14.6.06

BRASIL 1 X 0 CROÁCIA

ESTE TEXTO AGORA PODE SER LIDO AQUI.

5 comentários:

Cesar Nascimento disse...

Belo texto, Edu, daqueles de fazer rir bastante. A Copa promete pelo visto! Um abraço.

Renato Machado disse...

Caro Edu me permita uma observação! Desde a passagem da Guerreira no seu divertidíssimo livro, naquele casamento, que não rio tanto com uma intervenção dessa grande personagem de humor. Gostei do texto à sua melhor moda. Um abraço.

Szegeri disse...

Discordo cabal, frontal e absolutamente. A miopia futebolística do diagnóstico da atuação brasileira deve-se, provavelmente, a essa mania de transformar jogo do Brasil em baile de carnaval. O Brasil jogou o seu jogo, com os melhores jogadores concentrados, determinados, superando suas limitações técnicas e posicionais. É uma estréia, tem o nervosismo, a Croácia foi o asversário mais forte enfrentado pelos cabeças de chave (à exceção de Costa do Marfim). É uma Copa difícil como talvez nenhuma outra. Equilíbrio é a palavra. Território europeu, não esqueçam. Tivemos os problemas de posiocionamento que não são novidade pra ninguém: a zaga (que atuou bem indiviualmente) que não acerta o esquema das coberturas e acabou nos fazendo tomar 4 bolas na cara do Dida e os dois avantes. Provavelmente anuncia-se mais um homem no meio, pra recuar o Emerson quase como um terceiro zagueiro e deixar o Ronaldinho mais à frente, sacrificando-se um dos avantes. Mas é cedo para afirmar peremptoriamente. Vamos parar com o oba-oba, vamos lembrar que nossos jogadores tem qualidade inegável e que o Parreira é técnico pra trazer caneco, não pra dar espetáculo. E vamos beber menos, chorar menos e ver mais o jogo. Só assim a gente ajuda o Brasil.

Marcão disse...

Tô assustado com uma coisa. Tem brasileiro, ou melhor, nego nascido no Brasil, na seleção do Japão, da Espanha, do México e de algum outro país aí, se não me engano.

O drama é que o Brasil produziu e produz mais craques da bola do que qualquer outro País do mundo, por algum motivo que desconheço. Será que os craques do futuro vestirão a amarelinha??

Já se fala em levar garotos de treze anos para a Holanda, para não sei onde. Avacalhação tem limite. É o fim total e acabado da idéia de Copa do Mundo.

E pelo-amor-de-Deus!!! Ronaldo merece outras chances por tudo que já fez, pode ajudar muito e até ser decisivo, mas nessa Copa, que mal começou, o cara já teve bolha, febre, tontura e siricotico. Já parou numa clínica e já entubaram o estômago do cidadão.

Nem se um de nós estivesse na Alemanha, se entupindo de cerveja, salsicha (a comida, bem entendido) e outros que tais teria tantos problemas assim. Se ele não tiver condições, não pode jogar, porque nem o Pelé jogou sem condições. E ele não é o Pelé.

Eduardo Goldenberg disse...

Grande Marcão, grande verdade! O Fritz Utzeri, o Veríssimo, muita gente vem demonstrando certa revolta com esse troço dos brasileiros infiltrados noutras seleções, como se fosse natural.

Minha mãe, por exemplo, que entende menos de futebol do que o Pepperoni, mandou essa na segunda-feira: A FIFA deveria proibir técnico estrangeiro dirigindo qualquer seleção. Nada pode ser mais patético e constrangedor do que o cidadão estar perfilado ouvindo e cantando o hino de um país que não é o seu numa Copa do Mundo, país dirigido por ele e capaz de enfrentar sua pátria num jogo, eventualmente. E há o Felipão, há o Zico (que enfrentará o Brasil), há o Renê Simões, há mais.

Mas o Pompa, Marcão, sei lá o que deu no Pompa. Não bastasse o non-sense do conselho - beber menos e chorar menos, dois verbos que ele conjuga o tempo inteiro e intensamente - ele ainda manda essa, de que só bebendo menos e chorando menos é que poderemos ajudar o Brasil. Não entendi. Ou melhor, acho que entendi... Nosso bom Pompa escreveu isso aos prantos e violentamente bêbado.

Só pode.