1.11.07

CHUTE DE COMADRE

O leitor Cláudio - e não Craudio, como nos explica Fernando Borgonovi num esclarecedor comentário feito no texto SANDÁLIAS HAVAIANAS, leiam aqui - que, a título de constrangimento público não custa repetir, está me devendo um engradado de cerveja (que ele chama de grade) novamente prometido para o dia 8 de dezembro (de 2007?), disse-me ontem, também nos comentários ao mesmíssimo texto, que esperava um joguinho de comadre ontem à noite, entre Flamengo e Corinthians, no Maracanã, para ajudar o time paulista em sua luta contra o rebaixamento em detrimento da luta rubro-negra para garantir uma vaga na Libertadores 2008.

capa de O GLOBO de primeiro de novembro de 2007, foto de Alexandre Cassiano

Quem estava no Maracanã (e eu estava com Prata, Rodrigo Folha Seca e seu filho, Miguel) ou quem assistiu pela TV, sabe que o pedido não foi atendido.

E não foi atendido em alto estilo.

A porrada que o Roger deu pra dentro do gol corinthiano, a trolha que a paulistada tomou, foi a antítese do jogo de comadre.

A agudíssima antítese.

Em meus delírios de febre, inclusive, quem chutou, mesmo, foi Nunes, o brilhante atacante rubro-negro da década de 80, que atendia pela alcunha de Furacão.

A antítese da comadrice.

Até.

9 comentários:

caíque disse...

tô rouco, tô de ressaca, tenho que trabalhar o dia inteiro nesse estado lamentável em que me encontro, mas tô feliz da vida!
ô meu mengão... que alegria! são dida deve estar lá em cima tão feliz quanto eu. rumo à tóquio, de novo!
Caíque

Craudio disse...

Até os 30 minutos do segundo tempo achei que meu pedido havia sido atendido. Principalmente depois que o Joel tirou o Souza. De fato, seria bom para ambas as partes...

O pior foi ter tomado gol desse chinelinho. Aguarde, Edu. O cara fica até o fim do campeonato sem acertar um passe. Seria muito mais digno ter tomado gol do Nunes.

Sobre a grade, ou engradado, anote aí: 8 de dezembro de 2007. Chegarei ao Rio e pagarei minha promessa (a não ser, como esclarecido, que eu consiga ir antes ou você venha para esse lado da Dutra)!

Ah, e ainda não encontrei o tal comercial das personal trees. Mas tô na busca.

Abraços!

4rthur disse...

Quando o Flamengo estava lá embaixo, recebi um email engraçadinho que dizia que o Mengão estava no topo da tabela. Abre-se a imagem, e vê-se que a tabela estava invertida.

Hoje, muitas semanas depois, o Flamengo vive uma fase de ascensão na tabela como em poucos momentos se viu no futebol, ocupando a faixa classificatória para a Libertadores após 5 vitórias consecutivas.

Será que o autor do tal e-mail está achando graça do meu time agora?

Levi disse...

Eduardo, eu também sou rubro-negro e acompanhei todos os jogos na década de 80 (Antes também, o "Gol do Rondinelli" foi uma das maiores alegrias da minha vida)e digo pra você que o Nunes era conhecido por "Cão Danado" e "Artilheiro das Decisõs", Furacão nunca (Este foi o Jairzinho, "Furacão" da Copa). Saudações !!!!

Eduardo Goldenberg disse...

Levi: poucas coisas estão tão impregnadas em minha memória quanto a voz do locutor rubro-negro Jorge Curi, de quem tenho agudas saudades sempre que ligo o radinho. Pois era assim que ele escalava o Flamengo... Raul (o Velho), Leandro (o Peixe Frito), Figueiredo, Mozer (o Vampiro) e Junior (o Capacete); Andrade (o Tromba), Adílio (o Neguinho Bom de Bola) e Zico (o Galinho de Quintino); Tita (o Curinga), Nunes (o Furacão) e Lico.

Depois da final em Tóquio, Levi, o Curi passou também a chamá-lo, também, de Artilheiro das Decisões ou de João Danado (e não Cão Danado)...

Mas é evidente que tudo isso, rapaz, na minha memória... Se é ou não verdade absoluta são outros quinhentos. Mas é, se é que você me entende...

Saudações rubro-negras!

Levi disse...

Pois é Eduardo, a memória me traiu quanto ao João Danado e vou acreditar em você quanto ao J.Curi falar Furacão mas, realmente, desta expressão não me lembro. Saudações !!!

Coelho disse...

Também me lembro do Nunes como João Danado, ou artilheiro das decisões. Grande Nunes!!!

Luiz Antonio Simas disse...

Furacão é, de fato, o Jairzinho. Nunes era o João Danado e o Artilheiro das decisões.
abraços

Anônimo disse...

meus caros e diletos amigos cariocas:
sou paulista e corintiano, mas torci desbragadamente para o Mengo, pois ele merece mais do que ninguém uma vaga entre os quatro. A recuperação que o time teve foi espetacular e merece o aplauso de qualquer torcedor de futebol. Quanto ao esfrega que levamos e ao rebaixamento, ainda temoschance de escapar e só depende da gente. Contra o mengo, reconhecemos, não deu...
HENRIQUE PERAZZI DE AQUINO - BAURU SP (www.mafuadohpa.blogspot.com)