26.3.07

TIAGO PRATA, UM CIUMENTO

Eis aí uma verdade evidente. Evidentíssima, eu diria. Mas que sempre nos surpreende. A vida - já dizia o filófoso Roberto Rivelino (fio-me na informação que me foi dada pelo Simas) - é uma caixinha de surpresas.

Feito o intróito - pífio, reconheço -, vamos à surpresa. Ou às surpresas, sendo mais preciso.

Foi uma surpresa, pra mim, receber o recado que recebi, no começo do ano, do Tiago Prata, o Pratinha - e vocês podem ouvir o recado aqui.

Disse-me ele, na íntegra:

"Eduardo Goldenberg, aqui é seu filho mais novo, Tiago Prata. É, quando puder me dá uma ligadinha. Estou indo em breve para o escritório, tomar uma cerveja, e depois eu queria falar contigo também, uma outra coisa, falou? Um abraço, tchau!"

Vejam bem uma coisa. Disse eu, quando lhes relatei sobre o recado, que foi uma surpresa recebê-lo; um prazer ganhar um filho pronto; e, ainda, gratificante sabê-lo "talentoso, dono de um gosto musical afinadíssimo com o meu, e, o que é mais bonito, mais velho, mais antigo, mais sábio do que eu.".

Feito o intróito e refrescada a memória, vamos ao que quero lhes contar hoje.

Na sexta-feira passada fui assistir ao show da Beth Carvalho. Eu havia sido convidado; eu e Dani Sorriso Maracanã, evidentemente. E o Prata também. Como minha garota não poderia ir, bateu-me o telefone o meu garoto:

- Pai... a Dani não vai poder ir, né? Posso levar a Luísa então?

Seria um prazer - pensei na hora - estar na companhia do moleque e de minha nora.

Eis que chegou a sexta-feira e encontramo-nos na entrada do guichê. Fomos à mesa dos convidados.

Retirei meus dois convites: SETOR VIP / MESA 109

O Prata retirou o dele: PLATÉIA B / MESA 1.468

Deu-se o abuso:

- Pô, Edu... Tu fica lá em cima... Vou ficar com a Luí...

Eu ri de fazer tremer o menino.

Disse a ele:

- Dê seu jeito. Fale com alguém da produção. Se vira!

Fui ao bar enquanto o novel casal dirigia-se a uma mocinha com uma camisa onde se lia "PRODUÇÃO". Voltaram os dois com sorrisos francos:

- Consegui! Vou ficar com vocês!

- Muito bem... - eu disse, orgulhoso do garoto.

- Disse que não poderia deixar meu pai sozinho...

Ri. E o Prata disse, fino, à Luísa:

- , vou mijar. Güentaí.

Foi ele dobrar o biombo e ela cravou os olhos, lindos (meu garoto tem bom gosto), nos meus, horríveis. E disse:

- O Tiago está arrasado...

E eu, interrompendo o gole:

- Com o quê?

Ela deu uma olhada em volta:

- Ciúmes...

- Desembucha...

- ... do tal do Borgonovi.

- Hein?!

- É... ele disse que você não fala mais dele no BUTECO, só nesse Borgonovi...

Vejam isso.

Acompanhem comigo e notem bem do que é capaz a vaidade humana.

O Prata, a quem já dediquei dezenas de textos, confessou-se possuído pelo ciúme. Vamos à definição do Houaiss:

"1 estado emocional complexo que envolve um sentimento penoso provocado em relação a uma pessoa de que se pretende o amor exclusivo; receio de que o ente amado dedique seu afeto a outrem; zelo (mais us. no pl.)

2 medo de perder alguma coisa"


A fim de não deixar ainda mais complexado o menino - ainda em fase de desenvolvimento - abro a semana, então, com um momento exclusivo - ninguém mais tem isso!!!!! - do Prata.

Trata-se do making off da reportagem feita pela TV Bandeirantes.

Amanhã é terça-feira. Depois temos a quarta, a quinta e a sexta-feira.

Digo essa obviedade apenas para arrematar com a promessa: a semana inteira será dedicada a ele.

Eu mimo mesmo, pô!


Até.

8 comentários:

Luiz Antonio Simas disse...

O Prata ficará com ciúmes se esse texto tiver menos comentários que os do Borgonov.Por isso, estou aqui.

Luiz Antonio Simas disse...

Mais um comentário para evitar crises do Prata. Ele está monitorando o Buteco para ler os comentários de dez em dez minutos.

Eduardo Goldenberg disse...

Simão: pobre garoto. Só você e eu (agora) comentamos. Nem a Luíza! Nem a Luíza!

Anônimo disse...

Mais um comentário. Tiago, você já pode se recuperar da crise de ciúmes.

Eduardo Goldenberg disse...

E eis que surge Luísa, a moça que embaraça as linhas das mãos de nosso protagonista. Com esse meu comentário já são cinco!

Anônimo disse...

Não tenho nada para dizer, mas achei justo contribuir.

Anônimo disse...

Sete.

Sarava!

4rthur disse...

E por que não?