6.7.06

MORRERAM DE PÉ

Ontem fomos, todos, portugueses até a alma contra a França. E fomos, pela segunda vez em menos de uma semana, eliminados pela seleção francesa mas com uma diferença fundamental: ontem Portugal morreu de pé.

Para que a torcida fosse autêntica e verdadeiramente lusitana propus assistirmos ao jogo no clube português defronte ao prédio onde moro, o Casa da Vila da Feira e Terras de Santa Maria. Lá chegamos às 15h eu, Guerreira com sua mãe, a Raquelina (portuguesa com certeza), Kaká, Maria Paula, Manguaça e Fernanda.

Guerreira, foto de celular

O clube estava em festa com uma bandeira de Portugal monstruosa estendida na entrada. Assim que chegamos espantou-se a Raquelina:

- Mas que zorra está isso aqui!

Eu de voleio:

- Mas você acha que nós, brasileiros, somos assim por que?

Um telão enorme, um sistema de som perfeito, uma multidão que se espremia pelas centenas de mesas espalhadas pelo salão, grupos de dança típica se apresentando, e eu tive um ligeiro mau pressentimento quando aquela horda, em coro, cantou, segundos antes do jogo começar, o hino do Vasco da Gama.

No momento do pênalti contra Portugal, cobrado pelo carrasco, uma moça a poucas mesas de nós ergue uma imagem de Nossa Senhora de Fátima mas foi em vão. Um a zero para a França, placar que manteve-se até o apito final.

Guerreira, foto de celular

Mas até o apito final o que se viu, como bem escreveu o Borgonovi nos comentários ao texto de ontem, foi a pátria portuguesa em chuteiras.

Foi o FUTEBOL, em maiúsculas, citando o Borgonovi mais uma vez.

Eu confesso que, no minuto final, quando o goleiro Ricardo atravessou o campo inteiro em direção à grande área francesa para tentar o milagre do empate, com a mesmíssima bravura com que os navegadores portugueses atravessaram os mares bravios ainda desconhecidos, eu chorei pra burro.

Emocionado.

E com uma pontinha de inveja.

Meu carinho e meus parabéns aos meus queridos amigos d´além-mar!

Afinal, Portugal morreu de pé!

Até.

PS: ah, sim. Na grande final de domingo, pelo Dedé e pelo Gianluca, pela Cecilia, pela Margherita e pelo Ruggero, pela Maria, pela Alessandra, pela Miriam, pela Michela, pela Paola e pelo Ciccio, e contra nossos algozes, sou pela Itália!

10 comentários:

Szegeri disse...

É, meu irmãozinho... Hino do Vasco, triângulo... Bem que eu avisei.

Eduardo Goldenberg disse...

Szegeri, eu te juro...

Quando começaram a cantar aquilo... "Vamos todos cantar de coração, a Cruz de Malta é o teu pendão..." eu pensei...

- Ih, numvaidásseto...

Fábio Machado disse...

PORTUGAL TEVE TUDO O QUE NÓS QUERÍAMOS TER TIDO. RAÇA. GARRA. VONTADE DE VENCER. OS PORTUGUESES MERECEM CADA UMA DAS SUAS HOMENAGENS. JUNTO-ME A ELAS.

Lucia disse...

Não concordo que a França tenho sido nosso algoz.
Fomos algozes de nós mesmos.
Mas no Domingo, é pela Itália que vou estar torcendo!

:)

Aúde disse...

Como a França não é algoz do Brasil? 1986. 1998. 2006. Querem mais? E viva, viva, viva Portugal!

Anônimo disse...

Voces não querem incorporar o espírito lusitano incluindo o elo Vasco da Gama / Seleção Portuguesa por dor de " cotuvelo " ; além disso sou França na final porque não quero nenhum tetra perto do nosso penta !!

Eduardo Goldenberg disse...

Meu pai querido... ah, papai...

Você se traiu.

Além de repetir o mesmo discurso que fez por email enviado ao Cristiano, esses espaços depois das vírgulas, depois das aspas... Tudo isso denuncia que você é o anônimo comentarista.

Que feio, meu pai.

Mas bastante vascaíno, o gesto.

Beijo.

Seu Pai disse...

Cara , saiu como " anônimo " por uma distração minha !! Reitero que voces não querem reconhecer o elo Brasil-Portugal atraavés do Vascão Machão da Gama e para finalizar insisto que vou torcer pela França porque não quero nenhum tetra nos meus calcanhares. bjs...

Fefê disse...

Pô... Se é pra comparar, comparemos a raça de Portugal com a do Vascão, que construiu sua história com muita raça!!

Ricardo Neves disse...

ITÁLIA! ITÁLIA! ITÁLIA!