31.8.08

ONTEM, NA MATOSO

Como eu já havia lhes contado aqui, aqui e aqui, fomos ontem - eu, meu velho e amado pai e meu queridíssimo Felipinho Cereal - passear, com ares de desbravadores, na rua do Matoso, a fim de preparar RUA DO MATOSO - A SÉRIE. Como previsto, fizemos apenas - eu diria - um quarto da rua. Mas foi um começo fabuloso. Fabuloso, emocionante, surpreendente e gratificante.

apontamentos durante passeio à rua do Matoso, na Tijuca, em 29 de agosto de 2008

Fotografando tudo, de tudo tomando nota, conversando muito com muita gente, tivemos - os três - uma grande manhã de sábado!

Até.

6 comentários:

Monica Araujo disse...

Edu,

recomendo o Ed Sartori , para te acompanhar , este projeto parece com o que ele faz, pesquise no youtube , o cara é doido mas é um artista plástico show de bola e tem alguns filmes bem legais.

Monica Araujo disse...

Tenho acompanhado com certo carinho e nostalgia, pois apesar de ter nascido em Botafogo , dividi a minha infância e parte da minha adolescência, entre Botafogo (minha mãe), Rio Comprido (meus avós) e Tijuca (minhas escolas, Martin Luter King na Joaquim Palhares , onde o ônibus 202 eu acho passava por dentro da zona e nós crianças ficávamos pendurados na janela para ver as “moças”, depois fiz uma parte do ensino médio no Paulo de Frontin na Rua Barão de Ubá, se não me engano vi um filme dos “Doces Bárbaros lá no Madri. Tinha também o terreiro do qual minha madrinha “Mãe Ivanira” era dona na rua Pereira Nunes e que no final lá das “obrigações” dela todo mundo se mandava para a quadra do Salgueiro lá no morro).

Já fui muito a muuuuuuuuuutios bailes funk no Municipal e quando tinha dez onze anos eu acho , geral do Luter King que morava no Rio Comprido , saía da Rua Azevedo Lima , passávamos pela Pça Paulo de Frontin pedindo dinheiro para comprar lápis e na verdade nós íamos para o Bob’s da Saenz Pena comer Big Bob’s e Ovomaltine.

Ah !!! E sou historiadora....

Caraça !!! Me deu até vontade de chorar.

Monica Araujo disse...

Lembrei também dos bailes no "Sindicato do Fumo" lá o bicho pegava ,do Bafo da Onça na época do falecido Gentil e sua esposa Marli e quando a gente brigava com o pessoal do Cacique na presidente Vargas. E por aí vai...
Pior que eu era do Bafo mas no momento só me vem em mente um samba do Cacique.
"Aê, aê, aê ,aê, aê se não der pra mim , não vai dar pra você / é lá frente(?) que eu quero ver , quem for forte se arrebente eu não vou tremer ê, ê / Sou batizado vacinado o que que há ! SOU CACIQUE DE RAMOS E NINGUÉM VAI ME SEGURAR AÊ, AÊ !!! (Era o mesmo que chamar o bafo pra porrada).

Eduardo Goldenberg disse...

Monica: a isso eu chamo arremesso ao passado! Seja bem chegada ao balcão virtual do BUTECO. Sinta-se à vontade. Um abraço.

Monica Araujo disse...

Ainda no meu momento nostálgico, agora já chegando para o lado da rua do Bispo, tinha uma pça lá no canto que já tentei por tudo lembrar o nome, mas não consigo onde se reuniam os estudantes da Universidade Estácio de Sá (quando só existia uma sede) e ali ficavam jovens de todas as idades por volta de 1979 eu tinha uns 12 anos e me achava o máximo ficar no meio daqueles estudantes dali da facul, claro que estava matando aula , se não era impossível minha mãe deixar.

Depois a galera que voltava numa fome do cão (por motivos ilícitos) nos convidavam para entrar na Estácio pra lanchar na cantina e aí eu ficava encantada com aquele prédio, não vou lá desde então , mas me lembro bem de uma escadaria enorme que dava acesso a lanchonete e dos sorvetes de flocos que eu saboreava , mas não por causa da larica , diga-se de passagem.

seu pai disse...

Du , informe a Monica Araujo que o nome da praça que ela se refere é ainda Praça del Vecchio !!