15.6.06

JOTA x 9

Eu preciso confessar que quando eu me deparo com uma notinha como essa do Jota em sua coluneta n´O GLOBO eu fico bastante contente por perceber o quanto de coerência reside na posição que defendo. Desde que comecei a marcar o homúnculo, 15 de março de 2006, essa é a nona menção a esses bares-mentira que, como câncer, infestam a cidade.

nota publicada no Segundo Caderno, O GLOBO, 15 de junho de 2006

A nota de hoje me remete, de primeira, ao Fraga. Salvo engano, o bardo mora no prédio que fica em cima do que o infeliz chama de "galeria de barzinhos do Teatro Leblon". Deixo para o próprio Fraga, se ele achar que deve, o privilégio de contar uma das vantagens de morar em local tão, digamos, estratégico (conta, Fraga, conta!!!!!).

E como não poderia deixar de ser, que o Jota não perde uma oportunidade de dar aquele lambidão úmido no saco dos investidores, ele volta a referir-se a essas mentiras como "botequins chiques da cidade". Que nojo!

Falei n´O GLOBO e, uma semana depois do início da Copa do Mundo, não agüento mais (e com todo o respeito, não estou comparando ninguém ao lamentável Jota, já que os dois são bastante competentes naquilo que se propõem a fazer) ler as colunas do Artur Xexéo e da Cora Rónai no Caderno de Esportes da Copa 2006. Ambos não entendem, confessadamente, rigorosamente nada de futebol. O que é que os torcedores/leitores, ávidos por qualquer notícia ligada à competição, podem ganhar com isso?! Fica o Xexéo secando desbragadamente a seleção brasileira, falando de novela, e fica a Cora entrevistando capivara (!!!!!), contando sua aflição no instante de escolher a roupa para ir ao estádio... Não dá, pô!

Fechando por hoje, quando a Guerreira abrirá oficialmente as portas de seu novo lar, na Tijuca (detalhes amanhã!), um brinde a mim mesmo: completo, hoje, três meses longe do cigarro.

Até.

Um comentário:

aliki disse...

Besteirinha, né, mas já não seria o bom momento? Grande bem faria uma mudança de foto no blog: uma SEM cigarro. Parabéns pelos 3 meses!