26.2.10

E CAI A MÁSCARA!

Pra quem está chegando agora no BUTECO, o primeiro capítulo do imbróglio envolvendo o plágio vergonhoso cometido ao longo de quase um ano por Roberto Chalita, de Vinhedo, cidade do interior de São Paulo, está aqui, o segundo aqui, o terceiro aqui, o quarto aqui, o quinto aqui e o sexto aqui. Prometi pra hoje, sexta-feira, o sétimo e último capítulo da novela - e vou, como sempre, cumprir minha palavra. Sou preciso do início ao fim e eu não me furtaria a fechar a coisa, ainda mais levando-se em conta as informações que me chegaram. Vamos por partes, lenta e paulatinamente, a fim de que vocês, meus poucos mas fiéis leitores, possam acompanhar meu raciocínio e entender, com a clareza que o caso pede, o fio da meada.

Quando descobrimos os plágios de Roberto Chalita, pensei com meus botões, cada vez mais esgarçados:

- Não é possível que o sujeito tenha feito o que fez usando seu nome verdadeiro...

E isso me ficou encasquetando a cabeça.

Daí veio a primeira mensagem eletrônica, enviada por um e-mail YAHOO. E outras. E outras. E uma, assinada pela "esposa do Roberto", de domínio UOL (já descobri que os dois e-mails são de Roberto Chalita, o de sua mulher é outro). O troço, é claro, não me convenceu.

Encasquetou-me muito, também, o envolvimento do responsável pelo JORNAL DE VINHEDO, Rafael J. Von Zuben. A princípio, Rafael nos mandou um e-mail, cujo teor segue abaixo:

"Olá, Eduardo Goldenberg: venho por meio deste e-mail prestar os esclarecimentos pelo ocorrido. Li no seu blog sobre os fatos ocorridos com o Chalita. Em primeiro lugar peço desculpas pelo ocorrido e pelos transtornos gerados a você e aos seus colegas. Falei com o Bruno do Correio Popular no sábado pela manhã, segue o e-mail que troquei com ele abaixo. Fui pego de surpresa, tanto como vocês e estou tão, se não mais chateado que vocês. Confiei ao Chalita um espaço para escrever e contar coisas do cotidiano da cidade. Mas fui traído, não imaginei que ele seria capaz de fazer tamanha barbárie de copiar e colar os textos de quem ele deveria ter admiração e respeito. Ele fez o plágio da forma mais descarada e cruel. Eduardo, venho aqui deixar o Jornal de Vinhedo inteiramente à disposição para quaisquer esclarecimentos sobre o fato. Como já disse ao Bruno o JV tem 25 anos de história, nunca copiamos uma foto da internet, nunca utilizamos alguma informação sem citar a fonte, não compactuamos com a cópia ou com o plágio. Mais uma vez venho aqui pedir sinceras desculpas pelo desagradável ocorrido. Abaixo meus telefones de contanto qualquer dúvida ou esclarecimentos estou a disposição. Atenciosamente."

Recebi com reserva o gentil e-mail acima, digamos que por vício da profissão. E não foi à toa. Dias depois, Roberto Chalita enviou-me e-mail (já transcrito no sexto capítulo, aqui) anexando um outro, que fora enviado a ele justamente por Rafael J. Von Zuben. Dizia o seguinte, o e-mail do Rafael:

"Falei com o Bruno do Correio e só tenho o contato dele. Se quiser te passo, o dos demais não tenho. Falei o que você disse, disse também que você é um cara sério e que nunca ganhou dinheiro com isso, mas os caras estão putos."

Ficou claro, pra mim, que Rafael tinha um tom conosco e outro com Roberto Chalita - "um cara sério".

A dúvida persistia. Existe, ou não, esse Roberto Chalita? Não havia, até então, nenhum forte indício de que sim.

Mas passei a acreditar mais firmemente que sim quando li, no blog do Bruno, o comentário deixado por André Kassardjian - vejam seu perfil aqui - ao texto ROBERTO CHALITA, O PLAGIADOR, leiam aqui.

André Kassardjian, referindo-se a mim de forma pouco elegante, disse o seguinte, em defesa de seu amigo Roberto Chalita (comentário reproduzido sem as necessárias correções):

"BRUNO, não pedi explicações. E nem poderia. Caso não tenham percebido, falei para você, para esse mau educado do EDUARDO GOLDENBERG, e para esse tal de ISRAEL (do que?), que não acho legal o que o Chalita fez. Muito menos pretendo protege-lo. Só disse que as pessoas que tomaram suas dores, de forma ostensiva, com certeza, também já cometeram vseus deslises e estão sendo hipócritas. Não sou moralista, e nunca tentei fazer pose de bonzinho como esses falsos que vieram em sua merecida defesa. Quanto ao seu comentário sobre o "corretíssimo advogado" de porta de cadeia, EDUARDO GOLDEMBERG, foi muito preciso. Um advogado que não sabe nem sobre a lei básica de defeza, não deve ter passado no concurso da OAB. Pior, deve ter sido promotor de "justiça" do regime militar. Espero que essezinho do ISRAEL leia isso. Sou apenas uma pessoa honesta e normal. Digo normal porque NÃO SOU advogado. Digo honesto porque não tenho medo de colocar meu sobrenome no seu blog. Só mais uma coisa. Me senti muito mais atingido com tudo isso do que pensam. Explico! Quantas vezes comprimentei o Chalita pelas crônicas, SUPOSTAMENTE, escritas por ele. O que mais me causa estranheza é que, apesar de tudo, ele realmente foi capaz de escrever boas matérias. E quem o conhece, sabe disso. Para finalizar. Você acaba de ganhar mais um leitor, uma vez que era leitor assíduo do blog do Chalita. Se aceitar, um abraço."

Não vou tecer maiores comentários sobre essa barbaridade e nem mesmo responder a André Kassardjian, o homem que acha que sou advogado "de porta de cadeia", o homem que acha que não conheço "a lei básica de defeza" com "z" - o que vem a ser essa lei, hein?! -, o homem que acha que advogados são anormais. Quero tratar de outro assunto. Quero lhes contar sobre Roberto Chalita.

Vocês lembram bem das frases ditas por Roberto Chalita em seus e-mails, não lembram? Estão, as mais importantes para a confrontação dos dados, aqui.

Era preciso confirmar a existência de Roberto Chalita para que pudéssemos, efetivamente, eu e mais os sete outro plagiados (por enquanto), ingressar com as ações cabíveis (cível e criminal) também contra o plagiador, já que buscaremos, também, a responsabilização do JORNAL DE VINHEDO, cujos dados já possuímos.

E eu confirmei.

Cem por cento? - dirão vocês.

Isso só estando diante do plagiador.

Ocorre que os dados que possuo, e que podem ser checados por qualquer um, são impressionantes. Muito impressionantes. E eu diria, sem medo do erro, que só uma coincidência muito infeliz me faria estar equivocado. Vamos aos dados.

Roberto Luiz Chalita Mender Abi Samra, nascido em 18 de outubro de 1966 (43 anos de idade, o que coincide com o que o próprio disse em seus e-mails), nasceu na cidade de São Paulo e mora, atualmente, na cidade de Vinhedo, no bairro Jardim Panorama. É casado (preservarei o nome de sua mulher por absoluto respeito), tem uma filha pequena, e é sócio da mulher na empresa EXAME ASSESSORIA EMPRESARIAL SC LTDA., aberta no dia 08 de novembro de 1995, e que tem como atividade principal a consultoria em gestão empresarial, sendo que ele, Chalita, é o sócio-administrador - a empresa com sede em Vinhedo, também. A empresa, ao que tudo indica, está com as atividades suspensas, mas isso pouco importa.

O que é mais impactante - e já tomamos as devidas providências a fim de que possamos dar a vocês, como prometido, mais detalhes - é que eu SEI (e me importa por ora que apenas Roberto Luiz Chalita Mender Abi Samra saiba que eu sei, e sei que ele sabe o que eu sei) a razão pela qual, covardemente, o plagiador foi ríspido e grosseiro com a repórter do COMUNIQUE-SE. Medo, meus poucos mas fiéis leitores.

Medo.

Até.

P.S.: peço perdão a meus poucos mas fiéis leitores se o texto foi, digamos, mais suave do que cada um de vocês imaginou. Há coisas que são mais graves e que precisam ser devidamente checadas e confirmadas antes de virem à tona. Não é, Roberto Chalita?

33 comentários:

Mariane disse...

Aguardo ansiosa o desenrolar dos fatos! Não demore, Edu!

Eduardo Goldenberg disse...

Mari, querida: os fatos serão desenrolados na exata medida de minha possibilidade de fazê-lo. O que é mais importante, está feito. O plagiador sabe que sabemos quem ele é. E sabe, a partir de agora, que eu sei do que ele tem medo. Um beijo.

Xandão disse...

Ô Eduardo: você disse que era o último capítulo! Rsrs. E também: num intindi muito bem o que o tal do André faz nessa história. O papel dele vai se detacar mais a frente? Abraços.

Marcio H. disse...

Pelo que induzi, das entrelinhas, parece que alguém já "fez mal a alguma formiga" . Estou certo ?

P.S. deixou a 2ª Secção por fora, Edu , pô ? Não brinco mais... :O)

Eduardo Goldenberg disse...

Xandão: é o último capítulo. Se vier mais coisa será bonus track. Um abraço.

Marcio: digamos que Roberto Chalita tem o que temer. Um abraço.

Leonor Macedo disse...

Meu estômago até revirou com este capítulo! PRECISO de mais detalhes!

brunoapx disse...

Edu,
É bom.....não sei se entendi ou se era para entender (risos).
Só pergunto uma coisa: tem certeza que o nome é esse mesmo (refiro-me à grafia) e que ele existe com CPF ?

Eduardo Goldenberg disse...

Confie em mim, Bruno:

Nome da Pessoa Física:
ROBERTO LUIZ CHALITA MENDER ABI SAMRA

Situação Cadastral: REGULAR

Comprovante emitido às: 16:56:15 do dia 26/02/2010 (hora e data de Brasília)

Um abraço.

Renata Werneck disse...

Edu, por favor... quando é que saberemos TODA a história? Que agonia! Minha ansiedade enfrentou o Brasileirão do ano passado e ando fraca, não sei se passo por outras tantas... Dá um prazo, pelo menos, para sabermos de TUDO, causídico! Bjs.

Eduardo Goldenberg disse...

Renata: teremos tudo o que me for permitido revelar, é simples. Tenho advogados checando as informações que faltam. Estando tudo em ordem e havendo o sinal verde... o quanto antes! Mas repito: ele sabe que eu sei. Beijo.

brunoapx disse...

Ahhh sim....
Agora tá....é que esse "ABI" entre o Mender e o Samra faz toda a diferença (risos) e explica muita coisa.
Ehehhehe agora também fiz suspense...(risos)

Eduardo Goldenberg disse...

Certo, Bruno. "ABI" quer dizer "pai de". E o pai, Roberto Chalita, é quem me importa! Um abraço.

brunoapx disse...

É acho que entendi...
É o Chalita Representando ???? E mais não falo.
Um abraço e volto ao trabalho, antes do abençoado chopinho de sexta

Rafael Duarte disse...

Caro Eduardo, moro em Natal e acompanho seu blog há dois anos, lendo-o quase todos os dias embora nunca tenha comentado. Sou fã dos seus textos e digo, sem medo de errar já sabendo que você também o venera, que essa história toda nem Nelson Rodrigues seria capaz de escrever. Me lembrei até do livro 'A mulher que amou demais', que me parece, assim de longe, deve ser o sentimento que o tal Chalita nutre por vocês. E se você me permite, como toda boa história, vou torcer para que no final o vilão seja aquele insuportável do Gabriel Chalita. Um final mais que feliz se descobrissem que além de chato e politicamente correto, aquele mané fosse um plagiador também.

Abraço e boa sorte na empreitada, Rafael Duarte (jornalista e rubro-negro)

Mônica Machado disse...

Edu, não fosse a irritação inicial ao Felipe Quintans, o descobridor; o desrespeito a vocês, plagiados; a todos nós e a qualquer um, leitores; aliás, não fosse o tamanho do monturo que essa história é, teria dado um tremendo folhetim. Seu modo escritor é um dos mais instigantes que vejo por aqui. Saúde e fé,
Mônica.

NADJA GROSSO disse...

Estou pedindo para que tudo chegue até você com facilidade e certeza. Para que NOSSO PAI faça a Justiça para todos os SEUS AMIGOS que estão na mesma situação. Estou louca para saber quem é a figura, já imagino vou tentar descobrir jogando! Tia Nadja

NADJA GROSSO disse...

Sucesso você é um advogado iluminado. Só os despeitados te criticam

Luana Orlandi disse...

MORTA de sede por mais informações!!!

Karina Mattos disse...

Edu, estou acompanhando seu blog mais do que qualquer novela das oito! rs.
Precisando de ajuda, estamos aí.
Bjo.

Lucio Lemos disse...

Impressionante como o povo gosta mesmo de faca nos dentes, rabo de arraia e chapa nos peitos. Basta ter pau na mesa que todo mundo aparece!

Abraços!

Cazé disse...

Fico aguardando ansiosamente a "bonus track".

Claudio Renato disse...

Perfeito. Joga ele na corda. Sem pressa.

Eduardo Goldenberg disse...

Rafael Duarte: seja bem chegado. Um prazer recebê-lo aqui, você que é de Natal, terra boa demais da qual guardo intensa saudade, e que é também terra da dona Gloria, sua vizinha, mãe do Pepê, queridíssima minha. Um forte abraço.

Mônica: beijo e obrigado.

Tia Nadja: obrigado por sua força, sempre. Beijo.

Luana, Karina: obrigadíssimo.

Lucio: verdade absoluta. Impressionante, não?! Abração.

Cazé: não há nada prometido. Um abraço.

Claudio Renato: eu? Quero fazer isso não... Esse troço de condenação não é comigo. Um forte abraço.

Phermarcia disse...

Chalita é um nome bem conhecido, desde a primeira notícia aqui do blog, alguma lembrança desagradável se agitou em mim, um certo mal estar, mas ainda não localizei a pessoa...

Patricia disse...

Estou tendo contracoes de tanta curiosidade ! Fico o dia todo apertando F5 pra ver se vc escreveu mais alguma coisa sobre o caso !

Lalla disse...

Ávida pelo desenrolar.

Fabiana Alves disse...

Olá Eduardo.

Sou de Vinhedo e tomei conhecimento agora, com o seu post na comunidade deste absurdo cometido por este ser.

Lamento muito, embora te adianto, a cidade não está com muita boa fama já faz alguns anos. Em questão de caráter, muitos vinhedenses estão deixando a desejar, a começar por nosso próprio prefeito (já foi preso 3 vezes por peculato e formação de quadrilha) e muitos dos seus seguidores que cometem uma série de irregularidades por aqui sabendo da impunidade.

Fiquei curiosa com o que você mais descobriu sobre esse ser e espero que vocês processem e façam essa figura pagar caro pelo que fez e se o jornal tiver que ser responsabilizado também por sua falta de apuração, que seja, pois direitos autorais por aqui há anos não são respeitados.

insupor disse...

não precisa ser nenhum gênio para chegar à conclusão que o verdadeiro plagiador se chama André Kassardjian, não é?

Eduardo Goldenberg disse...

Fabiana: seja bem chegada. E nos ajude na divulgação dessa vergonha. Um abraço.

Fabiana Alves disse...

Olá Eduardo. Obrigada e já te adicionei.
O Chalita apagou o blog, mas ele se esqueceu que existe o chamado cache da internet e agora estou lendo os textos plagiados.

Eduardo Goldenberg disse...

Não é impressionante? Textos, fotos, idéias... tudo. É, como tenho dito, o maior caso de plágio da internet brasileira.

A verdade adormecida disse...

Olá Eduardo, sou o Raul. Foi um prazer te-lo na comunidade. Não sei o que você tem a ver com o nosso prefeito mas parece que a conterrânia¹³ aí de cima o detesta. Nem foi julgado ainda e já é criminoso. hehehe.

Bom, comentei em outro tópico "chalitenista" e nem sei qual foi já que há vários. Faço aqui meu comentário novamente.

Essa de roubar seu avô foi de morte!
Conceito chalitenista:
Nada se cria tudo se copia
Obs:Essa piadinha foi plagiada.

hehehe

sminini disse...

Infelizmente descobri que a pessoa que admirava por escrever textos tão bacanas, não passa de um plagiador. Não tenha dúvida, Roberto Chalita é o mesmo que Roberto Luis Mender Abi Samra, pois o conheci como Chalita, que na ocasião disse que era o nome de seu avô, mas já não posso garantir.

Sandra