24.10.09

CENAS TIJUCANAS, NO JB ONLINE

Já está no ar.

Aqui!

Ou aqui, clicando na imagem abaixo.

publicado no caderno IDÉIAS do JB de 24 de outubro de 2009Até.

5 comentários:

Andrea disse...

Ai que horror Edu! O pior de tudo foi ele voltar e achar graça. Mas agora descobri o motivo da minha mãe querer tanto ter vindo morar na Tijuca. Essa história de que os opostos se atraem é mentira.

Sabe aquele que fica quase em frente, o Palácio do Rei? Eu já fiquei naquele horti-frutti que tem do lado (ainda existe?) um tempão sem coragem de entrar. Ia e vinha e ficava olhando lá pra dentro do horti-frutti pra ver se tinha alguem olhando... e assim de gente passando na rua! Enfim, não entrei. Fui andando e andando, até que achei um escondidinho. Imagina se eu já soubesse que tu podias estar ali perto e eu vir parar aqui "a mulher que fingiu que ia comprar alface mas acabou levando um quiabo".

Mas conta mais ai. Ah... mas esse seu amigo, depois disso, voltou e continuou bebendo? Que horror!

José Sergio Rocha disse...

Eu nem lembrava mais disso, e muito menos com tanta riqueza de detalhes. O Felipinho deve lembrar de alguma coisa, acho que ele também passou por lá naquela tarde...

Tadeu disse...

Oi Edu! moro perto do bar do Marreco. Adoro suas cronicas. Vc é dono do som que as vezes colocam qdo tem churrasco? se for, abaixe o som um pouquinho!!! como vc diz:na Tijuca td se ve, td se sabe

Andrea disse...

Edu, som alto? rs.. Não é pagode não né? Vixi! Churrasco com musica, nada a ver. Churrasco tem que ser comido com calma e silêncio, quase uma hóstia. Edu, abaixa o som porque já tô quase ouvindo aqui na Saens Pena.

Eduardo Goldenberg disse...

Andrea: o Tadeu está equivocado... Não é a mim que ele se refere.