22.2.10

AINDA ROBERTO CHALITA, O PLAGIADOR

Hoje, segunda-feira, depois do merecido descanso de domingo, vamos retomar a exibição implacável que comprova o plágio, cometido ao longo de mais de onze meses, por Roberto Chalita, morador da cidade de Vinhedo, no interior de São Paulo. Não é demais repetir: Roberto Chalita manteve, durante mais de onze meses, dois blogs (BOTECLANDO e BOTECO PENSANTE) nos quais publicou, na íntegra, diversos textos de minha autoria e da autoria de (pela ordem alfabética para não ferir suscetibilidades) Arthur Tirone, Bruno Ribeiro, Felipe Quintans, Fernando Szegeri, Leonor Macedo, Luiz Antonio Simas e Paulo Thiago. Além da publicação nos blogs, Roberto Chalita ainda fez publicar, diversos desses textos, no JORNAL DE VINHEDO (o eletrônico e o impresso), no qual mantinha uma coluna chamada PAPO DE BOTECO. As três primeiras exibições, irrefutáveis, podem ser vistas aqui, aqui e aqui. Como o que não falta é material para comprovar o plágio e vontade de expor Roberto Chalita para o maior número de pessoas possível como forma de prevenir outras pessoas eventualmente plagiadas pelo farsante, vamos ao quarto texto da mesma série. Em frente!

Em 02 de dezembro de 2008 publiquei minha receita de camarão no azeite, ilustrada com uma única fotografia de minha autoria. A receita publicada no BUTECO pode ser vista aqui, e a imagem de trecho do texto está imediatamente abaixo:

Em 16 de outubro de 2009, Roberto Chalita, o plagiador, publicou a mesmíssima receita com a mesmíssima fotografia (de minha autoria, repita-se), vejam aqui. Antes de copiar, integralmente, meu texto explicando a receita, o mentiroso disse, sobre o prato: "Tem cara de domingo e foi num domingo vagabundo, já há algum tempo, que preparei este camarão no azeite para acompanhar a cerveja que eu dividia com a que manda.". As imagens abaixo não mentem:

É ou não é repugnante?!

Vejamos o que fez, o farsante, o sem-vergonha, com textos de meu irmão Luiz Antonio Simas. Vejam que a falta de pudor desse pulha não tem, mesmo, limites. Como vocês verão, ele copiou, também na íntegra, dois textos retirados do blog de Luiz Antonio Simas e os publicou em seu blog com data anterior - o que é possível em se tratando de blogs, quem tem um sabe disso -, possivelmente para - é inacreditável - disfarçar sua sujeira. Vamos ver.

Em 03 de fevereiro de 2010 o Simas publicou, aqui, hilariante texto sobre as reminiscências trazidas pela MARCHA DA CUECA. A imagem está abaixo:

Roberto Chalita fez publicar, com data de primeiro de fevereiro de 2010, o mesmo texto, sem modificar uma única vírgula, leiam aqui e vejam a imagem abaixo, cabendo dizer que, neste caso, tais textos - este e o próximo a que me referirei - foram também publicados no JORNAL DE VINHEDO (o eletrônico, somente com o processo apuraremos se a publicação deu-se, também, no jornal impresso).

Aqui vocês poderão verificar que em 28 de janeiro de 2009, Luiz Antonio Simas já havia publicado em seu HISTÓRIAS DO BRASIL o mesmo texto, com o nome A MARSELHESA DOS PAÍSES BAIXOS, a imagem está abaixo:

Eis que Roberto Chalita, o plagiador, valendo-se do mesmo nome A MARSELHESA DOS PAÍSES BAIXOS - e da mesma imagem!!!!! - reproduziu, copiou, roubou, - aqui - o texto de meu mano Simas, vejam no print abaixo:

Simas, noutro texto, louvou o samba do IMPÉRIO SERRANO de 1989 em homenagem a Jorge Amado, disponibilizando uma gravação de seu acervo pessoal, vejam aqui (reparem na fotografia escolhida pelo Simas para ilustrar seu texto):

O que fez, então, Roberto Chalita? Leiam aqui. Disponibilizou a mesma gravação do acervo pessoal de Luiz Antonio Simas e valeu-se da mesma fotografia para ilustrar seu texto-cópia. Vejam o que disse o canalha: "Ébrios leitores, disponibilizo hoje a gravação, em plena Marquês de Sapucaí, do samba do Império Serrano no carnaval de 1989 - uma das pérolas que tenho no meu acervo de sambas-enredo e não resisti - essa é uma gravação para ser dividida.". A imagem está abaixo:

Para encerrar por hoje, vamos ao mais recente plágio descoberto. Roberto Chalita, não satisfeito com as setes fontes permanentes que tinha para mentir, descaradamente, para quem o lia, decidiu copiar, também na íntegra, um texto de Paulo Thiago, jornalista e dono do blog PENDURA ESSA.

Em 03 de outubro de 2009, o Paulo publicou o texto CHOPE CENTENÁRIO tecendo loas ao monumental BAR BRASIL, na Mem de Sá, na Lapa, Rio de Janeiro, e a seu chope e ao mobiliário do bar (o texto é ilustrado com fotografias, como você pode ver aqui. Imagem abaixo:

Modificando o nome para BOTECO CENTENÁRIO - leiam aqui - Roberto Chalita expõe nova faceta de seu revoltante modus operandi (imagem abaixo, com a legenda ligeiramente modificada):

Forjando uma visita a um tal de BAR DO BOSQUE, em São Paulo, com o próprio pai (!!!!!), para comemorar seus 76 anos, assim escreveu o plagiador, Roberto Chalita: "Mesmo com a curta permanência, gostei demais do Bar do Bosque. Não bastasse o local, estava com meu Pai. Jamais esquecerei essa comemoração do seu 76º aniversário. Tomamos três chopes e fomos embora. Ficará registrado em minha memória como meu patrimônio pessoal.".

Enquanto ele registra em seu "patrimônio pessoal" a mentira, a sordidez e a falta de vergonha, nós, do BUTECO, registramos as provas cabais dos plágios cometidos por esse homem, que terá, na Justiça, a resposta que bem merece.

Até.

15 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

A expressão Ébrio leitor, que ele usa no início da maioria dos textos, foi cunhada por mim, na coluna Doses, que assino aos domingos, desde 2002, na revista Metrópole.

Ateliê Fonte da Vida disse...

Bom dia Edu!
Meu nome é Indira, conheci o seu blog em outubro/2009, indicado por um conhecido de Sampa que se chama Silas. Ele é leitor assíduo do Boteco do Edu, e como após algumas conversas, eu disse que morava na Tijuca, ele me indicou esse blog.

Primeiramente, venho parabenizá-lo pelo Blog que é maravilhoso, o leio diariamente, adoro seus comentários, seu amor pela Tijuca, pelos bares (que também amo),suas receitas, as histórias e etc.
Nunca cheguei a fazer nenhum comentário aqui, mas sempre indico para várias pessoas a maravilha que é, fazer essa leitura de maneira discontraída e com tanta paixão da maneira que você nos transmite.

E, para encerrar, vim aqui para prestar meu total apoio ao seu blog, que está sendo plagiado por alguém, que no mínimo não tem um pingo de talento, nem tão pouco "simancol" para fazer isso, achando que nunca iria ser descoberto. Isso tudo é nojento!
Coloque a boca no trombone mesmo, porque com certeza não irá te faltar apoio!

Abraços, e mais uma vez parabéns!!!

Indira Oliveira

Eduardo Goldenberg disse...

Boa, Bruno! Com o tempo, senhor da razão, vamos retirando a máscara desse Roberto Chalita. Um beijo, mano.

Indira: seja bem chegada! Obrigado por seu apoio e por suas palavras, tão gentis e tão exageradas! Um abraço do tamanho da Tijuca.

leo boechat disse...

Hoje percebi que abaixo das postagens ele escrevia "psicografado por Roberto Chalita". Tenho impressão de que ele "recebia" esses textos espiritual-mediunicamente (olha um bom argumento para a Defesa). Cada vez mais impressionante esse cara, deixa o Second Life no chinelo.

Arthur Tirone disse...

Meu velho: o texto do Simas, da Marcha da Cueca, foi escrito originalmente em 28/01/09, no antigo HISTÓRIAS DO BRASIL. Confira lá!

O malandro não publicou rigorosamente NADA com data anterior, o que comprova mais facilmente o plágio safado.

Beijo.

Diego Moreira disse...

Pau na canalha!

Eduardo Goldenberg disse...

Obrigado, Favela: correção feita e prova produzida! Beijo.

Blog do Ernestão disse...

Edu !

PQP, fiquei ausente desde quinta-feira a noite e quando volto ao batente hoje, vejo que proporção o caso tomou. Já postei no meu blog e divulguei via e-mail para minha lista, com vários amigos de Vinhedo e Valinhos.Os comentários são muitos e o cara tem até um amigo defendendo o Chalita. Porra (com ênfase chalitiana), o cara perdeu o bem senso.

A todos os envolvidos no plágio, conte com o blog do Ernestão. (é pequenininho mas tem um baita coração e barrigão!)

Rodrigo disse...

Putz, "Ébrio leitor" é marca registrada do Bruno. O malandro DO chalita é FOLGADO DEMAIS...

Pedro Toledo disse...

Engraçado também como, em algumas imagens, ele nem se deu ao trabalho de fazer novo upload, usou a mesma URL das imagens originais... Imagino que isso também sirva de prova.

Exemplo disso, a foto em que você aparece olhando a vitrine, perto de seu pai.

Clique com o botão da direita na sua imagem, e selecione a opção de copiar o endereço da imagem, cole o texto num editor de textos, depois vá ao blog dele, e faça o mesmo com a mesma imagem do site dele, você vai ver que o endereço é exatamente o mesmo. Ele só linkou o site dele ao seu.

Abração.

Eduardo Goldenberg disse...

Ernestão: depois conte pra nós se algum de seus amigos de Vinhedo conhece o plagiador. Um abraço, obrigado pela força.

Rodrigo: malandro? Taí um epíteto que o plagiador não merece. Um abraço.

Pepê: obrigado, querido, por suas valiosas dicas. Mesmo de longe sua força é mais-que-necessária. Um abraço grande, saudade.

Wander Costa disse...

Edu, segue aqui meu apoio nessa sua luta, que na verdade deveria ser a luta de todos os brasileiros contra a falta de ética, canalhice e o sentimento de querer sempre levar vantagem. Na origem de tudo está a educação (ou falta de). E continuamos a receber em nossas TVs as trapaças dos BBBs, sensacionalismos jornalísticos e novelas das oito em que os vilões são os mais queridos pelo povo.

Peço sua permissão para criar um novo termo: "Chalitar".

Por exemplo: se estou comendo uma rabada no "Bode Cheiroso" e alguém, após ver meu prato, pede um igual, esta pessoa está "chalitando" meu pedido.
sds, Wander.

ipaco disse...

Edu, mais uma vez, obrigado pelo alerta. Tudo isso é muito lamentável. Sem dúvida, o maior caso de plágio da internet brasileira. Trata-se de uma mistura de malandragem (no mau sentido) com algum tipo de perturbação mental, alguma coisa compulsiva e de baixíssima autoestima... Lamntável.

abraço
pt

José Sergio Rocha disse...

Caso de internação e, quem sabe, no futuro, roteiro para o cinema. O cara é tão pilantra que chega a ser cômico.

Claudio Renato disse...

Roberto Chalita, ao fim do processo, será internado num manicômio judiciário.