18.10.07

O MODUS OPERANDI DA CANALHA

Eu já havia escrito, em 25 de maio de 2007 - leiam aqui - um texto chamado A CANALHA: MODUS OPERANDI. Volto, hoje, em razão dos últimos acontecimentos, que desenredarei ao longo deste texto, ao mesmo tema: o modo de agir da canalha.

Esse que vocês vêem na foto abaixo é meu irmão Luiz Antonio Simas. E isso que vocês vêem meu irmão bebendo é cerveja (duas, eis que ele é, como eu, um exagerado). Luiz Antonio Simas estava, é importante dizer, nesse dia, no Maracanã.

Luiz Antonio Simas, Maracanã, 29 de setembro de 2007

E ontem, quando jogaram Brasil e Equador pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, no Maracanã, lá estava Luiz Antonio Simas, com quem falei há pouquíssimo. Disse-me o sábio:

- Edu... o pior programa do mundo, para quem gosta de futebol, é assistir, in loco, a uma partida da seleção brasileira...

E na mesma linha do que lhes contei ontem, leiam aqui, saiu descendo a borduna nas babaquices que a canalha aprontou para o (pausa para o vômito) "jogo da família", como anunciou, incansavelmente, durante a semana, o pentelho do Galvão Bueno (sem o negrito, evidentemente).

Disse-me o Simas que entrou cedo na expectativa de beber umas geladas antes do jogo. Por ordens da FIFA, que como a CBF é um nicho de ladroagem aguda, a venda de bebidas alcóolicas estava proibida. Meu filho, o Prata, que foi com a mãe ao jogo, já havia me ligado, às nove em ponto, já de dentro do estádio, vociferando ao telefone:

- Não tem cerveja! Não tem cerveja! E agora?

Disse-me o Simas, assombrado, que o sistema de som do Maracanã tocou a valsa DANÚBIO AZUL (!!!!!), com incentivos para que a torcida fizesse coreografia. Uma parte - os babacas, evidentemente - atendeu ao patético apelo. Mas a grande maioria alternava cânticos carinhosos em direção ao Galvão Bueno - vejam aqui, imperdível! - com o grito de "CERVEJA! CERVEJA! CERVEJA!". Quer dizer... o tiro saiu pela culatra, já que esse papo de jogo sem palavrão, com toda a licença, é de uma escrotidão sem tamanho.

Dito isso, vamos em frente.

Quero, agora, lançar luzes sobre os comentários deixados aqui, no texto UM SÁBADO MAIS-QUE-CARIOCA, pelo Gabriel Cavalcante e pelo Rodrigo Ferrari, meu querido Folha Seca. Vamos a eles, nos trechos que me interessam. Disse o Gabriel:

"Realmente o dia foi maravilhoso, só teve um contra: ao chegar no Capela ao lado do Rodrigo Folha Seca, fomos informados pelo Cícero que não poderíamos sentar na mesa escolhida pois estava reservada para um grupo de Ipanema que por sua vez só ia pro Capela se fosse atendido pelo Cícero.

Aí já é demais.

Mas não teve problema, fomos atendidos pelo Miro, (...)."


E emendou o Folha Seca:

"Caraca, Gabriel!

(...)

Acho que sublimei esses momentos por conta da decepção ocorrida no Capela. O Cícero era nosso baluarte! Trocados por um grupo (que podia vir de qualquer lugar, mas que sintomaticamente vinha de Ipanema) que talvez nunca tenha ido lá e provavelmente jamais voltará (notei quando entraram que nenhum deles conhecia o Cícero).

Fiquemos então, por algum tempo, com o Miro, também grande figura, até o dia em que o Cícero se redimir com a gente.

Reserva no Capela, nem o Marecha eu tinha visto conseguir...

Mas se a gente viesse de Ipanema..."


Disse bem o poço artesiano de doçura e de ternura... Sintomaticamente o grupelho vinha de Ipanema.

É EVIDENTE que os imbecis não conheciam o Cícero. É EVIDENTE que consultaram um vade-mécum de otário, como bem diz meu mano Szegeri, acharam bonitinho um jantar na Lapa, leram que o Cícero é um craque (e é, como também é vítima dessa história, já que seguramente o dono o obrigou a manter a reserva em detrimento de clientes fiéis, como o Gabriel e o Rodrigo) e bateram o pé com a exigência nojenta.

É assim, a canalha.

Pensa que pode comprar tudo e todos. Pensa que pode tornar tudo asséptico demais, descolado demais, tudo à sua moda.

Mas há de chegar o dia dela.

Não passarão!

Antes de terminar, uma pergunta pública pro Szegeri:

Querido... o que esse seu irmãozinho aqui faria se lá estivesse, hein?!

Até!

25 comentários:

Craudio disse...

Pior, Edu, é que tão dizendo por aí que essa falta de cerveja nos estádios do Rio será implementada para sempre. Nos mesmos moldes que aqui em SP, com a desculpa de acabar com a "violência" - essa mesma que dizem afastar os torcedores do estádio...

Por esses e outros motivos que eu sou totalmente contrário à realização da Copa do Mundo no Brasil. Isso vai acabar de vez com o esporte por aqui.

Abraços!

Eduardo Goldenberg disse...

Craudio: os jornais hoje (espero que equivocadamente) já anunciam que não haverá venda de cerveja hoje no Flamengo x Vasco, ao qual comparecerei munido, por precaução, de uma garrafinha de malte. Um nojo, isso. E só pra constar... E eu também sou contra Copa do Mundo aqui, como fui contra - e isso foi motivo de muita discussão com o Szegeri - a realização do PAN. O povo mesmo, o povão, fica sempre de fora dessas festas. Mas infelizmente não escaparemos... Em 2014 a coisa será aqui. E veremos as ratazanas que não largam o osso ainda mais gordas. É esperar pra ver.

Eduardo Goldenberg disse...

A pedido do meu parceiro Arthur Mitke, diretamente de SP:

"Edu meu camarada:

no meu trabalho bloqueiam a parte de comentários, mas tenho que dizer que o que mais me deixou puto com essa história de "reserva" no Capela, foi lembrar que eu e o Digão fomos lá, entre terça 9/10 e domingo 14/10, quatro vezes. Na terça, após o show do Moyseis, na quinta, junto com o Rodrigo Jesus (depois daquelas 4 garrafas de vinho que bebemos na Folha Seca), na sexta, após a roda do Inimigos no Céu Aberto, no sábado o Digão foi com o Gabriel, mas eu não estava, e no domingo eu fui com o Rodrigo Jesus, sem o Digão.

Ou seja, em seis dias estivemos lá quatro vezes.

E não foi pra fazer programinha "cult" indicado pelo tal vade-mécum de otário. Foi pra terminar a noite contando histórias, celebrando a amizade, bebendo o bom chopp que tem por lá.

Era motivo mais do que justificável pra mandar a reserva da turminha de Ipanema pra casa do caralho!!!

Pô, neguinho quer fazer reserva e ainda escolher o garçom que nem conhece?!?

É demais pra mim."

Anônimo disse...

Arthur, meu amigo,

Perfeito! Nada, rigorosamente nada, a acrescentar.

Em relação à venda de bebidas no Maraca, outro absurdo! Na porra do camarote o que não faltava era cerveja, tinha até capirinha de sagatiba. O antílope se esbaldou!!

saudações,

Daniel

Eduardo Goldenberg disse...

Eis aí, na notícia que nos dá o Daniel - que até o momento mostra-se uma excelente aquisição para o exército! -, a razão maior para que a revolta se misture ao nojo contra essa canalha porca que infecta o Brasil (e o mundo). Há de haver, um dia, uma porradaria sem precedentes dentro do estádio, derrubando portas, muros, seguranças e o escambau a quatro, para que se institua, ali, direito igual para todos, ao menos no que diga respeito ao direito de ir e vir pro bar comprar CERVEJA, porra! Pau na canalha!

Arthur Tirone disse...

Quando vou ao Pacaembú, entro no estádio quando os times entram em campo porque fico na barraca da Simone enchendo a cara de CERVEJA. Pior que a abstinência durante o jogo é a venda daquela porra de cerveja sem álcool a três contos. E ainda tem otário que paga. Mas como essas coisas dão margem pro povo se virar numa situação extrema como essa, tem um cara, o Alemão, que vende aqueles saquinhos plásticos de gelinho, mas com conhaque. Ele entra no estádio, joga uma cordinha lá pra baixo, o parceiro dele amarra a sacola cheia de "gelinho" e já era. Conhaque pra Fiel!
O Craudio mesmo é um que deve tomar seus Drehers nos jogos do Timão!
Infelizmente faz um tempo que esse Alemão sumiu...

Craudio disse...

Ah, bem lembrado. Aqui em SP também essa probição não se aplica aos camarotes quando há jogo no Morumbi. Dá-se cerveja e outras bebidas aos baldes. E a arquibancada fica os 90 minutos na seca.

Nojento, simplesmente nojento...

Homem Sagaz disse...

Edu, se mepermite a intimidade.

Há tempos venho frequentando esse formidável buteco, na maioria das vezes concordo com o que é dito aqui, outras poucas não. Mas como vc diz, trata-se de um buteco aberto as mais diversas opiniões.

Realmente a canalha que comanda a CBF é capaz de proezas inimagináveis, pois enquanto essa turma de falsos astros globais se esbaldavam no dito camarote, grandes personaliddades do futebol eram barradas na entrada do Maraca , cito Jairzinho, Amarildo, o capita entre outros.

Me explica, como não é permitida a venda de cerveja ao povão enquanto no tal camarote era consumida aos litros? vide a foto do blog do Tas http://marcelotas.blog.uol.com.br/

E antes que eu me esqueça:

Tomar no cu Galvão!!!! rsrsrs

A Globo agora, mais do que nunca, terá que abaixar o volume do aúdio externo de suas transmissões!!!

Saudações Rubro Negras

André Pessanha

Eduardo Goldenberg disse...

Arthur e Craudio: o Maraca sempre tem, também, seus anjos caídos, sempre prontos para nos salvar dos perrengues. Mas é que a proibição ontem pegou a malandragem desprevenida. Deixa quieto que já, já eles arrumam uma solução...

André Pessanha: seja bem chegado, e esteja sempre à vontade no balcão. De fato, revoltante a foto do marido daquela loura que vai de táxi bebendo cerveja no estádio onde foi proibida a venda para o povo. Pau na canalha! E saudações rubro-negras.

Anônimo disse...

Edu,

Como você disse, a Copa será aqui, e a podridão vai se alastrar. Os que gostam e querem ir ao Maraca serão preteridos pelos antílopes globais amantes de música eletrônica. Puta que pariu!!!

Não sou de violência, mas se um dia a porrada estancar, e, cá entre nós, eu duvido que isso aconteça, vou com tudo, porque ficar com a garganta seca enquanto a canalha porca (permita-me tomar emprestada essa sensacional expressão) se farta é coisa de frouxo, e isso eu não sou.

Saudações,

Daniel A.

Homem Sagaz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago Prata disse...

OLA em forma de Valsa foi uma das coisas mais viadas que ja vi na vida
Pior era o viado do narrador dizendo o que deviamos fazer...

Me senti quando ia nos jogos de Futebol, ou volei, de praia, em Copacabana as 9 da Manhã de Domingo

Estão estragando de vez a emoção dos jogos... ja tiraram as arquibancada, tiraram a geral,dificultam a entrada e a compra dos ingressos(carissimos por sinal)... fudeu!!

Pratinha

leo boechat disse...

Me lembrei de um período em que era proibida a venda de cerveja no Maracanã. Tinha nego que bebia aquela Kronembier no sol quente e ficava de porre.

Gabriel Cavalcante disse...

Porra, Flamengo e Vasco sem bebida hoje vai ser foda.

Aturar Souza, Toró e cia. sem álcool vai ser foda.

Saudações rubro negras!!!!!!

Anônimo disse...

Edu,
este jogo foi a maior armação.Jogo da familia começar às 10:00hs ?? isto é hora de criança ir à jogo? Ninguém tem aula hoje de manhã?
Outra coisa , está em todos os jornais , a cbf quis fazer deste um jogo exemplo para a fifa e encheu de polícia em volta do Maraca. Aí não teve fila dupla, engarrafamento, flanelinha,etc. Mas porque não fazem isto sempre? Quero ver hoje, em um jogo de verdade, se o esquema vai ser o mesmo.
um abração a todos
Marcelo Alves

caíque disse...

pô... peraí, cara... "hola" ao som de "danúbio azul".... prá mim parece coisa de viado. e tem cara que se presta a ir pro microfone pedir uma babaquice dessas! ainda mais com a rapaziada sem poder tomar uma gelada? eu, hein... mas pelo que o daniel falou aí, birita só lá no "reino da bicharada", né? enquanto houver quem não se conforme, há esperança. "no passarán!"
p.s.: daniel, "antílope" foi demais. já sou seu fã.
caíque.

Anônimo disse...

O esquema evidentemente não será o mesmo, da mesma forma que o esquema de segurança da cidade hoje não é o mesmo da época do PAN. A Canalha quer mesmo é sair bem na foto...
Arthur Mitke

Felipinho disse...

Dica:

Em Edson Passos, a arquibancada coberta vale 5 pratas, e a descoberta 1 real.

Sem OLA (coisa de viado), placar luminoso (coisa de viado), e animador de estádio (coisa de viadaço).

Detalhe: cerveja em lata por 2 reais.

SANGUE!!!

Szegeri disse...

1) Em clima de arquibancada: É Felipinhoooooo!!! É Felipinhoooooo!!! Perfeito, véio.

2) Dica geral de paulistas véios de guerra: meia tampinha de álcool de cereais (aquele que se compra na farmácia, pra fazer licor caseiro) pra cada copo de Kronenbier. O gosto é uma merda, mas o efeito...

3) Resposta pública ao Edu: ia baixar o Santo na capela! Manchete do Jornal do Poste no outro dia: "Expulsos os vendilhões do Templo!"

Eugenia disse...

é o samba do crioulo doido...
o mundo surreal, como um filme do Buñuel...
OLA no Maracanã ao som de valsa...
jogo sem álcool
reserva no Capela
o q está acontecendo com o mundo???
de previsível só mesmo o FLAMENGO ganhar do vasco! risos
MEEENGOOOOOOOO!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Bom dia,

O putaria foi noticiada!

O que todos nós já debatíamos aqui ontem foi noticiado em nota da coluna do chupa ovo Renato Maurício Prado Prado. De vez em quando ele acerta.

Felipinho, salve Edson Passos!! E que Deus proteja o América.

Caíque, valeu!

saudações,

Daniel A.

caíque disse...

Felipinho mandou bem: salve Edson Passos!
E Deus salve o meu Mengão!!!!!!!!
em tempo: reserva no Capela, né?... eu, hein... parece o quê, Edu?
Caíque.

4rthur disse...

NOJO? REVOLTA? Veja o que o queridinho "Gente Boa" escreve hoje, sexta, na coluna de merda dele:

"Foi uma espécie de camarote-da-Brahma-para-toda-a-família o espaço vip organizado pela CBF para o jogo de anteontem, contra o equador, no Maracanã. (...) Os famosos desembarcavam aos montes nas vans. (...) Só os vips, aliás, puderam "biritar" naquela noite: a cerveja, que rolava em doses industriais (grifo meu) ali, teve sua venda proibida no estádio".

Segundo o - como você chama - homúnculo, havia área vip e área vipvip, onde "homens tomavam um drinque com pedrinhas de gelo seco dentro".

Edu, não espero um comentário teu sobre isso. Espero um post inteiro colocando a canalha no seu devido lugar. Puta que pariu! Chego a ficar feliz de ter assistido a vitória do Brasil e a vitória do Fla em bares, cheios de torcedores fervorosos e muita, muita cerveja.

gigi disse...

Sistema de castas dentro do Maraca é foda. O pau que dá no Chico tem de dar no Francisco. Por que só os vips bebem? A massa que efetivamente freqüenta os estádios não teria compostura pra beber cerveja lá dentro? E o nanico, o homúnculo, ainda tem a cara dura de fazer alarde disso? Será que ninguém percebe esse absurdo, essa discriminação escrota? Olha, me senti na Índia agora.

Sobre o Capela, que triste. Estou puta com aquilo lá desde que limaram o cigarro. Coitado do Cícero, que precisa se submeter. Tenho certeza de que, por ele, essa galera nem pisaria no santo chão do Capela.

Craudio disse...

Boas dicas dos meus conterrâneos! Essa do mestre Szegeri, então! Vou testar.

E o Alemão que o Favela falou deve ter ido pro xilindró, porque faz tempo que ele não dá as caras no estádio.