14.9.09

AUTOBOL

Por conta desse texto aqui, de 2005, a repórter Lorena Dillon, do GLOBO ESPORTE, chegou até mim e a meu pai, responsável direto pela inoculação de várias de minhas paixões. Marcou uma entrevista conosco, na casa de papai, e a matéria sobre autobol foi ao ar ontem.

Até.

11 comentários:

Felipinho disse...

O Isaac sempre foi America. Te levava desde moleque para o Andaraí com o orgulho de todo o pai rubro. Que beleza de reportagem. America foi tetra campeão carioca de autobol.

Grande Isaac, grande americano.

Vicky disse...

Edu, uma pergunta culinária.
Voce sempre contava de um buteco onde ia comer carne assada com batatas coradas. Minha boca tá aguando aqui. Por acaso voce alguma vez pediu a receita?

Eduardo Goldenberg disse...

Não, Vicky, não pedi... Mas é fácil. Dia desses passo pra você. Beijo.

Isaac disse...

Felipinho , naquela época eu levei porque pude entrar com o manto sagrado da CRUZ DE MALTA...hoje voces americanos vem com essa frescura de não poder entrar com outras camisas que não do " ameriquinha "....

Vicky disse...

Oba! Vou esperar! Enquanto isso vou atacar na sua feijoada e nos risotos. (a canja só se eu achar uma galinha que nao seja congelada aqui na terra da comida artificial)

Carlos Andreazza disse...

Que espetáculo este Autobol! E os árbitros não raro eram atropelados... Que esporte fabuloso!

Bruno Ribeiro disse...

Nunca gostei de carros e até hoje não sei a diferença entre o câmbio e a embreagem. Mas impossível não se empolgar com uma pelada dessas!

Eduardo Goldenberg disse...

Bruno: tenho uma lembrança muito tênue do jogo em si, sabe?, mas muito viva da confusão que fazia a alegria da molecada: a lama, a farra, as númeras batidas, a confusão absoluta e - delírio dos delírios - o momento em que a bola - pra minha memória de menino, imensa - caía nas arquibancadas. Beijo.

caíque disse...

eu vi a reportagem. super legal, edu!
abração
caíque

Diego Moreira disse...

O choque do petróleo acabou com a farra da turma. Só conheci o Autobol aqui, com essa reportagem. Achei do caralho.

Abraços!

Arthur Tirone disse...

Depois de ver e rever o filme, pra mim ficou claro que o médico do América teve uma idéia de jerico. Carro jogando bola é um troço de péssimo gosto. Eles têm menos habilidade que a seleção da Suécia de 58!

Mas o mais bacana é que a coisa virou prum rumo - duvideodó que era este o intuito - digno: o de divertir a pivetada, que devia sair do "campo" tal qual um pano de chão.

Beijo, mano.