23.1.10

O SHOW DE BENITO DI PAULA

Ontem, como vocês que me lêem sabem, fomos ao show do Benito di Paula na CHURRASCARIA GAÚCHA, em Laranjeiras. A mesa era composta, pela ordem de formação, por mim, pela Sônia, pelo Fefê, pela Lina, pelo Dudu Sarmento, pelo Moutinho, pela Flávia e pelo Felipinho. Este último, na companhia de um amigo cujo nome não me recordo (sequer fui apresentado, acredito) - e com o auxílio deste -, protagonizou cenas de histeria estudada, caricata e desqualificada e que, esbarrando na mais absoluta falta de educação, quase me fez quebrar tudo - mas me comportei, quero lhes dizer. Feito o intróito polemista, em frente.

Graças à gentileza de Rodrigo Pian, que cedeu os ingressos para a promoção - vejam aqui -, a mesa do BUTECO assistiu a um grande, monumental, fabuloso espetáculo, na mais ampla e generosa acepção da palavra.

Por conta da chuva torrencial que desabou sobre a cidade - Oya está danada! - o show, marcado pra começar às 22h, só teve início às 23h30min, o que não deixou de ser fabuloso. Tivemos tempo de sobra pra pôr o papo em dia e pra derrubar baldes e mais baldes de cerveja, preparando o gramado do coração pro que viria.

Benito di Paula é, essencialmente, um artista brasileiro que põe sua arte a serviço de seu povo.

Simpaticíssimo, solícito, desfiou ao longo de mais de duas horas seu vasto repertório de sucessos que moram dentro do coração e da alma do brasileiro. Mal terminou a segunda canção do espetáculo e um senhor, emocionadíssimo, gritou:

- Homem da Montanha! Homem da Montanha!

Benito riu e disse:

- Quer que eu cante agora?

- Quero!

E ele cantou, o friburguense coroado (vejam aqui). Atendeu a pedidos feitos através de guardanapos que lhe foram entregues ao longo do espetáculo. Assitiu, ele também emocionado, ao coro de vozes, afinadíssimo, a lhe acompanhar, verso por verso, nota por nota, do início ao fim do show. Estava ali, dentro daquela churrascaria em Laranjeiras, o Brasil que eu amo.

O Brasil simples, que não se rende a modismos e imune à pressão nojenta que a mídia de merda nos impõe a cada dia. O Brasil dos homens e das mulheres sem pose. O Brasil do coquetel de frutas com guarda-chuva no copo, cafona e colorido que só ele. O Brasil da comida a quilo, sem afetações. O Brasil que se emociona com o Brasil em estado bruto.

Paro por aqui, meus poucos mas fiéis leitores.

Fefê, Felipinho Cereal e Marcelo Moutinho fotografaram tudo, o tempo todo. Possivelmente os dois últimos, que mantêm blogs na grande rede, escreverão sobre o show e exibirão algumas das fotografias que fizeram. Ao Fefê, pedirei que me envie algumas fotos, ele que também filmou diversos trechos da apresentação do Benito di Paula.

E testemunharão - como faço agora, de público - acerca do momento mágico que vivemos na noite de ontem.

De novo, obrigado, Pian.

Até.

10 comentários:

Claudio Renato disse...

Benito de Paula representa um Brasil que não está na mídia, não está na moda. Não precisa delas. Ele mudou a concepção que tinha o próprio Paulinho da Viola, que, no princípio, implicou com Benito. Foi para o friburguense que o Paulinho compôs os versos provocativos "Tá legal/Eu aceito o argumento/Mas não me altere o samba tanto assim/Olha que a rapaziada está sentindo a falta/De um cavaco, de um pandeiro e de um tamborim". Anos depois, Paulinho reconheceria o talento de Benito, bem como Luiz Gonzaga, Tom Jobim e até Vinícius de Moraes. Benito não precisa de rádio, não precisa de TV, nada. Uma vez, Flávio Cavalcante disse que Benito é um dos raríssimos artistas no Brasil que podem cantar 20 músicas de extremo sucesso em um show. Vai ter pedido de bis e ele não vai se repetir. É espantoso como Benito, Fagner, Belchior, que raramente frequentam a mídia, fazem sucesso pelo Brasil afora, em gerações diferentes.

AOS QUARENTA A MIL disse...

Imagino , que foi sublime mesmo!
No dia em que li o comentário do Pian, por coincidência havia assistido o DVD do Benito , no trabalho . O DVD foi gentilmente emprestado por minha amiga Belinha , que disse assim : - Monica, olha o que eu trouxe da minha mãe! Vocês que gostam destas coisas de velha! (Meu apelido no setor é velhinha) . Fiquei emocionadíssima ao ver o show em uma tela mínima no canto do monitor para o chefe não pegar, Chorei disfarçadamente em várias músicas e quando soube do show fiquei doida. Não concorri por que não ganho no bingo da minha igreja, nem no ponto do aleijadinho, então não arrisco. Mesmo assim liguei lá pra Gáucha na esperança de ter um ingresso popular (R$15,00 risos), mas o mais barato era R$50,00 então eu e meu marido seriam cem pratas, em pleno dia 22 é brabo! Mas com certeza terão outros , fiquei emocionada no fim do DVD quando ele disse que sabia que Deus o traria de volta em algum momento!
Parabéns Eduardo por suas iniciativas e seus posts , que bom que existe o Buteco pra gente ler!

Eduardo Carvalho disse...

Edu!

Por motivos aqui domésticos com nossa filhota, não pudemos ir... Mas vc foi definitivo ao dizer que "Benito di Paula é, essencialmente, um artista brasileiro que põe sua arte a serviço de seu povo." É isso, é exatamente isso!

No show em que ele, anos e anos depois de sua última apresentação no Rio, gravou o DVD (no asséptico Vivo Rio, fazer o quê?), estive lá e a emoção transbordava sem parar COM ESTE SENTIMENTO que você descreve. Um cracaço!

É claro que na Churrascaria Gaúcha o troço foi infinitamente melhor e mais autêntico, e volto a me emocionar só de ler a sua descrição (visualizando aquele buffet a quilo, aquele palco, aqueles baldes todos).

E, como um golpe de misericórdia nessa mídia de merda (me envergonho de ser jornalista, eu que já vou pra 14 anos nessa profissão - e não vejo saída -, acredite em mim), melhor ainda que tudo isso tenha se dado com Benito como um "cantor de churrascaria". Ou seja: onde muitos encerram a carreira - pichados - ele continua a dele, grandiosa, e sempre no auge - porque Benito está sempre no auge. Um grande artista, um grande brasileiro.

Abraço.

P.S.: Edu, vou te ligar, mas já te convido aqui para duas coisas: um novo chope (e dessa vez com amigos que estiveram ausentes naquele outro); e, ainda, uma ida (quem sabe sábado que vem?) à quadra da Vila, no ensaio, o couro comendo!!! Topas?

Felipinho disse...

O concerto realmente foi bem bacana. Achei impressionante a platéia do velho Benito, com as letras na ponta da língua. Eu me diverti muito com todos os amigos que ali estavam, nada mais do que isso. Quanto a falta de educação e as atitudes estudadas de minha parte e do meu amigo Baiano, que já te apresentei mais de três vezes, isso só você viu. Quem me conhece também conhece a minha educação.

Mas polêmicas fazem parte do blog.

Beijão, meu velho, depois a gente se fala.

obs: amanhã te passo as fotos que me pediste por email.

Eduardo Goldenberg disse...

Edu, meu xará: rigorosamente dentro dos dois programas. É só me ligar. Forte abraço.

Eduardo Goldenberg disse...

Pois então, Felipe Quintans, bom e legendário Cereal: não me lembrava mesmo do nome (ou do apelido) de seu amigo. E eu não acho que seja educado gritar como uma histérica de auditório, "porra" e outros bichos cabeludos durante o show de quem quer que seja - pra fazer gênero, ainda mais levando-se em conta a quantidade de senhoras de idade no ambiente (sou, você sabe, um careta assumido); não acho que seja educado, depois de beber desmedidamente - pra fazer gênero, já que você é um sujeito pequeno demais, anatomicamente falando, pra querer beber feito gente grande -, sair... isso deixa para lá. Há um limite para tudo. Até para a criação de polêmica. Beijo.

CRAQUE DA GEMA!!! disse...

O vaselina aqui fica feliz em ter contríbuido para uma boa noite de música.

R.Pian

Eduardo disse...

Edu, desculpe a demora pra me manifestar por aqui.

A noite foi espetacular! O Benito di Paula mostrou realmente que é um artista do povo e que faz o show pro povo. Comovente a cena do artista ajoelhado em cima do palco enquanto o público se amassava pra toca-lo, como se fosse O Salvador.

Agradeço muitíssimo a você e ao Pian [que ainda não conheço] pela oportunidade.

E um agradecimento especial pro pessoal [já citado por vc] que me fez companhia e me proporcionou ótimos momentos na noite de sexta passada.

Um grande abraço,
Dudu.

CRAQUE DA GEMA!!! disse...

Eduardo,

Ainda não nos conhecemos, mas essa foto do Heleno me faz ter a certeza de que os ingressos pararam em boas mãos.

Um abraço alvinegro,

R.Pian

Eduardo Goldenberg disse...

É do Dudu Sarmento, meu caro. Um grande sujeito! Abração, obrigado de novo.