocado, resolveu deixar o hospital.
Voltou pra casa e de lá partiu deixando Saudades.

:(

Szegeri disse...

Tá vendo, Edu...

Flávio disse...

Esquece esse papo de futum de cigarro, dedo amarelo ou ressaca de cigarro. É argumento para chato de plantão ou quem largou e ficou com nojo. Sou contra esses argumentos politicamente corretos, se cansou mesmo você vai parar.
O Szegeri tem razão, opte apenas pelo álcool em doses industriais. É mais saudável.

Betinha disse...

Credo, isso aqui está parecendo o AA: descrição de desgraça em cima de desgraça!!!! E o mesmo discurso: "Se isso ainda não te aconteceu, é porque você tem sorte: aconteceria se você não tivesse parado a tempo".
Só quem tem um vício (e não importa de que tipo seja) sabe como é difícil abrir mão do prazer, não importa em prol do que seja, mesmo que seja alguns anos a mais de vida.

Betinha disse...

Esqueci de dizer que eu AAAAAMO esta música!!! Especialmente quando interpretada pela Ânegla Rorô.