24.12.09

É NATAL NO BUTECO

Quero repetir, e reiterar, e reforçar, as mesmíssimas palavras que lancei aqui, em 2008, às vésperas do Natal.

Estamos a poucas horas da noite de Natal e o BUTECO ergue suas portas de aço na manhã desta quinta-feira com o precípuo propósito de desejar a todos os seus freqüentadores um Natal profundamente feliz e em paz. Quero lhes dizer, eu que faço deste balcão virtual um permanente divã imaginário no qual exponho confissões de toda ordem, que durante parte de meus quarenta anos questionei muito o significado efetivo da expressão "Feliz Natal". As pessoas me diziam "Feliz Natal" e eu ficava a me perguntar o que seria ter, então, um "Feliz Natal".

Nasci em 69, filho de pais cristãos, espíritas, assim como vovó e boa parte da família. Vivi noites de Natal profundamente significativas, impressionantes para um menino em tenra idade, nas quais a família reunida rezava, nas quais mamãe, sempre muito comovida, após a leitura de textos relacionados com a data, propunha reflexões sobre o Evangelho de Jesus Cristo, o aniversariante!, e nas quais vivíamos, intensamente, esse sentimento de renovação de esperanças e de expectativas com relação ao ano novo. Por tudo isso eu posso dizer, sem medo do erro, que o Natal nunca foi, para mim, uma festa de presentes. Ao contrário, foi sempre uma festa introspectiva, uma festa de comunhão, uma festa de reflexão, uma festa simples, extremamente simples.

Mas a vida é feita de movimentos incessantes, de experiências constantes, e eu, durante alguns anos, afastei-me - se é que posso dizer assim - da vivência desse sentido e desse sentimento na noite de Natal. Foi o tempo em que eu, como lhes contei mais acima, dizia não compreender o significado do "Feliz Natal". Fosse por mero exercício de contestação, como conseqüência de uma busca de novos caminhos, o fato é que passei um razoável tempo afastado do sentido religioso da data. Fazia as mesmíssimas coisas, jantava e almoçava com a família nos dias 24 e 25, mas sem o mesmo sentimento.

Por incontáveis razões que não cabem aqui, neste espaço, voltei a voltar o olhar, de um tempo pra cá, para as coisas do espírito - digamos assim. Como a vida é feita de movimentos incessantes e de experiências constantes, e como os ciclos se renovam, eis-me aqui, às vésperas do Natal, profundamente comovido e certo de que é sempre tempo de renovação, mesmo que renovação tenha, ao menos para mim e dentro desse contexto, caráter de retomada de rumos e de caminhos já tantas vezes percorridos.

Sem qualquer intenção de fazer proselitismo, evidentemente, desejo a vocês todos, meus poucos mas fiéis leitores, uma noite de Natal profundamente significativa. Desejo, mais, que todos se sintam dispostos, ao menos nesses dias, ao exercício de estender o olhar à sua volta. Esse olhar estendido mostrará a vocês, seguramente, alguém precisando de muito pouco para ter um dia ou uma noite melhor. Esse olhar estendido fará com que você vivencie, ainda que seja apenas com os olhos, a experiência do outro, quem sabe capaz de transformar sua própria vida. Esse olhar estendido possivelmente dará a você a dimensão exata da fraternidade, se você tiver olhos de ver e ouvidos de ouvir.

Que tenham todos uma noite de paz, com a família, com os amigos, com gente querida, que haja muita saúde, que haja muita esperança, que haja sobretudo muita coragem para os enfrentamentos diários que a vida exige.

Sejam vocês cristãos ou não, creiam ou não em Deus, tenham todos um Feliz Natal. Eu, brasileiríssimo no que diz respeito à escolha da religião (é tudo na cumbuca e sou feliz desse jeito!), desejo que a noite de hoje seja tranqüila, seja simples, seja renovadora, significando verdadeira comunhão de propósitos capazes de dignificar sua vida.

O BUTECO retoma suas atividades, se assim me for permitido, em brevíssimo.

Fato é que baixo as portas do estabelecimento hoje sem o compromisso - que honro diariamente muito por conta de todos vocês que chegam até aqui, e é cada vez mais gente que chega, ainda bem! - de ser diário até o começo desse 2010 que se aproxima e que promete: assim, por baixo, teremos o Campeonato Carioca (aposto no Flamengo!), o Carnaval (aposto na VILA ISABEL), o Campeonato Brasileiro e a Libertadores (aposto no Flamengo!), a Copa do Mundo (aposto no Brasil!) e as eleições (aposto na Dilma Roussef!). Haja festa!

Até.

10 comentários:

Claudio Renato disse...

Querido Eduardo Goldenberg, foi um prazer conhecê-lo - a você e a seus textos - neste ano que se vai. Feliz Natal! Bom Ano Novo!

Mariane disse...

Edu, eu tenho a mesma lembrança que a sua do Natal! Pra nós também o Natal nunca foi tempo de presentes, mas de contemplações.
Feliz Natal pra você e sua linda família!

Carlos disse...

Muita Paz...felicidades na sua belissima Tijuca

AOS QUARENTA A MIL disse...

As pessoas (inclusive eu) criam uma expectativa com o Natal muito maior do que ele representa. Procuro durante o ano ser uma pessoa bem legal com os meus, (nem sempre consigo) para poder curtir as minhas fraquezas Natalinas sem culpa, até por que antes demais nada, amo tanto a Cristo que só nós dois sabemos, o resto é detalhe.

Desejo a todos os amigos do Buteco , (de verdade e com muito amor) o Natal mais repleto de Saúde, de Amor, de Amigos e de Deus .

Feliz Natal !

Olga disse...

Edu, também repito, reitero e reforço os desejos de 2008.

Que você tenha um boa noite de Natal com todos os seus.

E, como li num blogue, o ano que vem é dez! Que assim seja!

Um grande 2010 pra todos!

mariabgolden disse...

Edu querido,
As portas abertas do Buteco me permitiram ler a sua mensagem e, nem preciso dizer que chorei(sou chorona mesmo!).Deus te abençoe e a todos os seus leitores.Beijão.Te amo!

veronica disse...

eduardo, feliz natal. paz, saude e alegria.

Kadu disse...

Meu queridooo ...

Q nossos figados se regenerem sempre !!! Com resenhas regadas a muita cerveja ....
Ô Sorteee !!!

Estou em falta mas em breve apareço .

Abção ....

caíque disse...

Edu, Feliz Natal prá você e prá sua família. Um abração daqui da República dos Estados Unidos de Niterói.
Valeu, e Mengo na cabeça!
Caíque.

NADJA GROSSO disse...

Tantas palavras são repetidas todos os anos nesta época, tantos desejos de feliz natal são repetidos, mas de nada vai adiantar ficar repetindo frases de efeito se não deixarmos o menino Jesus nascer em nossos corações.De nada vale falar tantas coisas bonitas, se não tivermos essas coisas dentro de nós.O natal deve ser comemorado com alegria sim, mas acima de tudo deve ser comemorado com amor, amor primeiro a Jesus, e quase que em igualdade ao nosso semelhante.Precisamos esquecer um pouco do comércio que estão transformando o natal, e lembrarmos mais do filho de Deus, que é o aniversariante.
Desejo a voce um lindo, santo e feliz natal, junto com todos que voce ama, que o Filho de Deus, te cubra de bençãos, e te guie por todo seu caminho nesta vida.
Eu amo vocês. Beijos no coração. Tia Nadja