14.1.08

MEU PAI, IMPERIANO

Quando, no domingo retrasado, 06 de janeiro de 2008, meu velho pai chamou-me com a voz ligeiramente embargada (ele desmentirá isso até a morte, mas eu, que sou preciso do início ao fim, sei o que estou dizendo), eu pensei alto (mamãe por testemunha):

- Seja o que for, vai dar merda.

E deu. Fui arremessado ao passado num tranco que vou lhes contar...

Isaac Goldenberg e amigos, Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro

Essa foto, por exemplo, que mostra meu velho (o quarto, da esquerda pra direita, sentado) de mangas curtas, a mão direita sobre o joelho esquerdo, a mão esquerda checando o tríceps do braço direito, ele apontou no monitor e me disse:

- Sabe onde é?

Meus olhos marejados falaram em silêncio e ele prosseguiu, fazendo um cafuné na Dani, que estava também a seu lado:

- Volta Redonda...

Tive, naquele instante que seguiu-se à curiosa revelação de papai - minha menina nasceu lá! -, febre de quarenta graus e tremores nas mãos que tentei disfarçar (com êxito, devo dizer) sentando-me sobre elas.

Criou-se em mim o enredo que jamais será contestado.

Papai, caboclo viajante, caboclo da mata, foi à Volta Redonda, naquele ano, caminhando, abrindo picada pela Serra das Araras com um facão de cabo verde, em busca da mulher da vida do filho mais velho, ainda por nascer. E teve certeza, quando bebeu umas cervejas com Wlader Dutra Miranda, o Comandante, num buteco qualquer da Vila Santa Cecília, que seria dele a filha que ensinaria seu primogênito a sorrir, anos depois.

Dito isso, vamos ao que quero lhes dizer, precipuamente.

Sugiro, entretanto, antes, a leitura de MEU PAI, MEU MOLDE, aqui.

Papai tentou fazer de mim um vascaíno e não teve sucesso. Papai tentou fazer de mim um imperiano e não teve sucesso.

Vivia dizendo, e enquanto escrevo ouço sua voz:

- O Vascão Machão da Gama é o maior time do mundo! - e cantava "Casaca, Casaca, Casaca-saca-saca!" para meu delírio.

- Escola de samba só tem uma: Império Serrano!

Da mesma forma, com o mesmo fanatismo, me dizia que a Claudete Soares e a Leny Andrade eram as maiores cantoras brasileiras, que o Dick Farney era o tal, que o Bafo da Onça era o grande bloco da cidade, esses troços.

Falei do Império Serrano e quero lhes fazer uma confissão e um convite.

De tanto papai falar, aprendi a ter um respeito agudo pela verde-e-branco de Madureira. O tempo, as histórias que li, as histórias que vi, as histórias que ouvi, sedimentou em mim, eu diria, mais que respeito. Por uma razão que é absolutamente inexplicável vejo o Império Serrano como a Escola de Meu Pai, assim mesmo, com maiúsculas, eis que o troço é forte demais dentro de mim.

É também a escola do meu irmão Luiz Antonio Simas (que escreveu sobre a situação do Império Serrano no carnaval deste ano, aqui), é a escola do Marcelo Moutinho (que faz, de seu blog, aqui, uma trincheira em defesa de sua escola), do Tiago Prata, do Marechal, do João Bosco, todos eles envolvidos até o pescoço, nesse começo de ano, num projeto de esperança para levar a escola de volta ao Grupo Especial.

O Império Serrano, que faz hoje ensaio técnico na Marquês de Sapucaí, vai mal das pernas para o desfile de 2008. Enfrenta intensa falta de dinheiro que - quem me conta são os próprios imperianos acima citados - pode prejudicar, e muito, o trabalho de um ano inteiro. A poucas semanas do desfile, o barracão do Império Serrano exibe carros inacabados, alegorias incompletas e toda a sorte de baldão que sua grandiosa história não merece conhecer.

E disse isso tudo para convidá-los, todos, imperianos ou não, para o show que esses caras estão organizando e que acontecerá na quarta-feira, depois de amanhã, dia 16 de janeiro, a partir das 19h30min, no Teatro Rival, com partipação de Cláudio Jorge, Nilze Carvalho, Dorina, Wanderley Monteiro, Moyséis Marques, Tiago Prata e João Bosco entre outros, que irão se apresentar ao lado do pessoal do jongo da Serrinha, da Velha Guarda Show e da bateria nota 10 de Mestre Átila, considerada a melhor do carnaval carioca. O puxador oficial – Gonzaguinha – e o casal de mestre-sala e porta-bandeira também estarão presentes.

Muito mais do que dinheiro, eles pretendem arrecadar axé para essa reta final.

Eles são imperianos de fé.

Eu, como eles, não me canso de lutar pelo que há de mais bonito. Por isso estarei lá. Ao lado de meu pai, se os deuses assim permitirem.

Até.

6 comentários:

Marcelo disse...

Fala, Edu! É isso mesmo: todos unidos para levar o Império de volta ao Grupo Especial. Na verdade, as últimas notícias são ótimas: as coisas andam bem no barracão, o ensaio de rua, ontem, em Madureira, ficou lotado (é, o Império felizmente ainda faz ensaios abertos para o pessoal do bairro) e o clima é de garra e confiança para o desfile. Nos vemos na quarta! Leve seu pai, a quem quero conhecer!

4rthur disse...

Putz! Estarei em Resende nesta quarta. Mas é bom saber das boas notícias supracitadas pelo Marcelo, como também é bom saber que essa galera de peso está firme e forte jogando a imperiosa escola pra cima.

Se tudo der certo, vai dar merda!

Anônimo disse...

Fala,Edu!

Apesar de tudo o que acontece no país, seja na política,no futebol, no carvanal,o povo que tem a força para levantar e erguer o que foi derrubado.

Prova disso o foi a escola Gaviões da Fiel aqui de sampa. Espero que a Império suba novamente.

forte abraço

Marcelo disse...

Em tempo: o Pratinha vai acompanhar o Moiseyis na participação dele...

C.A. disse...

Edu, pode ter certeza: as coisas estão melhores - e o Império fará um belo desfile a 2 de fevereiro.

O barracão, que no sábado ainda parecia sonolento, estava radiante nesta última segunda - e as alegorias deram um belo salto, muitas já em fase acabamento.

O ensaio de ontem, na Sapucaí, apesar do espaço reduzido que a contravenção da prefeitura nos ofereceu, foi muito bom, sobretudo porque, ao contrário do ano passado, os componentes - todos - cantaram o samba.

E só mais uma coisa: a nova porta-bandeira da escola será anunciada amanhã, no Rival - e vai nos emocionar, garanto.

Saudações imperianas!

Rodrigo Santiago disse...

Evento digníssimo de nota, e também de minha "esfomeada por samba de boa qualidade" presença.

Estarei lá. Com certeza.