31.1.10

REBOUÇAS: PORTA DE ENTRADA DO RIO?

O prefeito anti-carioca, Eduardo Paes, que fala besteira como quem respira, soltou mais essa:

Repitamos: "O Rebouças é a entrada do Rio, para o visitante que chega. O importante é que ele vai se tornar um túnel de uma cidade civilizada. Hoje, parece um túnel de uma cidade antiga.".

Não vou nem entrar no mérito de outra burrada solta no meio da frase do infeliz. Só uma besta, da cabeça à sola dos sapatos, para confundir conceitos como civilização e antigüidade - isso é assunto pra outro canto, não pra cá. Vamos ao que nos interessa, comecemos com um exemplo.

Bruno Ribeiro é carioca exilado em Campinas. Vez ou outra, vem ao Rio. É, portanto, turista. E NUNCA, pelo que me consta, atravessou o túnel Rebouças para precisar estar no Rio - refiro-me ao verdadeiro, ao Rio em estado bruto, ao Rio que eu amo.

O turista não precisa atravessar o túnel Rebouças para conhecer a cidade (como fez Roberta Sudbrack em recente safári, quando confundiu Madureira com a Jordânia). Não precisa mesmo. Já que estamos perto do Carnaval, e hoje é dia de Flamengo e Fluminense, vejamos.

O turista quer ir ao jogo, ver a torcida do Flamengo? Estádio do Maracanã, Tijuca, zona norte. Mais à noite quer ir assistir ao ensaio técnico da VILA ISABEL? Sambódromo, Catumbi, zona norte. À noite, quer encarar a melhor pizza do Rio de Janeiro? PIZZARIA DOM COSTA, rua do Matoso, Tijuca, zona norte. Prefere cozinha chinesa, a melhor do Brasil? HUAN LIAN, Tijuca, zona norte. Pela manhã, sol e água fresca sem as praias lotadas onde tudo é proibido pelo alcaide? Floresta da Tijuca e suas cachoeiras, ou o MONTANHA CLUBE e sua cachoeira particular, ambos na zona norte. Quer conhecer a quadra de uma escola de samba? Só na Tijuca e adjacências há o SALGUEIRO, o IMPÉRIO DA TIJUCA, a VILA ISABEL, a quadra da ESTÁCIO DE SÁ. Como diz Luiz Antonio Simas, está na Tijuca o maior pólo tecnológico do Rio de Janeiro: CEFET, a PETROBRAS, tudo numa rua só. E eu poderia ficar aqui, meus poucos mas fiéis leitores, desfiando as vantagens da zona norte e a mais absoluta desnecessidade de atravessar o Rebouças para conhecer o que há de melhor na cidade do Rio (para o lado de lá há pose, há pose, há pose).

Salve a Tijuca, o Catumbi, o Centro da cidade, o Bairro de Fátima, a Lapa, a Cinelândia, a Gamboa, São Cristóvão, Estácio, Grajaú, Alto da Boa Vista, Muda, Usina, Vila Isabel, salve o Méier, o Engenho de Dentro, o Engenho Novo, Madureira, Oswaldo Cruz, Andaraí, Benfica, o Cachambi, Del Castilho, Inhaúma, Bonsucesso, Bangu, Olaria... salve a zona norte, a zona forte da cidade!

Faz um troço, prefeito: descobre a porta de saída do Rio e vaza!

Até.

NEM MUDA NEM SAI DE CIMA

Como lhes contei aqui, desfilou ontem o NEM MUDA NEM SAI DE CIMA, na Tijuca, homenageando - merecidamente - Moacyr Luz. Bonito o desfile, bonito o que escreveu o enredo, hoje, em seu blog - aqui:

"Essa história de bloco deveria ser tratada com fichinhas tipo BA - BLOCOS ANÔNIMOS. A gente vicia na emoção que esse estatuto traz, perde e ganha amigos, rifa a alma pra conseguir comprar as camisas, convence um craque amigo de criar a estampa consagradora, jura que será a última vez que se mete nisso, mas quando a bateria cadencia, chora… O desfile desse ano do "Nem Muda Nem Sai de Cima" me deu nó na garganta. Fui o enredo. Acostumado a homenagear, fui pego de supresa na emoção, nasceu um riso na boca que só amenizou quando amanheci repetindo o último verso - "Cabô, meu pai, cabô…". O arredor desse estado todo é a cidade. As pessoas chegam de bairros distantes, ouso dizer que conheço todos. Vêm do Méier, Copacabana, Irajá, Baixada Fluminense. Uns deixaram o churrasco na birosca da esquina pra alimentar de canto o rio de gente que transborda à rua. Outros não quiseram se bronzear, cruzando o túnel que separa status pra abraçar a Muda com seus apêndices - Formiga e Borel. Vejo os ambulantes suados. Carregam gelo nas costas, abanam com a outra mão o braseiro de asinha e salsichão. Agora um latão é tres, dois é cinco! Os rolimãs numa ladeira tangeciam nossos corpos enquanto o carro de som cresce na microfonia do intérprete. Meus queridos Gabriel, Pedrinho e Guilherme gesticulam animados uma garrafa de maracujá. O mestre Capoeira pede atenção ao cavaco, vem aí a Bateria do Império da Tijuca. Mesmo longe da passarela, eu recuo. Na outra margem correm as caixas pro foguetório: só pode durar 30 segundos, ordem da prefeitura! Hoje tem corda no bloco protegendo os ritmistas. Sai a primeira estrofe, e, junto com as rimas, o primeiro morteiro… “Aplausos, pois o samba somos nós”. Não sou da Polícia Militar pra contabilizar o público. Acho que, feito a final de 50, o Rio de Janeiro compareceu. Basile e Lula subiram pra pedir à São Pedro que não chovesse, destino contínuo dos nossos desfiles, e o bloco saiu pela Garibaldi, itinerário tijucano que inclui um congestionamento da Conde de Bonfim. Percebi que tempo passou, 15 anos. As crianças que habitavam os primeiros enredos, hoje são pais de novos foliões. O coração permanece amarelo e vermelho, cores da nossa bandeira. Eu saí da Tijuca, mas a Tijuca não saiu de mim. Até a garça do Rio Maracanã me acenou. Só não fui à dispersão porque o coração engasgou na boca, os olhos molhados não enxergariam meus diretores pra agradecer. Juro que foi a última vez, mas a bateria cadencia, o peito acelera e…"

Ao lado de dois de meus afilhados - Felipe (no meu colo, na foto abaixo) e Helena - e com uma garrafa de Red Label no bolso, presente do Pavão, eu fiz a festa.

A lamentar, apenas, o fato de que não consegui comprar, e pela primeira vez em 15 anos, uma camisa do bloco. Não havia o meu tamanho...

Até.

NÃO FIQUE DE FORA DESSA!!!!!

Já são vinte e três vinte e cinco as camisas encomendas para o sensacional desfile (concentra mas não sai) do bloco NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS. Não fique fora dessa! Até leitores de São Paulo estão engrossando o cordão. Custam R$ 33,00 (trinta e três reais) e podem ser encomendadas por aqui.

Até.

30.1.10

2 de FEVEREIRO, DIA DE YEMANJÁ

Estamos aí, há poucos dias do dia 2 de fevereiro, dia de festa no mar, dia em que quero sempre ser um dos primeiros a salvar Yemanjá.

(a propósito... vocês já conhecem o site oficial do Caymmi? Imperdível, aqui)

Hoje, sábado, deixo com vocês, no balcão do BUTECO, RAINHA DO MAR, do próprio, na voz da Leci Brandão.

Até.

BOLETIM - NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS

Como vocês já estão carecas de saber - como eu e o homenageado - vejam aqui, nasceu dia desses, num buteco às margens do rio Maracanã, na Tijuca, o bloco carnavalesco NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, criado por fãs incondicionais da caneta, do coração e das idéias desse brasileiro máximo que é Luiz Antonio Simas, historiador maiúsculo, professor as 24 horas do dia, dono do melhor blog do Brasil, o HISTÓRIAS BRASILEIRAS.

Então é o seguinte, já que carnaval é isso também: furdunço - e é preciso termos em mente que a idéia surgiu de um lampejo luminoso! - e desorganização absoluta. Quem quiser, mesmo, a camiseta (notem que a camisa é Hering, de qualidade, portanto) é só mandar um e-mail para a direção do bloco, por aqui, de preferência avisando nos comentários a este texto que o pedido foi feito por e-mail, até mesmo para que o BUTECO tenha exata noção do sucesso da idéia. Basta um "EU QUERO UMA!", ou "EU QUERO DUAS!", por aí.

Todas as camisas são brancas e os tamanhos são P, M, G, XG e XXG (que é o meu caso, é claro). Para os casos expeciais, há tamanhos a partir dos 2 anos até o 5G, violentamente gigantesco! O problema - confesso - é o preço (mas o troço vale, o mito vale!). Cada camisa sai por R$ 33,00. Para quem for de fora do Rio, posso fazer de duas formas: envio através de SEDEX A COBRAR ou SEDEX normal, ao custo de R$ 30,70 (o que significa dizer que até 4 camisas podem ser enviadas a este custo, desde que para o mesmo endereço). Todas as tratativas neste sentido devem ser feitas pelo e-mail da direção do bloco, não esqueçam disso, este aqui.

A data do desfile já está definida, dentro do esquema concentra mas não sai. O NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS reunir-se-á no sábado, dia 06 de fevereiro de 2010, a partir das 15h, no BODE CHEIROSO, comovente espelunca na rua General Canabarro, na Tijuca, em frente ao antigo edifício da TELERJ.

O samba está sendo composto por diversas mãos. E o tema - o Diretor de Carnaval, ÁLVARO COSTA E SILVA rejeitou, peremptoriamente, a idéia de "enredo" - será "MANOELZINHO MOTTA, HONRA E GLÓRIA CARIOCA".

Até.

P.S. 1: já são, até o momento, vinte vinte e uma camisas encomendadas!

P.S. 2: as camisas até então encomendadas já estão à disposição de seus donos na livraria FOLHA SECA, na rua do Ouvidor 37, com exceção da de Julio Vellozo, já postada para São Paulo por SEDEX, e das da minha menina, de Renata Werneck e de Álvaro Costa e Silva, que serão entregues na próxima mensana;

P.S. 3: os pedidos devem ser feitos impreterivelmente por e-mail, aqui.

29.1.10

CENAS TIJUCANAS

No JB de amanhã, sábado (cliquem na imagem para ler a crônica)!

crônica publicada no JB de sábado, 30 de janeiro de 2010Até.

A VILA NA 28 DE SETEMBRO

Nenhum de nós, ali, bebeu com Nöel ou foi com ele ao bordel. Mas tínhamos todos a intenção, lúdica, imaginária e efetiva de estarmos próximos do poeta da Vila, da energia da VILA ISABEL, que promete fazer baixar o malandro na avenida no desfile de 2010. E ele baixou, meus poucos mas fiéis leitores, já no ensaio de quarta-feira passada na 28 de Setembro, coração do bairro. Encontrei-me com Luiz Antonio Simas, sua Candinha e Claudio Renato, diplomado naquelas pedras das calçadas musicais, morador da Praça Sete, por volta das 20h, no PETISCO DA VILA, na esquina da 28 com a Visconde de Abaeté, a fim de preparamos o músculo do lado esquerdo do peito pra pedrada que - sabíamos - estava por vir.

Luiz Antonio Simas, Candinha e Claudio Renato, PETISCO DA VILA, 27 de janeiro de 2010

Ficamos ali coisa de - o quê? - uma hora, uma hora e meia, até que a bateria começou a fazer barulho, sabem como?, aperta o couro daqui, afina a cuíca dali, esquenta os tamborins, que foi quando pedimos a conta e partimos pra avenida.

Encontrei uma porção de amigos, encontrei minha comadre, encontrei com a rapaziada do morro dos Macacos, do Pau da Bandeira, com a rapaziada que durante anos foi responsável pelo suingue do SEGURA PRA NÃO CAIR, bloco que mantive por 5 anos, entre 2001 e 2005, ali pertinho, na Vila mesmo, limite com a Tijuca.

Quando Tinga, puxador oficial da escola, começou a cantar "Tão bonita a nossa escola, é tão bom cantarolar...", foi difícil segurar a emoção. Quando a bateria, sob o comando do mestre Átila, entrou pra acompanhar o povo, foi ainda mais difícil. E foi impossível, meus poucos mas fiéis leitores, segurar o choro e a emoção quando milhares de vozes louvaram Nöel Rosa com o samba monumental de autoria do Martinho da Vila pro Carnaval de 2010.

Eu vi a Candinha chorando, eu vi o Simas com lágrimas nos olhos, eu vi o Claudio Renato indo chorar sozinho, na esquina mais próxima. E vi - e filmei! - o que eu havia lhes contado aqui que eu veria... "(...) os apartamentos dos prédios ficam todos acesos com gente na janela, bandeiras azuis e brancas tremulando nas mãos dos moradores orgulhosos e a energia da nossa Vila Isabel mexe com o coração do mais frio dos homens.".

Sou da Vila não tem jeito, comigo eu quero respeito que o meu negócio é sambar!

Com vocês, quatro vídeos feitos durante o furdunço, com destaque pro último, onde aparece um senhor, cabelos brancos, copo de cerveja no parapeito da janela, fazendo tremer dois pequenos pavilhões dessa gigantesca escola de samba!




Até.

BOLETIM - NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS

Conforme lhes contei aqui, nasceu dia desses, num buteco às margens do rio Maracanã, na Tijuca, evidentemente, o bloco carnavalesco NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, criado por fãs incondicionais da caneta, do coração e das idéias desse brasileiro máximo que é Luiz Antonio Simas, historiador maiúsculo, professor as 24 horas do dia, dono do melhor blog do Brasil, o HISTÓRIAS BRASILEIRAS.

Então é o seguinte, já que carnaval é isso também: furdunço - e é preciso termos em mente que a idéia surgiu de um lampejo luminoso! - e desorganização absoluta. Quem quiser, mesmo, a camiseta (notem que a camisa é Hering, de qualidade, portanto) é só mandar um e-mail para a direção do bloco, por aqui, de preferência avisando nos comentários a este texto que o pedido foi feito por e-mail, até mesmo para que o BUTECO tenha exata noção do sucesso da idéia. Basta um "EU QUERO UMA!", ou "EU QUERO DUAS!", por aí.

Todas as camisas são brancas e os tamanhos são P, M, G, XG e XXG (que é o meu caso, é claro). Para os casos expeciais, há tamanhos a partir dos 2 anos até o 5G, violentamente gigantesco! O problema - confesso - é o preço (mas o troço vale, o mito vale!). Cada camisa sai por R$ 33,00. Para quem for de fora do Rio, posso fazer de duas formas: envio através de SEDEX A COBRAR ou SEDEX normal, ao custo de R$ 30,70 por envelope plástico bolha (o que significa dizer que até 4 camisas podem ser enviadas a este custo, desde que para o mesmo endereço). Todas as tratativas neste sentido devem ser feitas pelo e-mail da direção do bloco, não esqueçam disso, este aqui.

A data do desfile já está definida, dentro do esquema concentra mas não sai. O NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS reunir-se-á no sábado, dia 06 de fevereiro de 2010, a partir das 15h, no BODE CHEIROSO, comovente espelunca na rua General Canabarro, na Tijuca, em frente ao antigo edifício da TELERJ.

O samba está sendo composto por diversas mãos. E o enredo, exigido pelo homenageado - "eu não abro mão disso, porra!", disse o gentil professor - será "MANOELZINHO MOTTA, HONRA E GLÓRIA CARIOCA".

Até.

P.S. 1: já são, até o momento, dezenove camisas encomendadas!

P.S. 2: as camisas até então encomendadas já estão à disposição de seus donos na livraria FOLHA SECA, na rua do Ouvidor 37, com exceção da de Julio Vellozo, já postada para São Paulo por SEDEX;

P.S. 3: os pedidos devem ser feitos impreterivelmente por e-mail, aqui.

CONTINUAM AS VENDAS DAS CAMISAS DO "NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS"

Conforme lhes contei aqui, nasceu ontem pela manhã, num buteco às margens do rio Maracanã, na Tijuca, evidentemente, o bloco carnavalesco NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, criado por fãs incondicionais da caneta, do coração e das idéias desse brasileiro máximo que é Luiz Antonio Simas, historiador maiúsculo, professor as 24 horas do dia, dono do melhor blog do Brasil, o HISTÓRIAS BRASILEIRAS. Em questão de segundos Lucio Lemos, um dos fãs do bardo, criou o símbolo do bloco. Eu, que não sou besta, mandei fazer, ontem mesmo, a primeira camisa do NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, vejam aí na imagem abaixo (em transfer, que era o único método que poderia ser feito na hora). E o lance é o seguinte, meus poucos mas fiéis leitores: minha caixa de e-mails, para me valer da expressão quase-chula, bombou. Gente de tudo quanto é canto me pedindo informações sobre o bloco, data dos ensaios, do desfile, perguntando sobre o enredo e o escambau.

Então é o seguinte, já que carnaval é isso também: furdunço - e é preciso termos em mente que a idéia surgiu de um lampejo luminoso! - e desorganização absoluta. Quem quiser, mesmo, a camiseta (notem que a camisa é Hering, de qualidade, portanto) é só mandar um e-mail para a direção do bloco, por aqui, de preferência avisando nos comentários a este texto que o pedido foi feito por e-mail, até mesmo para que o BUTECO tenha exata noção do sucesso da idéia. Basta um "EU QUERO UMA!", ou "EU QUERO DUAS!", por aí.

Todas as camisas são brancas e os tamanhos são P, M, G, XG e XXG (que é o meu caso, é claro). Para os casos expeciais, há tamanhos a partir dos 2 anos até o 5G, violentamente gigantesco! O problema - confesso - é o preço (mas o troço vale, o mito vale!). Cada camisa sai por R$ 33,00. Para quem for de fora do Rio, posso fazer de duas formas: envio através de SEDEX A COBRAR ou SEDEX normal, ao custo de R$ 30,70 por envelope plástico bolha (o que significa dizer que até 4 camisas podem ser enviadas a este custo, desde que para o mesmo endereço). Todas as tratativas neste sentido devem ser feitas pelo e-mail da direção do bloco, não esqueçam disso, este aqui.

Por força do tempo exíguo, não vai haver ensaio (salvo segunda ordem). A data do desfile ainda não está definida, mas sabe-se que o troço vai seguir o lema concentra mas não sai. O enredo é que está rendendo...

Há diversas sugestões: "Heróis, Canalhas, Vendilhões, Mártires, Santos, Generais, Guerrilheiros, Malandros, Prostitutas, Foliões, Macumbeiros, Beatas, Imperadores, Presidentes, Assassinos, Suicidas, Santos, Proxenetas, Sambistas e Jogadores de Futebol, e o Arrebol no Quintal do Simas", "A Cozinha Fantástica de Roberta Sudbrack, seus Legumes, Frutas e Peixes Falantes e Dançarinos", "A Mulata Aba Dá", "Quando eu Ficar Assim Morrendo Após o Porre, Maracanã meu Rio, Corre e me Socorre" e outros bichos. A conferir o que vai vingar.

Até.

P.S. 1: já são, até o momento, oito doze treze catorze camisas encomendadas!

P.S. 2: forte rumores dão conta de que o desfile (a concentração!) do bloco acontecerá no próximo domingo, 07 de fevereiro, em local ainda a ser definido. Peçam logo suas camisas!

P.S. 3: caso você faça seu pedido e comprove o pagamento até às 12h de hoje, sexta-feira, sua camisa será entregue ou postada hoje mesmo. Para quem é do Rio, as camisas estarão disponíveis a partir das 15h na livraria FOLHA SECA, na rua do Ouvidor 37.

P.S. 4: os pedidos devem ser feitos impreterivelmente por e-mail, aqui.

15 ANOS DO NEM MUDA

Amanhã, 30 de janeiro, acontece o desfile do NEM MUDA NEM SAI DE CIMA (não confundir com o NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS), com concentração a partir das 16h, na rua Garibaldi, na Tijuca. Desfilo no NEM MUDA desde sua fundação, há 15 anos. Fui o autor, em parceria com Edmundo Souto, do samba do bloco no ano de 1999, quando o enredo foi Paulo Emílio da Costa Leite, primeira vez, aliás, que o vermelho-e-amarelo da Tijuca desfilou com enredo definido, samba que foi defendido nas eliminatórias, e no dia do desfile, pelo Paulinho Mocidade. Estar entre os autores dos sambas do NEM MUDA só aumenta minha ligação com o furdunço. O homenageado desse ano de 2010 é - mais-que-merecidamente - Moacyr Luz, um dos fundadores do bloco, ao lado de diversos amigos ali da área. Compositor de mão cheia, o Moacyr merece - friso - a homenagem. E eu lá estarei, desde cedo, pra manter a tradição. Aviso aos navegantes: fui presentado pelo Pavão, dia desses, com uma ampola de Red Label, meu uísque do dia-a-dia. Pretendo chegar ao BAR DO PAVÃO, na esquina da Xavier de Brito com a Otávio Kelly, por volta das três da tarde, por aí, pra começar a dar tratos à bola. Serão vocês, meus poucos mas fiéis leitores, muito bem chegados no pedaço e na divisão do malte.

NEM MUDA NEM SAI DE CIMA, 2010

E não se esqueçam: estão à venda as camisetas do NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, uma homenagem ao autor do melhor blog do Brasil, Luiz Antonio Simas. Aqui!

Até.

OS PAGADORES DE IMPOSTOS

Os membros do grupelho GRUPO GRANDE TIJUCA (que pisa, cospe, estupra o bairro mais bacana da cidade) só pensam nisso - pagamos nossos impostos, pagamos nossos impostos, pagamos nossos impostos...

Até para reclamarem da mais-que-aprazível praça Xavier de Brito - onde só eles vêem defeito! - se valem do jargão insuportável, brandindo o carnê-leão imaginário.

carta publicada no O GLOBO TIJUCA de 28 de janeiro de 2010

Até.

28.1.10

CAMISAS DO "NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS"

Conforme lhes contei aqui, nasceu hoje pela manhã, num buteco às margens do rio Maracanã, na Tijuca, evidentemente, o bloco carnavalesco NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, criado por fãs incondicionais da caneta, do coração e das idéias desse brasileiro máximo que é Luiz Antonio Simas, historiador maiúsculo, professor as 24 horas do dia, dono do melhor blog do Brasil, o HISTÓRIAS BRASILEIRAS. Em questão de segundos Lucio Lemos, um dos fãs do bardo, criou o símbolo do bloco valendo-se de caricatura do homenageado de autoria do Stocker. Eu, que não sou besta, mandei fazer, hoje mesmo, a primeira camisa do NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, vejam aí na imagem abaixo (em transfer, que era o único método que poderia ser feito na hora). E o lance é o seguinte, meus poucos mas fiéis leitores: minha caixa de e-mails, para me valer da expressão quase-chula, bombou. Gente de tudo quanto é canto me pedindo informações sobre o bloco, data dos ensaios, do desfile, perguntando sobre o enredo e o escambau.

Então é o seguinte, já que carnaval é isso também: furdunço - e é preciso termos em mente que a idéia surgiu de um lampejo luminoso! - e desorganização absoluta. Quem quiser, mesmo, a camiseta (notem que a camisa é Hering, de qualidade, portanto) é só mandar um e-mail para a direção do bloco, por aqui, de preferência avisando nos comentários a este texto que o pedido foi feito por e-mail, até mesmo para que o BUTECO tenha exata noção do sucesso da idéia. Basta um "EU QUERO UMA!", ou "EU QUERO DUAS!", por aí.

Todas as camisas são brancas e os tamanhos são P, M, G, XG e XXG (que é o meu caso, é claro). Para os casos expeciais, há tamanhos a partir dos 2 anos até o 5G, violentamente gigantesco! O problema - confesso - é o preço (mas o troço vale, o mito vale!). Cada camisa sai por R$ 33,00. Para quem for de fora do Rio, posso fazer de duas formas: envio através de SEDEX A COBRAR ou SEDEX normal, ao custo de R$ 30,70 por envelope plástico bolha (o que significa dizer que até 4 camisas podem ser enviadas a este custo, desde que para o mesmo endereço). Todas as tratativas neste sentido devem ser feitas pelo e-mail da direção do bloco, não esqueçam disso, este aqui.

Por força do tempo exíguo, não vai haver ensaio (salvo segunda ordem). A data do desfile ainda não está definida, mas sabe-se que o troço vai seguir o lema concentra mas não sai. O enredo é que está rendendo...

Há diversas sugestões: "Heróis, Canalhas, Vendilhões, Mártires, Santos, Generais, Guerrilheiros, Malandros, Prostitutas, Foliões, Macumbeiros, Beatas, Imperadores, Presidentes, Assassinos, Suicidas, Santos, Proxenetas, Sambistas e Jogadores de Futebol, e o Arrebol no Quintal do Simas", "A Cozinha Fantástica de Roberta Sudbrack, seus Legumes, Frutas e Peixes Falantes e Dançarinos", "A Mulata Aba Dá", "Quando eu Ficar Assim Morrendo Após o Porre, Maracanã meu Rio, Corre e me Socorre" e outros bichos. A conferir o que vai vingar.

Até.

P.S.: já são, até o momento, oito doze camisas encomendadas!

NOVO BLOCO TIJUCANO

Acaba de nascer, de um lampejo genial que fez tremer o balcão de um buteco às margens do rio Maracanã, mais um bloco carioca, precisamente tijucano: o NEM MUDA NEM SAI DO SIMAS, composto por fãs incondicionais de Luiz Antonio Simas e por leitores aficcionados de seu blog, o melhor do Brasil, o HISTÓRIAS BRASILEIRAS. Abaixo, o pavilhão do bloco, criado por Lucio Lemos, freqüentador do buteco-nascedouro do furdunço!

Até.

27.1.10

VILA ISABEL NA 28 DE SETEMBRO

A UNIDOS DE VILA ISABEL tem um troço invejável. A escola é o bairro, o bairro é a escola e quando a azul-e-branco desce pra ensaiar no boulevard 28 de Setembro o que se vê é bonito - e comovente - demais. A escola se concentra em frente ao PETISCO DA VILA (na esquina da Visconde de Abaeté), a 28 de Setembro se transforma num mar de gente, os apartamentos dos prédios ficam todos acesos com gente na janela, bandeiras azuis e brancas tremulando nas mãos dos moradores orgulhosos e a energia da nossa Vila Isabel mexe com o coração do mais frio dos homens. Hoje tem Flamengo no Maracanã, às 19h30min, contra o Americano. Mas às 20h tem ensaio de rua na Vila. E é pra lá que eu vou! Ficam vocês, meus poucos mas fiéis leitores, desde já avisados e devidamente convocados pro furdunço.

Até.

MARTINHO DA VILA NO SEGURA

Vamos mudar o rumo da prosa com relação ao imbróglio Martinho da Vila (aqui) já que não vamos, mesmo, chegar a lugar nenhum. Ainda mais depois que o troço descamba - como tem sido costumeiro aqui no BUTECO - pro deboche. Quero hoje lhes contar sobre outra história, também envolvendo o caboclo Martinho José Ferreira, vinho das melhores pipas.

Organizei, junto com diversos amigos, entre 2001 e 2005, o bloco SEGURA PRA NÃO CAIR que - sem modéstia alguma - mostrou ao que veio. Em 2001 homenageamos Noel Rosa. Em 2002, Beth Carvalho. Em 2003, Martinho da Vila, em 2004, Aldir Blanc e em 2005, João Bosco. Todos os homenageados, incluindo Noel, se fizeram presentes não apenas nos ensaios, mas nos desfiles também. Nos cinco anos de desfile, a nos acompanhar, a bateria da UNIDOS DE VILA ISABEL comandada pelo Mestre Mug - sendo que no último ano - tomem nota, tomem nota! - a bateria veio com mais de 50 integrantes!

Aqui, neste texto de 2005, conto um bocado da história do bloco. Bloco que, diga-se, não morreu, apenas deixou de desfilar (e pra bom entendedor, meia-palavra basta). Sua bandeira, confeccionada pelas mesmas mãos que confeccionam estandartes e bandeiras das maiores escolas do Rio de Janeiro, está plantada, como assentamento, no buteco que mantenho em casa. Depois do sucesso de 2005, quando mais de 5 mil pessoas se espremeram pelas pequenas ruas de Vila Isabel (o trajeto era saindo da Ribeiro Guimarães, dobrando à esquerda na Dona Maria, à esquerda na Almirante João Cândido Brasil e novamente à esquerda na rua dos Artistas), foi impossível continuar com o furdunço. Mas valeu - quero repetir. Foram cinco desfiles emocionantes, empolgantes, sob o melhor regime para os blocos de carnaval: a ditadura absoluta no que pertine à "escolha" do samba. Nos cinco anos o samba foi da mesmíssima parceria: eu, Edmundo Souto, Mariana Blanc e Fernando de Lima (a mesmíssima parceria que ganhou, por seis anos seguidos, o carnaval do BARBAS).

Em 2003 nosso homenageado foi o Martinho. E é sobre isso que quero lhes contar.

Na foto abaixo, Fernando de Lima, Edmundo Souto, Martinho da Vila, esse que vos escreve e, no canto à direita, Gabriel Cavalcante.

Fernando de Lima, Edmundo Souto, Martinho da Vila e Eduardo Goldenberg, tendo ao fundo, à direita, Gabriel Cavalcante

Em novembro de 2002 fui à casa do Martinho, ainda numa vila em Vila Isabel, convidá-lo pessoalmente para o desfile do SEGURA, para lhe contar sobre nossa pretensão. Derrubamos, naquela noite, uma garrafa de Black Label. E o Martinho, devagar, devagarinho, foi deixando de lado a timidez e a modéstia do começo da conversa para depois aceitar, orgulhoso, a homenagem que lhe prestaríamos.

E quero lhes dar o testemunho: Martinho foi, do princípio ao fim, um homem rigorosamente simples e acessível. Foi à quadra da escola quando o jornal O GLOBO TIJUCA marcou uma fotografia para a capa de uma de suas edições. Foi a um dos ensaios do bloco, quando cantou por mais de uma hora, acompanhado pelos músicos que, graciosamente, pintavam na área. E foi ao desfile, quando também cantou, antes do bloco sair, diversos de seus sambas de enredo.

Terminado o desfile do bloco, Martinho sentou-se no ESTEPHANIO´S, bar que ficava na esquina da Ribeiro Guimarães com Artistas, e autografou camisas, discos, posou para fotografias, sempre com aquele sorriso que o caracteriza estampado no rosto.

Tenho - faço a confissão pública - uma tremenda saudade do SEGURA, um genuíno bloco carioca: sem a papagaiada da escolha de samba, sem cordão de isolamento, sem patrocínio castrador e sem a pretensão de abafar ninguém.

Até.

26.1.10

QUATRO MESES DE GOOGLE ANALYTICS

Desde que li as detalhadíssimas estatísticas de visitação no blog da Vanessa Dantas - aqui -, no dia 25 de setembro de 2009 - prato cheio para um obsessivo como eu -, passei a fazer parte dos blogs controlados pelo inacreditável GOOGLE ANALYITCS, sistema que disponibiliza uma quantidade absurda de informações que podem ser, muitas vezes, úteis para quem tem um blog.

Logo, ontem, 25 de janeiro, amealhei as estatísticas de quatro meses de visitação ao BUTECO, e passo a dividi-las com vocês, num exercício não apenas de registro mas também de curiosidade e de certa vaidade (lembrem-se de que em 26 de novembro de 2009 publiquei as estatísticas de dois meses, aqui!).

Vale dizer, antes, que tenho hoje três controladores de visitas ao BUTECO e que variam pouquíssimo com relação aos números que apresentam. O SITEMETER desde 18 de janeiro de 2005, o EXTREME TRACKING desde 02 de fevereiro de 2006 e, agora, o GOOGLE ANALYTICS desde 25 de setembro de 2009 (repito, o mais completo e detalhado).

Foram 55.372 visitas em quatro meses (25.878 em 02 meses), sendo 25.435 visitantes absolutos (12.527 em 02 meses) - ou únicos - e 79.985 exibições de página (foram 36.705 em 02 meses).

Essas 55.372 visitas vieram de 80 países diferentes (em 02 meses, eram 66 os países). A predominância absoluta, é claro, é do Brasil, com 93,50% das visitas (eram 93,57% em 02 meses), seguido de Portugal (2,41% contra 2,18%), Estados Unidos (1,70% contra 1,78%), Japão (0,28% contra 0,36%), Reino Unido (0,25% contra 0,22%), Dinamarca (0,21% contra 0,20%), França (mantidos 0,16%), Espanha (0,16% contra 0,14%), Angola (0,15% contra 0,13%) e Alemanha, com 0,13%, ultrapassando o Canadá.

Essas mesmas 55.372 visitas vieram de 976 cidades (em 02 meses, eram 680 as cidades ). A predominância absoluta, é claro também, é do Rio de Janeiro, com 46,68% das visitas (eram 46,11% em 02 meses), seguido de São Paulo (14,19% contra 14,97%), Campinas (3,81% contra 3,84%), Belo Horizonte (2,40% contra 2,39%), Salvador (2,30% contra 2,15%), Brasília (1,80% contra 1,92%), Nova Iguaçu com 1,48% (pulando da décima posição com 1,09% para a sétima), Curitiba (1,47% contra 1,72%), Niterói (1,31% contra 1,56%) e Vitória (1,16% contra 1,47%).

Entre as cidades do exterior, Lisboa (13a. mais visitada, antes era a 15a.) sai na frente com 0,82% das visitas (antes era 0,74%), seguida do Porto (25a. mais visitada com 0,33%, antes era a 28a. mais visitada com 0,31%), Jefferson County (0,30% na 29. colocação, não tendo aparecido na primeira apuração, aos 02 meses), Nova York (passou da 30a. posição para a 36a., antes com 0,29% e agora com 0,23%), Viseu (ainda na 39a. colocação com 0,21% contra 0,20%) e Copenhagen (na 41a. com 0,20%, antes em 40a. posição com 0,18% das visitas).

Eram 54,67% leitores fiéis e 45,33% novos visitantes. Agora são 55,43% contra 44,57%.

18,66% do universo de visitas chegam aqui digitando www.butecodoedu.blogspot.com, direto, sem necessidade de qualquer link dirigido para o BUTECO.

39,32% de todas visitas chegam aqui clicando em links de diversos sites (em sua maioria, blogs). Vamos aos números.

14,95% vem do BOTEQUIM DO BRUNO, do meu mano Bruno Ribeiro, de Campinas, o que explica bem a forte visitação que vem de lá. O TWITTER manda 11,27% das visitas; 11% vem por conta de busca de imagens no GOOGLE, dirigidas pra cá. 9,54% chegam por conta do HISTÓRIAS BRASILEIRAS (blog do Simas) e 5,91% graças ao SAMBA, BOEMIA E VAGABUNDOS do Eduardo Carvalho. 5,51% graças ao HISTÓRIAS DO BRASIL (antigo blog do Simas), 3,05% através do FACEBOOK, 2,81% através do ANHANGUERA, do Favela, 1,88% por conta do BOEMIA E NOSTALGIA do Felipinho e 1,81% do QUEM É VIVO SEMPRE APARECE, do José Sergio Rocha.

Era isso, apenas.

Feito o registro, encerro.

Até.

EGO DO BUTECO

O podre, o inconcebível, o inacreditável e insuperável site EGO, lixo em forma de revista de fofoca hospedada nos domínios da GLOBO.COM (onde mais?, onde mais?, onde mais?) publicou hoje, 26 de janeiro de 2010, uma notícia (desde quando essa bosta é notícia?) envolvendo a ... (não sei o que ela faz...) Fabiana Karla. O tal site conta que "Fabiana Karla se esconde atrás de Angélica com medo de ema". É ou não é uma tremenda notícia? (vejam aqui).

O EGO DO BUTECO, que mantém seu compromisso de lançar luzes sobre gente infinitamente mais interessante que a gente exibida pelo tal site, também exibe, hoje, em furo de imagem, uma celebridade de verdade que, tal e qual Fabiana Karla, também tentou se esconder, só que no colo do pai, de um outro bicho (não exatamente uma ema, egresso de Niterói - e em extinção! - que a assustava.

20/01/10 - 19h16min

Flagrado dando uma narigada na barriguinha de Felipe, durante a festa do padroeiro na rua do Ouvidor, José Sergio Rocha exibe todo seu talento para lidar com os petizes cariocas.


"Liga não, filhão, a dinda está é ficando esclerosada e está só tentando fazer um carinho em você", brincou Flávio, o pai de Felipe, para assombro dos passantes.

NOSSOS HOMENS PÚBLICOS

O ex-prefeito da cidade, César Maia, chefe da quadrilha que comandou a construção de um elefante branco na Barra da Tijuca que custou aos cofres públicos mais de meio bilhão de reais - pra não dizer mais - , pai de Rodrigo Maia, escroque líder do DEM, iguala-se a Garotinho, ex-governador do Rio de Janeiro que mantém um programa supostamente religioso, asqueroso, na FM 97,3 Mhz, valendo-se em vão do nome de Deus com fins eleitoreiros.

Já passou da hora da reação contra essa canalha ser mais firme - como bem disse, em recente entrevista, Joaquim Barbosa, do STF.

Até.

NOËL: PRESENÇA DO POETA NA VILA


PROJETO LUZ NA SUDBRACK

Depois disso...

Isso...

Até.

O IMBRÓGLIO MARTINHO DA VILA

Vocês que me lêem sabem que o couro comeu, que a cuíca roncou, que o pau quebrou quando publiquei, em 22 de janeiro, o texo SALVE MARTINHO DA VILA, aqui. Até o momento foram 54 comentários, tiro pra tudo o que é lado, copos e talheres feito pipa voando, muita gasolina na fogueira, gente disparando extintores de pó químico sobre o balcão, um furdunço sem precedentes no BUTECO e que obrigou a exercer, como nunda dantes, o papel de gerente-pacificador do estabelecimento. Ocorre que ontem à noite, no balcão do SAMBAS, BOEMIA E VAGABUNDOS, do Eduardo Carvalho, o Claudio Renato, com autoridade pra falar sobre o assunto que deu início à confusão (o caboclo é velha-guarda, cascudo em Vila Isabel e amigo pessoal do Martinho) - o samba de 2010 da VILA ISABEL -, provou, em dez itens, que o buraco é mais fundo que a camada do pré-sal. Peço, com respeito a dois de meus poucos mas fiéis leitores, Carlos Andreazza e Marcelo Moutinho, implacáveis com o autor do samba vencedor da escola em 2010, que leiam com atenção o que diz o Claudio Renato a fim de que entendam, definitivamente, de que lado está Martinho José Ferreira. Vamos ao que nos disse, em síntese, o Claudio Renato:

01) Martinho da Vila tem (sempre teve) asco do Moisés, presidente da escola, por considerar que este transformou a UNIDOS DE VILA ISABEL em um feudo. A ponto de não mais pisar espontaneamente na quadra. Martinho perdeu, em disputas, diversas vezes, para sambas horrorosos feitos por oito, dez compositores do mesmo grupo do Moisés. Jamais entendeu isso. Martinho não acredita em samba feito por mais de três compositores;

02) um belo dia, no começo de 2009, Martinho recebe, em sua casa, um telefonema do Moisés, informando que pretendia fazer dele, Martinho da Vila, o enredo. Uma armadilha, no centenário de Noel Rosa, que Martinho demorou algumas horas para detectar. Já se sabia que ele viria com um samba muito forte, se o enredo fosse Noel Rosa. No mundo do samba, as informações correm numa velocidade espantosa;

03) registre-se que um samba vencedor pode render aos autores até R$ 300.000,00 (trezentos mil reais). Ninguém queria perder a boquinha, nem o presidente. E Martinho seria pule de dez caso o enredo fosse Noel Rosa;

04) em seguida, Martinho disse a Moisés que se sentia lisonjeado, mas que achava que a VILA ISABEL não poderia cometer o mesmo equívoco da Mangueira, que, no ano do centenário de Cartola rendera homenagens aos 100 anos... do frevo!!! Martinho encontrou-se, então, com o jornalista João Máximo, co-autor da biografia de Noel Rosa, e o levou para a escola;

05) a princípio ficou combinado, numa espécie de pré-acordo, que o enredo seria mesmo Noel Rosa e que o Martinho responderia exclusivamente pelo enredo, sem compor samba para a disputa. Ao contrário do que se pensa, tudo o que o presidente queria era que Martinho ficasse fora de tudo (enredo, samba-enredo etc) para que, mais uma vez, o mesmíssimo grupo, que vinha, há anos, abocanhando o samba da escola, fosse responsável pelo hino da VILA ISABEL em 2010;

06) Martinho, entretanto, não assinou nada, não comprometeu-se com nada, nem sim, nem não - sabem como? E apresentou sua obra-prima pouco depois. E de cara, como de praxe, empolgou;

07) na sinopse de seu samba, Martinho diz que o samba-enredo se basearia em outro samba, composto por ele e por Gracia do Salgueiro. Ele mudou partes importantes da letra e fez uma melodia completamente diferente. Só com muita má vontade não se reconhece isso. E isso causou profundo mal estar no establishment da escola;

08) os demais compositores, muitos deles componentes do chamado "escritório" (quem é do ramo sabe do que estou falando), dizem que não se inscreveram para não disputar com Martinho da Vila. Segundo consta, eles na verdade puseram nome de laranjas - mas disputaram. E se uniriam, todos, na grande final, no dia da escolha do samba-enredo, contra Martinho da Vila, que teve que cancelar uma viagem, ir à quadra e (ele mesmo) defender o samba para garantir a vitória. Quem estava na quadra garante: foi um delírio só;

09) Martinho pretende fazer uma homenagem a Gracia, reconhece o parceiro do samba que deu origem ao samba-enredo mas, na verdade, o samba de 2010 é dele (embora o nome do compositor de Gracia do Salgueiro esteja citado na sinopse). Sobre parcerias em samba-enredo, sugiro a leitura do livro que será lançado no dia 03 de fevereiro, de Alberto Mussa e Luiz Antonio Simas;

10) o ódio ao Martinho, por determinados setores minoritários mas poderosos da escola, é tão grande, tão grande, que uma pessoa muitíssimo chegada a ele chegou a dizer: "Você só não é assassinado porque é o Martinho, um homem de projeção internacional.".

Leiam o belíssimo texto do Eduardo Carvalho em homenagem a Martinho da Vila, aqui.

Até.

25.1.10

RAÍZES DA TIJUCA 2010

O RAÍZES DA TIJUCA, fundado há pouco mais de 10 anos, desfilará em 2010 com um samba de autoria de Ricardo Crô, morador do SALGUEIRO, raiz do bloco, em parceria com meu filho, Tiago Prata, que renega o quanto pode o próprio pai (isso deixa para lá, como diz o samba, vai passar).

Basta clicar aqui para fazer o download do samba (muito bom, o samba, muito bom!) e ouvi-lo aqui mesmo, no BUTECO - o puxador não ajuda, mas ei-lo:

Até.

MARVADA PINGA

Um de meus poucos mas fiéis leitores, o Reynaldo Carvalho, a quem não conheço pessoalmente, transcreveu, aqui, a letra de MARVADA PINGA, tremendo sucesso na voz de Inezita Barroso. Sonia Rebelo, querida minha, moradora de São Pedro d´Aldeia (e para minha surpresa também leitora do BUTECO!), mandou, dias depois, no FACEBOOK. vejam aqui, o seguinte: "Seu amigo Reynaldo Carvalho escreveu a letra de uma música de Inezita barroso que eu ouvia nas rádios de São Paulo há mais de 50 anos. Adorei ver que alguém ainda se lembra dela.". São as teias da grande rede, juntando gente e ajudando a dividir emoções, troço fundamental pra que sigamos em frente, mais inteiros e mais felizes.

Hoje, em homenagem a meu velho e amado pai, que faz anos, e também em homenagem ao Reynaldo e à Sônia (dê um abraço no Arnaldo, querida!), MARVADA PINGA, com Inezita Barroso!!!

Até.

24.1.10

O FIM DA CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL

"Sou macaco velho
manjo de cumbuca
Eis o meu segredo
como mestre-cuca"


(Moacyr Luz / Aldir Blanc)

capa do livro BOM PRA CACHORRO - GASTRONOMIA CANINA, de Roberta SudbrackAté.

VAMOS DAR NOTAS ÀS RUAS DO RIO?

Os chatos, insuportavelmente chatos do GRUPO GRANDE TIJUCA, todos eles cidadãos de bem e pagadores de impostos - "homens de bem", como nos ensinou Bruno Ribeiro, vejam aqui -, pentelhos e neo-fascistas que cospem, pisam e vomitam sobre o bairro da Tijuca, o bairro mais bacana da cidade do Rio de Janeiro (vejam abaixo a beleza de um final de tarde tijucano pela lente de meu dileto amigo Marcelo Vidal) propuseram em seu tétrico blog - um circo de horrores - o seguinte: "Vamos dar notas de 1 a 10 às ruas.". E passaram, os membros do grupelho, a fazê-lo, distribuindo notas 1, 2, zeros em profusão. E por que? Porque são chatos, insuportavelmente chatos, e não têm olhos de ver.

foto de Marcelo Vidal

O BUTECO, que acha a Tijuca o que há de melhor, vai embarcar na onda do grupelho e também dará notas de 1 a 10 para algumas das ruas tijucanas. Vamos lá (proponho que vocês façam o mesmo com as ruas das suas cidades, aqui no BUTECO mesmo ou lá no blog deles (aqui)... Assim, fomentamos a visitação do CITY TOUR DA DESORDEM URBANA, que é baixíssima (pelo nome vocês percebem a patologia do grupelho), e mostramos a essa gente que a coisa não é exatamente como eles pensam. Vamos lá.

RUA HADDOCK LOBO - a melhor rua do bairro. Começa no Largo da Segunda-Feira e vai até o começo do Estácio. Tem dezenas de bares sensacionais (COLUMBINHA, ESTUDANTIL, BAR DO MARRECO, só pra citar alguns), vários açougues de rua com açougueiros de verdade (não me refiro aos péssimos açougues dos supermercados), floriculturas, depósitos de gelo e bebidas, padarias, supermercados, jornaleiros, motéis, hotéis, vários clubes (MUNICIPAL, AABB, CASA DA VILA DA FEIRA E TERRAS DE SANTA MARIA), a igreja dos Capuchinhos e vamos parar por aqui para não humilharmos as demais: NOTA 10

RUA DO MATOSO - pau a pau com a Haddock Lobo, a rua do Matoso é um resumo do Brasil. É a preferida de meu compadre Leo Boechat. É onde mora uma de minhas poucas mas fiéis leitores, a Olga. Onde fica o MUNDIAL, o melhor supermercado do mundo. Bares portentosos como o MATOSINHO, o GONZAGUINHA, o TRÁS OS MONTES, tem loja de apostas do JOCKEY CLUB, um motel, um aviário, uma loja de macumba, a pizzaria DOM COSTA, o melhor galeto da cidade, o REX, a QUITANDA ABRONHENSE, e vamos parar por aqui para não humilharmos as demais: NOTA 9,9

RUA BARÃO DE IGUATEMI - outro xodó do Leo Boechat. É onde fica o ALMARA, um buteco - tomem nota!, tomem nota! - onde a Brahma gelada custa R$ 2,60!!!!! É onde fica o ACONCHEGO CARIOCA, o BAR DA FRENTE e o PETIT PAULETTE. É nascedouro da feira da Vicente Licínio, aos domingos. Tem um motel, o MÁLAGA, uma marmoraria (nem em Carrara, na Itália, você encontra o que encontra lá), uma delegacia e é onde fica a associação religiosa israelita CHEVRA KADICHA, cujo principal objetivo é prover o sepultamento aos membros da comunidade judaica. Sensacional: NOTA 9,8

RUA CARUSO - a rua com a maior concentração de construções no estilo art déco do Brasil, com destaque para o EDIFÍCIO ALEX. Pequeníssima (começa na Doutor Satamini e termina na Haddock Lobo), é onde fica o BAR DO MARRECO, na esquina com a Haddock Lobo. Tem uma academia de ginástica, é onde mora o seu Brasil, legendário personagem do bairro, é de paralelepípedos e um dos tesouros da Tijuca: NOTA 9

Fico por aqui. E volto ao tema.

Divirtam-se.

Até.

23.1.10

LUZ NA SUDBRACK

O sujeito se propõe a escrever um texto em homenagem à cidade do Rio de Janeiro (com outros objetivos, com outros objetivos!).

E me sai com essa.

Um doce pra quem adivinhar de quem é a frase.

Vocês já sabem, é claro.

Vejam, entretanto - disso vocês não devem saber, mas o BUTECO expõe o troço no balcão para deleite coletivo - o que aconteceu, há pouco, no TWITTER, ou seja, três dias depois da inexplicável citação feita no texto cujo trecho está em destaque, acima:



E ele vai conseguir seu objetivo, incansável que ele é, tomem nota (tomem nota, diga-se, a título meramente de exercício de observação do comportamento alheio, troço que me diverte intensamente - não por conta da importância da coisa, que é nenhuma).

Até.

O SHOW DE BENITO DI PAULA

Ontem, como vocês que me lêem sabem, fomos ao show do Benito di Paula na CHURRASCARIA GAÚCHA, em Laranjeiras. A mesa era composta, pela ordem de formação, por mim, pela Sônia, pelo Fefê, pela Lina, pelo Dudu Sarmento, pelo Moutinho, pela Flávia e pelo Felipinho. Este último, na companhia de um amigo cujo nome não me recordo (sequer fui apresentado, acredito) - e com o auxílio deste -, protagonizou cenas de histeria estudada, caricata e desqualificada e que, esbarrando na mais absoluta falta de educação, quase me fez quebrar tudo - mas me comportei, quero lhes dizer. Feito o intróito polemista, em frente.

Graças à gentileza de Rodrigo Pian, que cedeu os ingressos para a promoção - vejam aqui -, a mesa do BUTECO assistiu a um grande, monumental, fabuloso espetáculo, na mais ampla e generosa acepção da palavra.

Por conta da chuva torrencial que desabou sobre a cidade - Oya está danada! - o show, marcado pra começar às 22h, só teve início às 23h30min, o que não deixou de ser fabuloso. Tivemos tempo de sobra pra pôr o papo em dia e pra derrubar baldes e mais baldes de cerveja, preparando o gramado do coração pro que viria.

Benito di Paula é, essencialmente, um artista brasileiro que põe sua arte a serviço de seu povo.

Simpaticíssimo, solícito, desfiou ao longo de mais de duas horas seu vasto repertório de sucessos que moram dentro do coração e da alma do brasileiro. Mal terminou a segunda canção do espetáculo e um senhor, emocionadíssimo, gritou:

- Homem da Montanha! Homem da Montanha!

Benito riu e disse:

- Quer que eu cante agora?

- Quero!

E ele cantou, o friburguense coroado (vejam aqui). Atendeu a pedidos feitos através de guardanapos que lhe foram entregues ao longo do espetáculo. Assitiu, ele também emocionado, ao coro de vozes, afinadíssimo, a lhe acompanhar, verso por verso, nota por nota, do início ao fim do show. Estava ali, dentro daquela churrascaria em Laranjeiras, o Brasil que eu amo.

O Brasil simples, que não se rende a modismos e imune à pressão nojenta que a mídia de merda nos impõe a cada dia. O Brasil dos homens e das mulheres sem pose. O Brasil do coquetel de frutas com guarda-chuva no copo, cafona e colorido que só ele. O Brasil da comida a quilo, sem afetações. O Brasil que se emociona com o Brasil em estado bruto.

Paro por aqui, meus poucos mas fiéis leitores.

Fefê, Felipinho Cereal e Marcelo Moutinho fotografaram tudo, o tempo todo. Possivelmente os dois últimos, que mantêm blogs na grande rede, escreverão sobre o show e exibirão algumas das fotografias que fizeram. Ao Fefê, pedirei que me envie algumas fotos, ele que também filmou diversos trechos da apresentação do Benito di Paula.

E testemunharão - como faço agora, de público - acerca do momento mágico que vivemos na noite de ontem.

De novo, obrigado, Pian.

Até.

22.1.10

DO DOSADOR

* eis que estão definidos os vencedores da promoção que sorteou, através do resultado do jogo do bicho das 18h de ontem - vejam aqui -, três pares de ingressos para o show de hoje à noite do grande Benito di Paula. A Betinha, que ficou em primeiro lugar, cedeu seus ingressos para o Leo Boechat. Meu pai, que ficou em segundo lugar (e não fosse a lisura do sorteio diriam que foi tudo armado!), cedeu seus dois ingressos para seu filho do meio, meu irmão, o Fefê. E Dudu Sarmento, que até então não ganhara qualquer espécie de sorteio na vida, ficou com o último par sorteado. Agora é contar as horas para hoje à noite, quando a CHURRASCARIA GAÚCHA vai viver, não tenho dúvidas, uma noite histórica;

* por falar em noite histórica, foi histórica, também, a tarde do dia 20 de janeiro, na rua do Ouvidor, que guarda o axé dessa cidade. Comemorou-se, ali, o aniversário da mais carioca das livrarias, a FOLHA SECA, o lançamento do livro CANÇÕES DO RIO, organizado pelo Marcelo Moutinho e o dia do padroeiro da cidade, São Sebastião, que é Oxóssi por essas bandas. Dia que começou com a oferta de axoxó pra caboclada, preparado na noite da véspera, com uma comovente ida à igreja dos Capuchinhos, na Tijuca - e como é lindo ver o ritual daquele povo, devoto de São Sebastião... - e com a presença na Ouvidor, antes mesmo de começar o furdunço. Inúmeros amigos (nomeá-los seria uma tarefa inglória) comovidos com o encontro, com o momento, na celebração da graça de vivermos aqui, na mais bacana cidade do país;

axoxó

* fiquei, confesso, impressionado com a populariade do Felipinho Cereal entre os campineiros, que fizeram intensa campanha, em vão, para que o pequeno grande homem ganhasse um par de convites na promoção de ontem, sobre a qual já falei hoje. Inevitável foi lembrar da frase do Simas sobre a questão, muito parecida com a famosa frase do Nelson Sargento referindo-se ao Cartola: o Felipinho não existe, ele é criação do Edu. Fiquei - fico - me perguntando se não é verdade. Mas não é. Ele existe, de verdade, mas é um tremendo personagem criado por ele mesmo. Vejam vocês, eu que não costumo ter vergonha dos meus... Mas na quarta-feira, após o furdunço da Ouvidor, fui com o dito cujo jantar no GALETO COLUMBIA, portentoso restaurante na esquina da Haddock Lobo com a Afonso Pena. Ele já estava naquele estado, falando em javanês. E durante o jantar (frango assado, farofa à brasileira e batatas portuguesas) iniciou-se o jogo entre seu America e o Vasco da Gama. Notem que ele sequer se lembrava do jogo. Mas foi ver o troço na TV pra começar a gritar, feito um possesso, batendo os talheres no prato, "sangue!, sangue!" e outros bichos. Diante dos olhares de intensa piedade de toda a assistência - a esquina estava lotada - pedi a conta, paguei e sumi. Voltei a pé pra casa lembrando do que sempre diz sua irmã mais nova: ele sempre foi Vasco da Gama. Um dia, depois de ler o BUTECO, por razões que ninguém explica, achou bacana começar a se dizer torcedor do America. Caso clínico, seguramente. Mas que faz - eis o que eu queria lhes dizer diante do sucesso que faz no interior de São Paulo - um tremendo sucesso. Nesse ponto, um marqueteiro de si próprio, com êxito. Aos leitores de Campinas, uma lamentável notícia. O querido de vocês, que se diz tão fã do Benito di Paula, disse-me, há pouco, que não sabe se vai ao show. O que prova que, de certo modo, a justiça foi feita;

* e pra fechar... o Sérgio Guerra é ou não é um babaca? Mais um golaço do Lula - é como eu gostaria de encerrar.

Até.

SALVE MARTINHO DA VILA!

Salve Sérgio Cabral, o pai, que em belíssimo texto publicado no jornal O GLOBO de hoje homenageia Martinho da Vila, autor do samba que fará Noel Rosa baixar na avenida na segunda-feira de Carnaval, e que você pode ouvir mais abaixo. Cliquem na imagem para ampliar e ler o texto.

texto de Sérgio Cabral publicado no jornal O GLOBO de 22 de janeiro de 2010
Até.

GRAVAÇÕES RARAS

Eis aí, pra abrir o dia - ao ingresso da madrugada... -, uma gravação retirada de programa de rádio em que Francisco Alves canta AZULÃO, não apenas com o acompanhamento do piano, como na obra original, mas com uma grande orquestra, à qual se somou um grupo vocal. Depois do tema ter sido inteiramente exposto por Francisco Alves, a orquestra modula, um tom acima, para as vozes do grupo coral. E ele então repete o AZULÃO, agora na nova tonalidade, provando a excelência de sua extensão vocal. De lambuja, mais duas versões que pesquei no blog do Luiz Nassif. A primeira tem um arranjo bem bacana, com acompanhamento de regional de choro, gravação de Consuelo de Paula. A outra, em um arranjo pra coral, interpretada pelo Madrigal Renascentista, traz as duas músicas mais conhecidas de Jayme Ovalle com Manuel Bandeira: MODINHA e AZULÃO.

Até.

21.1.10

DEU 5948, ELEFANTE, NO JOGO DAS 18h!!!!!

Os vencedores dos 3 pares de ingressos são, pela ordem:

PRIMEIRO LUGAR - Betinha, que apostou em 6012, diferença 64

SEGUNDO LUGAR - Isaac Goldenberg, que apostou 6153, diferença 205

TERCEIRO LUGAR - Dudu Sarmento, que apostou 5673, diferença 275

Combinemos por e-mail - aqui - a entrega dos convites.

Eventuais impugnações por conta de alguma distração minha causadora de erro na apuração, estejam à vontade!

Até.

P.S. 1: o resultado pode ser conferido aqui;

P.S. 2: para os que quiserem comprar ingressos perto da mesa do BUTECO, os lugares marcados que ocuparemos estão nos comentários a este texto e são na fila 16, números 255, 256, 257, 258, 259, 260, 261 e 262, a R$ 70,00 (setenta reais) cada lugar;

P.S. 3: meus compadres são o máximo, o máximo! Eu, que sou padrinho também da Helena (filha do Leo Boechat e da Renata) e do Felipe (filho do Flavinho e da Betinha), me comovo com essas manifestações de carinho recíproco. A minha comadre Betinha, que ganhou um par de ingressos para o show de amanhã, acaba de me telefonar para dizer que cede seus dois convites, por conta de não poder ir assistir ao Benito di Paula, para meu compadre Leo Boechat, que se torna, portanto, detentor de um par de ingressos. Que lindo! No fundo, no fundo, eu gostaria mesmo é que os quatro fossem, pra que eu pudesse ficar em casa com as crianças!

27 CONCORRENDO AO SORTEIO...

Eis os 27 participantes do sorteio dos 3 pares de ingressos agora às 18h, pelo resultado do jogo do bicho...

Alex Carneiro - 0306 / 1943 / 1974 / 2006 / 6934
Alexandre - 0010 / 5515 / 5388 / 8080 / 8970
Betinha - 0372 / 3228 / 6012 / 7737 / 8819
Bruno Ribeiro - 0111 / 1313 / 1976 / 2425 / 8050
Carlos Andreazza - 0171 / 1948 / 1949 / 1950 / 1951
Carolina Lemes da Costa - 1455 / 1661 / 1768 / 2078 / 2500
Cristiane Aguiar - 1702 / 2408 / 2610 / 2701 / 3029
Cristina Coelho - 5555 / 6666 / 7777 / 8888 / 9999
Daniel Andrade - 0606 / 1995 / 2259 / 8384 / 8895
Diego Moreira - 1748 / 2756 / 3317 / 4854 / 7865
Dudu Sarmento - 0801 / 1989 / 2106 / 5673 / 8156
Ernesto - 0737 / 1964 / 1971 / 6525 / 9341
Felipinho Cereal - 0002 / 0122 / 1740 / 1922 / 1976
Gilmar - 0110 / 0112 / 2364 / 2592 / 3276
Isaac Goldenberg - 1398 / 2360 / 3372/ 5041 / 6153
José Augusto - 0709 / 0765 / 0896 / 1962 / 2010
Leonardo Boechat - 0777 / 3971 / 6429 / 6753 / 9997
Marcelo Coelho - 1312 / 1960 / 1967 / 4338 / 5441
Marcelo Miranda - 0613 / 1318/ 1973 / 1982 / 2541
Marcelo Moutinho - 0672 / 1001 / 2206 / 4588 / 8736
Mariana Blanc - 1057 / 1611 / 1975 / 2577 / 8056
Mariane - 1113 / 3635 / 4478 / 5045 / 9099
Nadja Grosso - 1943 / 1955 / 1975 / 1977 / 1995
Paulo - 1504 / 1976 / 1988 / 1997 / 5585
Rafael Leal - 0992 / 1616 / 1982 / 4483 / 5585
Ricardo Lopes - 1923 / 1975 / 1982 / 2323 / 4756
Thaís - 0852 / 1982 / 2010 / 5273 / 7382

jogo do bicho

Agora é torcer e aguardar a divulgação do resultado!

Até.

PROMOÇÃO BENITO DI PAULA

Boa notícia!

Acabo de me encontrar com Rodrigo Pian, o responsável pela promoção que sorteará ingressos para o show do Benito di Paula, amanhã, às 22h, na CHURRASCARIA GAÚCHA, em Laranjeiras. O sorteio previa a entrega de dois pares de ingressos. A boa nova é que agora são três pares de ingressos, ou seja, seis convites para serem distribuídos entre três vencedores (e somente uma tremenda falta de sorte tirará um dos pares das mãos miúdas de Felipinho Cereal, abraçado por todos os leitores de Campinas!).

Vale dizer que ainda não estão identificados - e portanto fora da disputa - os leitores José Augusto*, Lucia Helena e Nena Carolina.

Participe, ainda dá tempo!

AQUI!

Até.

* o leitor José Augusto identificou-se às 16h45min

PROMOÇÃO BENITO DI PAULA

Agora é pra valer! Depois da fabulosa idéia de meu irmão Luiz Antonio Simas - "Defendo um sorteio vinculado, de alguma forma, ao bom e velho jogo do bicho, para garantir a honestidade da coisa." - foi-se embora a dúvida que pairava sobre o modus operandi da promoção que sorteará dois pares de ingressos para o showzaço de amanhã à noite, na CHURRASCARIA GAÚCHA, do Benito di Paula.

A promoção está lançada.

Se você não conhece as regras do bom e velho jogo do bicho - o que te faz perder pontos no IRC (índice regional de carioquice) - visite o site RESULTADOS DO BICHO.COM, aqui. A promoção funcionará da seguinte maneira...

Cada participante poderá concorrer indicando, através de comentário feito a este texto, até cinco milhares. Vou ser didático. Você comenta aqui apontando, por exemplo, as milhares 0613, 0810, 1969, 1971, 9767 (são milhares nas quais aposto com freqüência). Quando sair o resultado do sorteio das 18h de hoje, serão dois os vencedores dos dois pares de ingressos, um pra cada um, é evidente. Os vencedores serão aqueles que mais se aproximarem da milhar que der na cabeça, ou seja, do primeiro prêmio.

Se alguém acertar a milhar inteira - o que vai dar uma tremenda dor de corno no vencedor, milhar na cabeça paga um dinheirão! - leva os quatro ingressos, troço mais que merecido pra um pé quente desse quilate.

Não serão aceitos comentários anônimos e sem identificação. Ou seja... se você quer concorrer e se seu perfil não está disponível pelo sistema BLOGGER, diga seu nome completo e seu endereço eletrônico no corpo do comentário para que possamos efetuar a entrega dos ingressos, que será feita amanhã mesmo, horas antes do show, num dos butecos que ficam exatamente em frente ao local do show. Prometo escrever para os vencedores, que serão anunciados hoje mesmo, às 20h.

Esta promoção é um oferecimento de um de meus poucos mas fiéis leitores, Rodrigo Pian - a quem agradeço de público.

Está valendo, façam suas apostas! Caso alguém comente mais de uma vez, valerá apenas o comentário mais recente, ficando anulado o anterior, e só serão aceitos comentários com apostas até às 17h45min de hoje.

Ah, sim! Se você não for do Rio ou se não puder, por qualquer razão, ir ao show, e ainda assim queira participar, indique, eventualmente, o beneficiário dos ingressos caso você vença a promoção! Mas atenção: só valerá sua participação se você indicar, no corpo do comentário, o nome de seu escolhido para receber os ingressos.

IMPORTANTE: palpites dados por participantes não identificados, como já explicado acima, não concorrerão ao sorteio! Se o sistema não permitir da visualização do perfil do autor do comentário, por favor, enviar comentário com nome completo e endereço eletrônico!

Até.

P.S.: pra facilitar e dar a costumeira lisura ao troço, aqui vão os palpites dos participantes, atualizados ao longo do dia:

Alex Carneiro - 0306 / 1943 / 1974 / 2006 / 6934
Alexandre - 0010 / 5515 / 5388 / 8080 / 8970
Betinha - 0372 / 3228 / 6012 / 7737 / 8819
Bruno Ribeiro - 0111 / 1313 / 1976 / 2425 / 8050
Carlos Andreazza - 0171 / 1948 / 1949 / 1950 / 1951
Carolina Lemes da Costa - 1455 / 1661 / 1768 / 2078 / 2500
Cristiane Aguiar - 1702 / 2408 / 2610 / 2701 / 3029
Cristina Coelho - 5555 / 6666 / 7777 / 8888 / 9999
Daniel Andrade - 0606 / 1995 / 2259 / 8384 / 8895
Diego Moreira - 1748 / 2756 / 3317 / 4854 / 7865
Dudu Sarmento - 0801 / 1989 / 2106 / 5673 / 8156
Ernesto - 0737 / 1964 / 1971 / 6525 / 9341
Felipinho Cereal - 0002 / 0122 / 1740 / 1922 / 1976
Gilmar - 0110 / 0112 / 2364 / 2592 / 3276
Isaac Goldenberg - 1398 / 2360 / 3372/ 5041 / 6153
José Augusto - 0709 / 0765 / 0896 / 1962 / 2010
Leonardo Boechat - 0777 / 3971 / 6429 / 6753 / 9997
Lucia Helena - 0129 / 0219 / 1504 / 2307 / 4629*
Marcelo Coelho - 1312 / 1960 / 1967 / 4338 / 5441
Marcelo Miranda - 0613 / 1318/ 1973 / 1982 / 2541
Marcelo Moutinho - 0672 / 1001 / 2206 / 4588 / 8736
Mariana Blanc - 1057 / 1611 / 1975 / 2577 / 8056
Mariane - 1113 / 3635 / 4478 / 5045 / 9099
Nena Carolina - 1951 / 1989 / 2228 / 4522 / 8896*
Nadja Grosso - 1943 / 1955 / 1975 / 1977 / 1995
Paulo - 1504 / 1976 / 1988 / 1997 / 5585
Rafael Leal - 0992 / 1616 / 1982 / 4483 / 5585
Ricardo Lopes - 1923 / 1975 / 1982 / 2323 / 4756
Thaís - 0852 / 1982 / 2010 / 5273 / 7382

* não estão concorrendo por falta de identificação, conforme as regras