10.5.06

PEQUENOS DESVARIOS

Há momentos em que é imperioso cometer pequenos desvarios, imprimir bruscas modificações na rota, unir prazer ao lazer em detrimento, sim, dos compromissos de trabalho, e diante dessa decisão lufadas impressionantes refrescarão a alma de maneira olímpica, dando ainda mais graça à vida, ainda mais se levarmos em conta que estamos em maio, que abril é findo, que o amor é lindo e que beber, meus amigos, com amigos, é um dos troços mais divertidos dentre tantos troços divertidos que vêm à mente quando cometemos pequenos desvarios e imprimimos bruscas modificações na rota.

Dani em casa, 22 de dezembro de 2005


Eis que Dani está em Belo Horizonte a trabalho desde domingo à tarde, o que me deixa, como já disse, caído e de quatro (notem que a foto é outra!). E eis que graças a coincidências capazes de empurrar qualquer um para o cometimento de pequenos desvarios e para a destruição completa dos planos e das rotas pré-estabelecidas, está acontecendo, em Belo Horizonte, a VII edição do Festival "Comida di Buteco".

Daí comprei duas passagens pela GOL e estou embarcando amanhã à tarde para BH. Breve pausa, não para um comercial (que a empresa não precisa disso), mas para uma pergunta: o que será do orçamento do cidadão que a cada mês faz "ohs" e "ahs" diante das incríveis promoções da GOL? Eu, por exemplo, venho pagando no cartão de crédito, mês a mês, a parcela 06/06 de uma viagem, a 05/06 de outra, a 02/04 de uma terceira, e por aí vai. E sei de muita gente na mesmíssima situação. Mas que vale, vale (escrevi esse "vale, vale" e lembrei-me da Betinha, de quem tenho, nesse exato segundo, aguda saudade, ela que está flanando pela Espanha com o Flavinho, e dia desses debruço-me sobre isso, sobre esse portentoso salto qualitativo, lato sensu, na vida de meu bom amigo).

Estarei com minha garota, o que já valeria o pequeno investimento de tempo e de dinheiro. Estar com minha garota numa quinta, numa sexta e num sábado, fora do Rio, e matando o trabalho, já é excitante o suficiente para fazer o desvario e o desvio de rota valerem muito a pena. Mas há mais.

Como já disse, há o tal festival. Este ano serão 36 os bares participantes, disputando as categorias tira-gosto, cerveja/bebida, higiene e atendimento. Mas há mais.

O Dalton, meu irmão e cada vez mais meu irmão, empolgadíssimo com a empreitada, está indo comigo. E como somos, além de irmãos, confrades unidos pela S.E.M.P.R.E. (Sociedade Edificante Multicultural dos Prazeres e Rituais Etílicos), já estamos definindo o roteiro a ser cumprido em terras mineiras. Queremos visitar 12 bares na quinta, 12 na sexta e 12 no sábado, mais precisamente 11 ao longo do dia e um à noite, o melhor segundo dicas de entendidos na matéria, quando Dani nos fará companhia. Mas há mais!

A Lelê Peitos, também a trabalho em BH, estará conosco. E como a Lelê é aquela que transforma velório em festa, como eu sempre fiz questão de dizer, a viagem tem tudo para ser, assim, perfeita.

Pausa.

Preciso inserir o Szegeri neste texto.

Ah, sim.

Foi o Szegeri, meu irmão paulista, o Pompa, quem cravou na testa da Lelê o apelido: Sorriso Via-Láctea.

Vejam vocês, então, que sou um homem de sorte (incrível, mas em abril a sorte não me acenava nem me dava bom-dia). Terei a companhia de um irmão à mesa, birita e tira-gosto, a companhia da Lelê, declaradamente uma de minhas preferidas, e, delírios dos delírios, a companhia da minha Sorriso Maracanã à noite, também à mesa, e depois na cama.

Razão pela qual o Buteco fica fechado até o final da semana*. Cumprindo uma de minhas funções, a de Homero, como bem disse um dia o Szegeri (segunda inserção, que beleza!), estou indo munido de minha câmera digital e de um bloquinho real (não o imaginário) para de tudo tomar nota. Conto-lhes tudo quando voltar. Bem mais feliz.

Até.

* decidi transcrever o "diário de bordo" da viagem, postando com as datas reais dos acontecimentos.

5 comentários:

Branca disse...

Sem exagero nenhum, que eu tembém sei ser precisa (quando quero):
Era tuuuuuudo que eu queria pra meu meio-fim da semana. Tava ganho o semestre.
Boa viagem! Tira muita foto e faz um brinde pra mim, tá bem?

zé sergio disse...

Será que ainda existe em Belzonte o grupo Fidelidade Partidária? Sumiram.

Alexandre Justo disse...

"...que o amor é lindo e que beber, meus amigos, com amigos, é um dos troços mais divertidos dentre tantos troços divertidos que vêm à mente quando cometemos pequenos desvarios e imprimimos bruscas modificações na rota."

DUDU, ESTA PARTE DO TEXTO DIZ TUDO!!!!

NÃO POSSO DEIXAR DE AGRADECER A VOCÊ, QUE TANTAS VEZES ME PROPORCIONOU BONS MOMENTOS!!!

TENHA UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA EM BH COM A SUA SORRISO MARACANÃ!!!!!

AH, BEBA ALGUMAS POR MIM...

BJS

VanOr disse...

Edu!!! Vocês precisam ir no Café do Sol, cujo dono é um botequeiro preciosista, do tipo que "vai levando com preguiça e com desleixo" e sempre sai bêbado do trabalho. Amigo meu, gente finerérrima, o Lau. Se morasse no Rio, já teríamos 2 filhos e 3 botecos.

Roberto Romualdo disse...

Meu caro Edu. Eu acho que esse é um dos seus melhores textos. Nele suas idéias quase filosóficas fluem fácil. Em mim por exemplo deu vontade de simplesmente não trabalhar. Um abraço,

RR