3.11.07

O COLEGUINHA DA PLAGIADORA

Quando escrevi o texto A CANALHA PORCA DE SÃO PAULO, leiam aqui, lhes contei sobre uma frase nojenta escrita numa igualmente nojenta crônica publicada no não menos nojento caderno ELA, editado pela plagiadora (Plagiadora? Não entendeu? Leia aqui):

"N´O GLOBO de sábado, um jornalista cujo nome não repito sob pena de vomitar sobre o teclado, escreveu a seguinte merda:

"Quando a crônica acima for publicada, vou estar de férias no continente que realmente importa.""


Mandei um email para o coleguinha da plagiadora, e sei que o Fraga também mandou, perguntando qual o continente que realmente importa.

Ele respondeu? É evidente que não.

Mas hoje, em sua coluna (publicada alternadamente com a da plagiadora), com um BERLIM gigantesco antes do primeiro parágrafo, fica evidente a qual continente se referia o afetado.

publicado no jornal O GLOBO de 03 de novembro de 2007

Ele bem que podia ficar por lá. E, de preferência, escrevendo por lá, para sempre, poupando-nos dos seguidos lixos que imprime no caderno editado - dá prazer repetir isso - pela plagiadora.

Até.

Nenhum comentário: