13.3.10

VARANDÃO SONORO DOS SÁBADOS

Abro o varandão sonoro de hoje deixando com vocês uma gravação da qual gosto muitíssimo (e que me comove pra burro). Gravada na segunda metade dos anos 50, trata-se de VERMELHO VINTE E SETE, de Herivelto Martins e David Nasser, na voz inesquecível de Nélson Gonçalves. Um tango belíssimo, é dedicado por mim (afinal o varandão é meu!) à minha cunhada, Lina, que quando vai para o salão com meu irmão, Fefê, arrasa. E dedicado, também, à Nora, sua irmã.

Até.

3 comentários:

Bruno Ribeiro disse...

A gravação se torna ainda mais comovente quando sabemos que Nelson Gonçalves e Herivelto Martins não se bicavam e, quando se viam, só faltavam sair no braço. Nelson demorou muito tempo a relevar as diferenças pessoais. Acabou gravando Vermelho Vinte e Sete porque não tinha como não gravar. Era a cara dele.

Nelson Borges disse...

Boa dica Edu,
Também adoro o Nelson, e esta gravação em particular é maravilhosa.

Sabe, tem algumas canções que eu acho que ninguém deveria morrer antes de ouví-las; Vermelho Vinte e Sete é com certeza uma dessas.

bçs

Claudio Renato disse...

Perfeito, emocionante. A alma do tango, no desespero do jogo, que não me deixa esquecer do poema de Jorge Luis Borges.

"Só os mortos vivem no tango"