1.2.08

HOLOCAUSTO

O Goldenberg que orgulhosamente ostento em meu sobrenome me deixa à vontade para esculhambar (papai usa este verbo com impressionante freqüência) a atitude do presidente da Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Niskier, que ingressou na justiça para proibir, por meio de liminar, a Unidos do Viradouro de levar à avenida um carro alegórico fazendo referência (referência, apenas) ao Holocausto. Para esculhambar, também o apoio dado pelo Centro Simon Wiesenthal, grupo internacional judaico ligado aos direitos humanos, e ainda a juíza Juliana Kalichszteim (judia?), que concedeu a liminar.

matéria publicada no jornal O GLOBO de primeiro de fevereiro de 2008

O que pensam os três (assim, só por curiosidade) sobre o vergonhoso holocausto perpetrado, dia após dia, contra os palestinos?

Até.

3 comentários:

Marcelo disse...

Edu, tbm repudio a proibição. Isso embora ache o carro (e a proposta) de extremo mau gosto. O pior da decisão da justiça foi dar, ao espetaculoso Paulo Barros, um motivo para lamentações. O carro deveria ir à Sapucaí para ser vaiado pelo público, este sim.

4rthur disse...

Então lá vai minha opinião:

Achei, como o Marcelo acima, o carro de extermo mau gosto, ainda mais quando soube que em cima da pilha de corpos haveria um passista vestido de Hitler, sambando sobre os cadáveres. Acredito que, para se fazer uma crítica ou chamar atenção pra algo importante, existem outras formas mais apropriadas para uma festa alegre como é o caso do carnaval.

Ainda assim, achar de mau gosto não dá a ninguém a chancela de censurar qualquer manifestação artística. No pior dos casos, os juízes dariam nota baixa para a Escola e pronto. Por isso, discordo da juíza e da Federação em questão.

Roberto Fraga Jr disse...

Fiquei surpreso com a sua opinião Edu. Alguns amigos me chamaram de nazista por defender o carro da Viradouro.Um forte abraço!