25.3.10

DO DOSADOR

* Quero fazer uma confissão: NUNCA (com a ênfase szegeriana) - eu disse NUNCA! - pousei meus olhos (feíssimos, um deles com ptose palpebral) na tela da TV para assistir ao BBB, essa praga que a TV GLOBO, com o auxílio de Pedro Bial (que papel..., que papel...), exibe há anos. Ontem, enquanto esperava para assistir Vasco e Americano, vi um bocadinho do programa. Um dos "brothers" - é como o apresentador-tricolor chama os que ficam confinados na "casa" (tratada como entidade a ser almejada pelos milhões de imbecis que querem participar do troço) - dava, diante das câmeras, um ataque, um piti, um chilique, um faniquito que vou lhes contar: nojento. Dicesar, é o nome do sujeito - nada como o GOOGLE. Uma rápida pesquisa foi o bastante pra descobrir que o dito-cujo é o único representante gay da atual versão do programa; e que, num repetitivo papel de vítima, chamou, recentemente, um dos participantes do BBB de "nojento, grosseiro e insuportável". Agora... (eis o que enche o saco)... se alguém se refere ao protagonista do ataque histérico como... isso-deixa-para-lá..., já viram... Tsc;

* sobre o jogo... não, não, sobre o Campeonato Carioca. Com preços proibitivos, com times participantes pífios, com transmissão pela TV, a fórmula está gasta, sem graça e os jogos são soníferos. Quero crer que, pela primeira vez na vida, depois de tantos anos defendendo a realização de campeonatos regionais, torço para que tenhamos um único campeonato de futebol no Brasil. O Campeonato Brasileiro. Com um calendário decente, regulamento decente, sem virada de mesa e mais que tais. A única coisa que tem movido o torcedor (e não apenas no Rio, mas no Brasil inteiro) é o tropeço do adversário diante de um nanico;

* sensacional a sacada de Felipe Quintans. Chalitando o EGO DO BUTECO, uma das seções de maior sucesso do BUTECO, e lançando a série MODA DE BOTEQUIM em seu BOEMIA E NOSTALGIA (vejam aqui), Felipinho marca, na minha humílima opinião, um gol de placa. Além de exibir e criticar as frescuradas do mais-que-podre caderno ELA do jornal O GLOBO, encartado aos sábados e editado pela chalita Ana Cristina Reis (que, mais ousadamente que Roberto Chalita, plagiou o NEW YORK TIMES), o pequeno grande homem, ídolo em Campinas, ainda lança luzes sobre gente simples que dá ainda mais graça a esta cidade tão sacaneada pela imprensa;

* o SEGUNDO CADERNO de O GLOBO de hoje festeja Renato Russo: justificável, afinal o cara foi - para infelicidade de uma geração - ídolo à sua época. Sobre o tema, fecho com Luiz Antonio Simas: para a música brasileira, frise-se, não faz falta nenhuma. Leiam aqui;

* ainda não assisti ao DVD, mas recomendo vivamente. Fabiana Cozza é uma de minhas cantoras preferidas (tarefa sempre inglória nesse Brasil tão farto na matéria), no topo do pódio. Seu DVD está à venda aqui;

* e pra encerrar: dia desses eu lhes disse que o PSOL não é um partido político, é uma pinacoteca. Só tem quadros, quadros e mais quadros. Descobri, graças ao TWITTER, que os simpatizantes do PSOL também gostam, e muitíssimo, de um mobiliário. Além dos quadros, são fãs confessos de mesas. Um dos militantes não passa um único dia sem anunciar mesas e mais mesas espalhadas por aí. Compondo o cômodo, além de quadros e mesas, uma lata de lixo seria ideal.

Até.

10 comentários:

Branca disse...

Falando em twitter, dou "unfollow" em vc agora mesmo! Tchaaauuu!!!

Eduardo Goldenberg disse...

Branca, minha filha: você acha que sou o compositor a implorar esses troços? "Sigam-me no TWITTER, por favor..."... que patético. O que foi que aborreceu a moça, hã?! Falar do Renato Russo ou do PSOL? Ou dois dois?! Você acabou com meu dia... Tsc. Aquele abraço. Tchau.

Diego Moreira disse...

Velho, essa coisa de seguidores no twitter é tão doentia que hoje existem vários programas que aumentam automaticamente os seguidores das pessoas, de forma - é claro - absolutamente aleatória. Coisa do sujeito ganhar 50 seguidores em 2 minutos. Como se ser seguido por muitos fizesse do sujeito alguém melhor... Troço escroto mesmo.

Izabelle disse...

Putz, cara! Que Blog maravilhoso.
Compartilho o fato de nunca ter assitido um episódio do BBB (Amém!). Mas, deixa eu contar: tenho ouvido diariamente e várias vezes por dia João Nogueira e afins e estou ficando muito bem acostumada com o que é bom. Joguei no Google João Nogueira e um dos resultados linkava com http://www.samba-choro.com.br/noticias/arquivo/1624 onde tem uma postagem do Fernando José Szegeri. Li e chorei, claro! Muito, muito, muito bom. Não sei se é porque tô envolvido emocionalmente (só da minha parte, é claro!) com o João, mas foi lindo! Então joguei no Google o no me do autor Szegeri e vim parar aqui, para meu total prazer e deleite.
Precisava dizer: é disso que sinto falta, gente boa, música boa, conversa boa.. Pô, aqui em Macaé o que ainda vale a pena é curtir as quartas-feiras com o pessoal do Bico da Coruja. Samba e choro com simplicidade e da melhor qualidade.
Hummmm... Minhas visitas serão constantes. O prazer de ler um bom texto vicia! Ô vício gostoso!!! =)
Muito prazer!

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Edu, frente a esse seu belo mosaico d’hoje, vamos pedrinha por pedrinha então:

- BBB: eu havia acabado de voltar duma viagem à região aqui, liguei a tevê e acabei também vendo a “gueisteria”. Sem pena, tasquei o indicador no “Power” do remoto, e enquanto ia ao banho, deixei Adoniram na sala, cantando “Fui uma brasa”, “Bom dia tristeza” e outras daquelas tantas que só ele soube nos legar com aquela voz singularíssima.

Quanto ao jogo, desculpe a sinceridade, nasci para as letras, a música e as coisas do conhecimento, embora seja advogado por precisão; não tinha uma sarna à época pra me coçar... Futebol, só o trivial, o da copa. Porque sou um “zero” nisso... aliás, não podia gostar de tudo, né?

Felipinho: - é um pequeno Grande Mestre! Repare o olharzão dele. Deixe o tempo passar mais um pouco pr’ocê vê-lo rodeado pelas morenas da área... Lindo menino! Um caminho de luzes pr’ele, é o que peço ao Grande Vaqueiro d’Universo.

Renato Russo e Cazuza: deixaram carimbos... todavia d’esmaecíveis tintas em maior parte.

Fabiana Cozza: não a conhecia, mas youtubemente acabo de ver-lhe as qualidades. Essa sim é BBB: tem beleza, balanço e brasilidade pura! Ja´já o Brasil toma conhecimento pleno dela.

Quanto à sua blogleitora Brancaborrecida, aperte o "power" e fim!

abs

Eduardo Goldenberg disse...

Izabelle: seja bem chegada. E anote. Fernando Szegeri é o maior.

José Roberto: isso foi uma arrastada de asa pra cima do bardo tijucano ou entendi mal? Aquele abraço.

Tande Biar disse...

Acho que o ideal para os estaduais seria fazer como em Portugal e na Italia.
Os campeonatos regionais são disputados apenas por clubes pequenos e valem como divisões de acesso do nacional.
Aí meu São Cri-Cri ia subindo devagarinho até chegar na Primeirona!!

Casé disse...

Edu,

O ingresso ontem em São Januário custou R$ 10,00.
Concordo plenamente com você. O preço dos ingressos estão caríssimos para assistir um time tão escroto.

Abraços,

M.M. disse...

E o uniforme , Edu ? Gostou ?

Renata Werneck disse...

ADORO a Fabiana Cozza! Tem dia que cismo e escuto os CDs dela horas a fio. Bjs.