5.3.10

DO DOSADOR

* fez um tremendo sucesso o texto no qual fiz breves digressões sobre o comportamento dos rolhas-de-poço diante de um prato de comida, aqui. Notem bem que o boa-praça Diego Moreira, nos comentários, ele que é exuberante como eu na exibição de sua fartura adiposa, tomou para si o texto, como homenagem! O que prova que o gordo é, além de invejoso, orgulhoso. Quero repetir, como ladainha, para que o troço fique bem fixado na mente de vocês que me lêem: o gordo não tem desejo, o gordo não tem vontade própria, o gordo não tem sequer inspiração diante do cardápio, que ele folheia como um evangélico à Bíblia Sagrada. O gordo tem, mesmo, é inveja - e só inveja, e apenas inveja. Quer o que o vizinho de mesa está comendo. O que vê passar na bandeja fumegante do garçom. Por fim, uma imagem: vocês já viram alguma vez um gordo achatando o próprio nariz no blindex de um restaurante a quilo qualquer? É um espetáculo entre o deprimente e o hilariante. Reparem, pois, na próxima visita a um desses circos dos horrores, a quantidade de marcas de gordura do nariz e da testa nos vidros desses estabelecimentos. É de estarrecer. Todas as marcas, rigorosamente todas, deixadas por obesos que amam, simplesmente amam, esse tipo de vitrine;

* falei em gordo, falei em comida e quero reiterar o que já lhes disse. Amanhã preparo, em casa, um pernil de cordeiro simplesmente monumental. Na segunda-feira, se assim os deuses permitirem, publico aqui a receita fartamente ilustrada. É mais uma que vai para A COZINHA DO BUTECO, no menu à direita;

* um de meus poucos mas fiéis leitores, Felipe Drumond, partiu em defesa da modorrenta Maria Gadú, aqui, e também em defesa da constipada Ana Carolina, a que quando canta dá a impressão de sofrer, agudamente, de prisão de ventre. Faz sentido. Brilhante advogado, veio aqui tentar absolver, de meu ogó imaginário, as duas cantorinhas. A primeira, inflada pela mídia vendida como bem explicou Marcelo Moutinho em seu comentário ao mesmo texto, inclusive, enlouqueceu: deu de dar patadas no aeroporto um dia desses, indo parar na delegacia. E em seu site, que dá ânsias de enjôo, teve a pachorra de criar, no menu de sua página pessoal, um item chamado DISCOGRAFIA, que é, na definição sempre precisa do Houaiss, a "lista ou descrição sistemática de discos (de um determinado intérprete, de uma coleção etc.)". A lista e a descrião sistemática de discos da Maria Gadú tem apenas um item. Um único item que foi o bastante para elevá-la à categoria de celebridade. Tsc. Quanto à constipada, tenho a lhes dizer o seguinte: vejam com seus próprios olhos a cantora que tanto agrada a Felipe Drummond gemendo (ela não canta) EU COMI A MADONA, acompanhada por um DJ fantasiado de Jason Voorhees, aqui, para delírio da patuléia. Tsc;

* tenho ido ultimamente, por força do trabalho, à Barra da Tijuca, a Barra Cada Vez Menos da Tijuca. Ô, bairro desgraçado! Indo pela zona sul, pelo Alto da Boa Vista, pela Linha Amarela, é sempre o mesmo caos. Engarrafamentos inacreditáveis que só tendem a piorar diante da absurda quantidade de empreendimentos imobiliários que pululam naquele pedaço do Rio tornam uma simples ida ao bairro da zona oeste um caos. A placa SORRIA, VOCÊ ESTÁ NA BARRA que fica numa das entradas do bairro só pode ser sacanagem;

* tenho me divertido assistindo a simpatizantes do PSOL defendendo seus candidatos nas próximas eleições. Eles dizem os nomes. Daí você pergunta:

- Quem?

E eles, com ares de intelectual, de dono de antiquário ou de colecionador de artes, dizem:

- É um excelente quadro!

Ocorreu-me, agora, que o PSOL é uma pinacoteca política: só tem quadro.

Até.

P.S.: pequeno adendo, ainda dirigido a Felipe Drumond (que eu já havia feito através de resposta a seu comentário, que acaba de ser corroborado por Marcelo Moutinho): depois das gravações de Edith Piaf e de Maysa para NE ME QUITTE PAS, todo o resto é mais-que-dispensável.

11 comentários:

CRAQUE DA GEMA!!! disse...

"Ocorreu-me, agora, que o PSOL é uma pinacoteca política: só tem quadro".

Sensacional. Quase tive uma síncope de tanto rir, sem sacanagem.

(...)

Falando em eleições, fora a presidência, tu dirás aqui no Buteco quem serão os quadros merecedores do teu voto?

Sei que é complicado, mas tenho certeza que essa é uma questão que desperta(rá) a curiosidade de muitos aqui no balcão.

Abs

R.Pian

Karina Mattos disse...

Edu,
A sociedade do espetáculo em que vivemos constantemente promove a divas, pseudo-cantoras que se estabelecem no mercado com um hit do momento...Com Maria Gadú não seria diferente, afinal, ela canta Shimbalaiê [que raios seria isso?] como ninguém!

beeijo

Vanessa Dantas disse...

"O PSOL é uma pinacoteca política". Foi a melhor do dia, da semana, quiçá do ano.

Beijo.

Israel disse...

Quem é essa tal de Maria Gadú ? Qualquer hora do dia ou da noite, que o contrôle for clicado na Globo, está lá o mulher com uma musiquinha esquisita. Conselho para os marqueteiros: Para vender para japônes: Maria Tofú. Para vender para otário: Maria Cafú. Acho que mesmo assim não emplaca.
Bom mesmo foi terça, dia 2, no Samba na Gamboa, do Diogo Nogueira na TVE. A homenagem feita a Walter Alfaiate foi perfeita. Camtaram quase todos os sambas que falam de palitó, terno, chapeu, sapato e outros acessórios. Walter Alfaiate cantou auguns sambas, dentre êles, o do Pricipe Pretinho, Só Pra Chatear. Muito bom.

Israel disse...

Foi mau. cantaram e japonês.

Diego Moreira disse...

Apesar de só fazer um pedido igual ao do casal ao lado na próxima visita ao mesmo local, não resisto a uma olhadinha nos pratos que passeiam pelo salão nas mãos dos garçons. Mas os "aquilo" - apud Boechat - não são minha preferência. Gosto mesmo é de sentar à mesa com mais dois e pedir prato pra quatro.

Beijo, meu velho.

Eduardo Goldenberg disse...

Israel: você consertou os erros bem. Mas mandou mal, se é que me faço entender.

Israel disse...

O mau também foi mal. Prometo melhorar.

FELIPE DRUMOND disse...

Meu querido Edu,
Em primeiro lugar, sempre me sinto honrado quando me cita no balcão imaginário de seu boteco, seja de maneira direta e explícita ou indiretamente, por meio de personagem de suas histórias.
Mas me permita fazer uma correção. Como eu mesmo disse em meu comentário, não sou fã nem tenho muito apreço pela música da Gadu. Apenas reconheci que ela tem técnica musical.
Meu exemplo de ne me quite pas é pura e simplesmente para que se observe que é uma cantora que não compromete e que se reveste de técnica, apesar dos eventuais exageiros de trêmolos,
A Ana Carolina, insito, é talentosa. É inegável, com bem declarou João Bosco, ainda que não se goste da música que ela faz.
No mais, minha mensagem era uma singela tentativa de não nos fecharmos pro universo amplo da música. O fato de alguns músicos serem inigualáveis não tira o mérito de outros jovens talentosos.
Agora, despeço-me etilicamente, embalado por várias taças de vinho e por "espelho", que aqui em casa toca ao fundo, na voz de João Nogueira.
Mais uma vez agradeço a sua menção, ainda que com a ligeira distorção.
Precisamos marcar um chope.
Abraços,
Felipe

CRAQUE DA GEMA!!! disse...

Numa boa, quando ouço NE ME QUITTE PAS, eu só consigo pensar na Mel Lisboa...

(Até rimou).

R.Pian

Marcelo Moutinho disse...

QUe é um ótimo pensamento, Pian!