23.10.09

ESSE É O MEU BRASIL

matéria publicada no GLOBO ON LINE de 23 de outubro de 2009Até.

3 comentários:

Luiz Antonio Simas disse...

Eu conheço um homem de bem que amanheceu com milhões na conta - milhões!! - numa maluquice de ações de tal empresa e não descansou enquanto não devolveu a grana.Ficou feliz quando soube que a conta estava, finalmente, como sempre esteve - com o suficiente para viver com dignidade e tomar umas cervejas na Tijuca velha de guerra.

beijo.

Mariane disse...

Olá, Edu! Sabe que eu mesma fui à uma farmácia no distrito de Barão Geraldo, aqui perto, nesse ano, comprar umas coisinhas. Duas horas depois, quando fui cortar o cabelo, descobri que minha carteira não estava comigo. Bateu um desespero porque tinha R$ 400,00 lá dentro que eu ia usar para pagar uma conta importante. Enfim, não a achei em lugar nenhum e voltei à farmácia para ver se eu não tinha esquecido lá. Chegando lá a minha carteira estava com o gerente, que me disse que um senhor achou na calçada, que é o estacionamento, e achou que foi alguém que foi na farmácia que perdeu. O dinheiro e tudo o que eu tinha estava lá, intacto. Fiquei muito feliz nesse dia, e tive mais certeza que nunca que o povo brasileiro é tudo de bom, ao contrário do que diz a propaganda.
Beijos, querido.

Andrea disse...

Não sei Edu. Fico tão em dúvida. O caso ai de cima, esse comentário antes do meu. Isso com certeza eu faria. Cara, a carteira inteira, logo ali na frente de uma loja. Quem perdeu, quando notar, vai justamente voltar nos lugares onde passou e daí, não é só a esperança de quem perdeu, é a de quem encontrou também. Esperança de que vai voltar para o dono.

Mas, também penso, que quem devolve, o faz por se colocar no lugar do outro. A gente pensa muito na gente, no nosso umbigo. Nossas mazelas são sempre as piores e f... o resto. Claro que coça a mão, a cabeça. Coça tudo! Mas quem sabe e consegue se colocar no lugar do outro, entender suas lutas, sonhos, crenças e principalmente a batalha de cada um, esse não consegue dormir.

Mas também tem aquele que para pra pensar ... que pode não ter volta. É dificil.