30.4.06

QUE ASSIM SEJA

Acaba de ser divulgado: Anthony Garotinho, ex-(des)governador do Estado do Rio de Janeiro, marido da atual (des)governadora Rosinha Garotinho (pelo nome tirem a qualificação da pífia figura), iniciou hoje uma greve de fome.

Anthony Garotinho


O motivo não interessa.

O que interessa é que temos uma oportunidade concreta para que esse sujeito suma de vez.

Vamos torcer, cariocas, vamos torcer, brasileiros que pouco sabem a respeito desse mentiroso, desse sórdido, desse ladravaz imundo que nos envergonha, vamos torcer para que a greve não tenha fim e para que esse gordo safado morra de fome.

E ao contrário do que esse mentiroso, sórdido e ladravaz imundo prega aos incautos valendo-se de rádios ligadas à bancada evangélica, se morrer é o inferno seu destino.
Agora, cá pra nós... A esposa (pausa para vomitar) do sujeito bem que podia ser solidária, hein? E começar greve de fome juntinho com ele, assim, ó, bem romântico...

Até.

4 comentários:

Zé Sergio disse...

O Garotinho também aboliu o glúten?

Lucia disse...

Sugiro ao Sr.Garotinho:

-Greve de idéias
-Greve de pensamentos
-Greve de atitudes
-Greve de existência


PS: Então tá. Da proxíma vez que encontrar com você, me apresento.

:)

Bj.

VanOr disse...

Ai, que meu medo é o da besta-fera ser santificada pelo povo crente, no sentido ingênuo da existência. Disseram que ele perdeu 700g em um dia, o que, por um lado, me despertou o interesse por essa história de greve de fome. Quem sabe 3 dias não me deixam no peso ideal? Quero ver o que a Revista Boa Forma tem a dizer sobre isso. Quero saber a opinião de especialistas em dieta, ler relatos de quem já emagreceu assim e aí, quem sabe, eu me valha de minha mundialmente famosa lábia pra convencer Papai Noel a não deixar Garotinho sem presente de Natal. Que criança que não come, você sabe...

Szegeri disse...

Conclamo os amigos cariocas a uma cruzada cívica: vamos ajudar o Molequinho morrer de fome. Se ele quiser parar com a greve, impeçam. Cerquem a casa, cortem os telefones, interditem os mercados, seqüestrem os entregadores de pizza. Toda ação para que o desgraçado não tenha mais uma grama de alimento e morra à míngua é moralmente não só justificada, mas digna de alto louvor.