4.9.09

MAIS SOBRE O CARREFOUR

Continua a ferver a polêmica envolvendo a mais-que-louvável iniciativa da Secretaria Municipal de Habitação, dirigida por Jorge Bittar, de construir, na Conde de Bonfim, onde há um imenso terreno outrora ocupado por um grande supermercado e hoje rigorosamente abandonado, um conjunto habitacional para 400 famílias. A grita da classe média rancorosa e covarde não cessa (agora dei de receber e-mails de leitoras histéricas tecendo ameaças que não me fazem sequer piscar os olhos). Basta ler isso aqui, isso aqui, isso aqui, isso aqui, isso aqui e isso aqui.

Volto ao tema apenas para lançar luzes sobre as boas novas trazidas por Rodrigo Pian que, malgrado nosso agudo distanciamento ideológico, digamos assim, tem demonstrado extremo espírito público no exercício de suas funções. Mais que isso, um imenso apreço por este blog.

Vamos ao comentário do Pian:

"Goldenberg, estive hoje na Secretaria de Habitação conversando com o mui prestativo Subsecretário Pierre Batista. Debatemos uma série de questões referentes ao meu espectro de atuação, a área da IV Região Administrativa, e, logicamente, dialogamos a respeito da questão Indiana. Pano rápido: não me faço nem um pouco necessário no que tange a levar sua palavra escrita ao Secretário Bittar. O primeiro ponto de minha conversa com o Sr. Pierre foi justamente seu blog, lido por boa parte das lideranças da SMH, incluindo - evidentemente - o próprio Bittar. Volto. A posição da SMH parece se manter. São favoráveis sim ao complexo haitacional para as 400 famílias. Porém, querem fazer a cousa toda com o devido planejamento. Colocar abaixo aquela estrutura imensa do hipermercado, retirar os consequentes entulhos e edificar algo de grande porte são atividades que exigem custos grandiosos. Todo o estudo e planejamento se faz necessário, palavras do Subsecretário. Mais do que certo! O que posso adiantar é que a SMH está recheada de pessoas mais do que experientes no quesito habitação. Digo isso sem nenhum medo de errar. Quanto a um ou outro morador se recusar a ser deslocado, isso é mais do que natural. Porém, pode ter certeza que essa posição não reflete, de maneira nenhuma, o sentimento da grande maioria de quem passa por esse tipo de situação. Já com relação aos comentários por você exibidos, não tenho muito o que falar. Cada um tem a sua posição e o poder público sabe que agradar a todos de maneira absoluta é exercício irracional e impossível! Continuemos a bebericar nesse balcão de diálogo inestimável! R.Pian"

Até.

Nenhum comentário: