11.12.09

PRECONCEITO EM ESTADO BRUTO

PRAÇA SAENS PEÑA (leiam aqui e aqui) vai ser lançado hoje exclusivamente em um único cinema na Tijuca porque os "especialistas" (aspas de propósito) disseram que o título restringe o público aos moradores da Tijuca.

Nojento.

Fosse assim e CIDADE DE DEUS nem teria passado nos cinemas.

Tão nojento quanto nojenta foi a crítica (e aquilo não foi crítica, foi uma babaraheliodorada sem fundamento algum) feita pelo DJ Filipe Quintans (não confundam com Felipe Quintans, nosso Felipinho Cereal).

Até.

P.S.: atendendo sugestão de meu mano Bruno Ribeiro, eis aí, abaixo, a "crítica" (aspas também de propósito) do covarde "crítico" (idem) do JB (cliquem na imagem para lê-la ampliada). Eu não tenho nada a dizer sobre o que escreveu o DJ que assina a "crítica". Apenas que a Tijuca tem - por mais que contra isso lutem os que agem perniciosamente contra ela - importância o suficiente para que soe ridícula a última frase do troço. Bobo e principiante - e sem NENHUMA (com a ênfase szegeriana) autoridade -, franca e sinceramente, para dizer o mínimo, é... isso deixa para lá, como diria Stanislaw Ponte Preta (que adoraria o filme, diga-se!).

11 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

O que diz a crítica? Disponibilze-a! Rebata-a com a categoria tijucana que lhe é própria! Não deixe os detratores falarem sozinhos!

Eduardo Goldenberg disse...

Bruno, meu irmão: está já disponibilizada a desonestidade em forma de crítica, assinada por um DJ que eu conheço, já que freqüentava o ESTEPHANIO´S quando ainda estudava (salvo engano meu) cinema. O troço não merece rebate. É tão mal escrito, tão torpe, tão baixo e tão cheio de valores sem fundamento, que não merece mais do que eu já disse, no P.S. criado por sua causa. Um beijo.

Juliano disse...

Edu,
nunca ouvi falar neste indivíduo, mas tá na cara que é um babaca. Ainda não vi o filme, porém está claro que a crítica deste DJ é carregada de rancor.
Pau na canalha!
Abraço.

Carlos Andreazza disse...

Isso não é crítica de cinema. É vigarice pura.

João Carlos disse...

é exatamente isso, principalmente mau escrito. e na verdade, essa pseudo crítica sim é bobagem de principiante...

Sergio disse...

Uma gelada no bar do Chico pra quem adivinhar onde esse sujeito mora...

Felipinho disse...

É... Tinha um tal de Filipe Quintans que dava de DJ no Estephanios. Mas não conheço o caboclo e nem faz parte de minha família. O autêntico sou eu. :-)

Eduardo Goldenberg disse...

Juliano: o sujeito não é babaca, não. É bobo, apenas. Bobo, extremamente bobo - basta lê-lo. Um abraço.

Felipe Millem disse...

Salve Edu!
O que me deixou mais puto foi quando ele descambou da crítica cinematográfica para a crítica geográfica, agredindo grosseiramente, sem qualquer motivo, a Tijuca.
Ou será que o recado que ele quer passar é que somente se pode poetizar no Rio o eixo Ipanema/Leblon e as favelas?
Um fraterno abraço!

Eduardo Goldenberg disse...

Felipe: esse cara não passa recado, meu caro, ele passa atestado. Compreende?

Andrea disse...

Edu, não vi o filme, mas já está aqui agendado nas coisas que tenho que fazer. Critica é algo dificil de encarar. Quando boa dá nervoso. Quando ruim dá revolta.