5.11.07

NUNES, O FURACÃO

Foi aqui, no texto CHUTE DE COMADRE, que estabeleceu-se a celeuma: Nunes, o artilheiro da camisa número 9, era ou não chamado de Furacão?

Disse eu, que sim, quando escrevi:

"Em meus delírios de febre, inclusive, quem chutou, mesmo, foi Nunes, o brilhante atacante rubro-negro da década de 80, que atendia pela alcunha de Furacão."

Daí o Levi chegou-se ao balcão e, de voleio, disse:

"(...) e digo pra você que o Nunes era conhecido por "Cão Danado" e "Artilheiro das Decisõs", Furacão nunca (Este foi o Jairzinho, "Furacão" da Copa). Saudações !!!!"

Eu, de volta:

"Levi: poucas coisas estão tão impregnadas em minha memória quanto a voz do locutor rubro-negro Jorge Curi, de quem tenho agudas saudades sempre que ligo o radinho. Pois era assim que ele escalava o Flamengo... Raul (o Velho), Leandro (o Peixe Frito), Figueiredo, Mozer (o Vampiro) e Junior (o Capacete); Andrade (o Tromba), Adílio (o Neguinho Bom de Bola) e Zico (o Galinho de Quintino); Tita (o Curinga), Nunes (o Furacão) e Lico. Depois da final em Tóquio, Levi, o Curi passou também a chamá-lo, também, de Artilheiro das Decisões ou de João Danado (e não Cão Danado)..."

Mantendo o bate-bola, disse o Levi:

"Pois é Eduardo, a memória me traiu quanto ao João Danado e vou acreditar em você quanto ao J.Curi falar Furacão mas, realmente, desta expressão não me lembro. Saudações !!!"

Lá de Campinas, meteu a mão na cumbuca, meu queridíssimo Coelho:

"Também me lembro do Nunes como João Danado, ou Artilheiro das Decisões. Grande Nunes!!!"

O quadragenário Luiz Antonio Simas palpitou também:

"Furacão é, de fato, o Jairzinho. Nunes era o João Danado e o Artilheiro das Decisões."

Pois ontem à tarde, durante agradabilíssimo bacalhau na casa da Betinha e do Flavinho, apareceu o Folha Seca, esse poço artesiano de doçura. E apareceu brandindo um CD e dizendo, aos gritos:

- Nunes é o Furacão! Nunes é o Furacão!

O CD, com a narração de Waldir Amaral e Jorge Curi de todos os gols da campanha de 1980, traz, na faixa 11 (Flamengo 2 x 2 Ponte Preta), o grande Waldir Amaral (e não o Jorge Curi, como eu imaginava), chamando o Nunes de Furacão.

Está, portanto, encerrada a questão.

Estou vendo se consigo disponibilizar a gravação para deleite de vocês, rubro-negros como eu.

Até.

Um comentário:

Coelho, o primeiro PENTA disse...

Que venha o Furacão! Aliás se o Nunes tivesse jogado a copa de 82 no lugar do horroroso Serginho a copa era nossa. Foda-se a copa, o "Furacão" estava guardando forças para trucidar o Grêmio no e nos dar o BI-Brasileiro.