17.11.09

A EDUCAÇÃO DOS MEMBROS DO GRUPELHO

Eu escrevi "a educação dos membros do grupelho" mas poderia escrever "os sentimentos dos membros do grupelho", "os desejos dos membros do grupelho" - esses troços. Uma vez mais confirmando sua verdadeira faceta - que tentam, seus membros, sem êxito, esconder - dei de cara ainda há pouco com comentário pouco edificante da lavra de Samila Soares - de novo.

A imagem é pequena, mas um clique mostrará a vocês o desejo dessa gente que, uma vez mais (já tantas vezes lhes mostrei o método aqui no balcão...), vale-se da covardia para não dar nome ao alvo de seus ódios. O comentário foi deixado nesse blog, do jornal O GLOBO, que nada mais é que curral do grupelho e de outros tantos similares (vejam aqui, e notem que o grupelho praticamente pauta o jornalão).

publicado no blog dos bairros do jornal O GLOBO ONLINE

Triste, para dizer o mínimo.

De bom, mesmo, apenas o que fica da análise, ainda que perfunctória, disso tudo: ela é, essa agremiação insignificante, o que há de pior.

Leonel Brizola daria a essa senhora uma resposta tão genial quanto a que deu à repórter que tentou intimidá-lo durante uma entrevista:


Até.

P.S.: a propósito... A citada Samila Soares, com quem já troquei e-mails (todos em 25 de agosto de 2009, eu os tenho guardados), costuma se referir a "tudo que (...)" a "remete à bagunça", como África, Índia ou Madureira. Que tal?

3 comentários:

Juliano disse...

Essa resposta povoa meus favoritos há tempos. Perfeita.

Paulo Rogerio disse...

Edu,

Depois comenta isso:
http://veja.abril.com.br/arquivo_veja/capa_07011981.shtml

Para as pessoas que dizem que o Rio andava nos "campos da paz" e que o grande Leonel é o culpado pela violência.

Bruno Ribeiro disse...

O mais engraçado - e triste - num preconceituoso é que ele se apega fielmente à um estereótipo como se fosse a verdade mais absoluta. Aí fica fácil se lembrar da fome nos campos de refugiados da Somália, no sangue dos mortos da guerra civil em Ruanda ou na miséria das favelas de Angola. E fica mais fácil ainda pegar essas imagens, descontextualizadas, e usá-las para definir todo um continente, para se referir ao caráter ou à cultura de um povo milenar como o povo africano. É mais fácil, para o preconceituoso, não ver o dedo do colonizador naquilo o que ele chama de "bagunça". É menos trabalhoso culpar justamente quem é vítima da política de usurpação e abandono promovida desde priscas eras no Terceiro Mundo. Retirem a influência da África sobre a nossa sociedade e teremos um Brasil infinitamente menos interessante, menos mágico e menos original. Por tudo isso, é lamentável a postura dessa tal Samila Soares. Lamentável, mas muito representativa da decadência moral a que chegou a nossa classe média. São essas mesmas pessoas que se dirigem ao presidente Lula como analfabeto, bêbado, sem-dedo, apedeuta, cafona ou ignorante. Basta uma pesquisa simples nos blogs e sites que essas pessoas frequentam para nos depararmos com uma carga infinita de preconceito e ódio para com o Chefe de Estado e tudo o que ele representa. Que nojo!