21.5.10

SEXTA-FEIRA EM O GLOBO

Hoje é sexta-feira e sexta-feira vocês que me lêem sabem: é dia de debate político promovido pelo PSOL no Buraco do Lume seguido de almoço à moda Santa Ceia na rua do Rosário, quando se reúnem, em comprida mesa retangular, quadros e mais quadros do partido mais patético da paróquia. É dia, também, da revista RIOSHOW, de O GLOBO, sair encartada no jornalão. Eu, um obsessivo confesso, passo a vista no jornal todas as manhãs. E hoje, nesta sexta-feira, tomei um susto atrás do outro (pra ser mais preciso, tive seguidas ânsias de vômito) lendo o lixo digital na grande rede (não gasto meu dinheiro comprando o calhamaço nas bancas e nem me rendo aos insistentes telefonemas que me oferecem assinatura do cocô impresso a preços imbatíveis). Vamos a eles.

O jornalão, prosseguindo sua campanha em prol de Luiz Zveiter, pelo terceiro dia seguido, dá destaque (e dessa vez com chamada na capa) a uma investigação do CNJ sobre o caso de e-mails falsos que teriam sido disparados de dentro do TJRJ em nome de um jornalista de O GLOBO supostamente a pedido de um desembargador que é, notoriamente, adversário de Luiz Zveiter. Notem bem... o escarcéu armado pelo jornal diz respeito a uma investigação (vou repetir: investigação). A anulação de um concurso promovido pelo TJRJ por força de decisão do mesmo CNJ, que verificou absurdo favorecimento a duas candidatas intimamente ligadas a Luiz Zveiter, não mereceu o mesmo tratamento por parte dos covardes que dirigem o jornal mais escroto do Rio de Janeiro. Aliás, não mereceu NADA (com a ênfase szegeriana), nem notinha de rodapé. Modestamente, com a intenção de espalhar o troço, indico novamente o texto onde a nojeira toda vem à tona, aqui.

capa do jornal O GLOBO de 21 de maio de 2010

Outra evidência da nojeira praticada diuturnamente pelo jornalão. A coluneta GENTE BOA, comandada por Joaquim Ferreira dos Santos, dá, hoje, uma sacaneada numa cozinheira tailandesa, chamada Popy. Segundo a inacreditável coluna (pior a cada dia), a tal cozinheira está abrindo um restaurante e inaugurando "a primeira operação de comida casual thai" e "o conceito de comida na panela". Onde o deboche? Vejam abaixo.

nota publicada no SEGUNDO CADERNO de O GLOBO de 21 de maio de 2010

O jornalista (saudade de Fausto Wolff...) diz que "haverá gente para explicar do que se trata a ´operação´ e o ´conceito´". Isso causa estranheza ao colunista. Quando a mais-querida da imprensa meia-boca exalta a "food experience", quando ela nos relata que legumes, verduras, frutas e carnes de todo gênero pulam, dançam, cantam e rodopiam em sua cozinha... há o silêncio. Chega a ser constrangedora a postura dessa gente. Mas há mais, há mais! E tirem as crianças da sala.

A revista RIOSHOW tem uma seção chamada PROGRAMA FURADO, através da qual leitores (geralmente chatos, insuportavelmente chatos) escrevem para reclamar de tudo: da comida que lhes foi servida, do restaurante, do cinema, do teatro, de tudo, de tudo! Hoje, sinceramente, deu-se o inacreditável. Vejam aí.

carta publicada na revista RIOSHOW de O GLOBO de 21 de maio de 2010

Antes, porém, leiam Luiz Antonio Simas, aqui. Leram? Então vamos comentar a cartinha publicada na revista, hoje.

O sujeito escreve para dizer que:

01) foi a uma boate gay;

02) foi assediado por uma cliente bêbada que se esfregava nele e se jogava em sua direção;

03) exaltou-se com o assédio da mulher (como quem afasta, com nojo, uma barata voadora, posso imaginar) e pediu a ela que não mais se aproximasse ou tocasse nele;

04) levou uma gravata dos seguranças da casa, foi imobilizado (aí ele deve ter se amarrado, quero crer), arrastado (será que gritou " isso, me bate!, me bate!"?????) e expulso da casa.

Sinceramente?

O mundo está por um fio.

Até.

3 comentários:

Luiz Antonio Simas disse...

Mano velho, não seja otimista. Por um fio? O mundo já foi...

AOS QUARENTA A MIL disse...

Do concurso: Quando minha menina aos dezoito anos passou para um simples cargo administrativo da prefeitura de Niterói, era ano de eleição. Meu marido outro obsessivo, fazia com que a pequena ligasse diariamente para o RH da prefeitura dizendo: - Filha ano de eleições a prefeitura poderá alegar que te convocou e não te encontrou! Provavelmente darão seu lugar para algum sujeito que trabalhou na campanha, ou para alguma peguete, ou irmão , ou sei lá... E assim fizemos, torturamos a velinha do RH até a convocação.

Pensando pelo lado do concursado que se preparou, investiu horas de sua vida e ainda é obrigado a enfrentar um longo processo para provar o óbvio (se tratando das provas anexadas) , é de doer o coração. Sem contar a decepção com um órgão que se supõe, lida com justiça e lisura. O pai da Juju tinha total razão, se a justiça é assim, imagina a prefeitura que por si só já é uma zona.

Organizações O Globo: Sempre foi assim, sempre se comportou desta forma, omissa quando lhe interessa e escandalosa quando lhe interessa. Manipuladora e parcial, seus jornalistas chegam a ser patéticos, quando defendem assuntos recomendados pela emissora. No esforço de convencer até o “mais distraído” telespectador ou leitor, se comportam como atores de Malhação, em face de péssima interpretação, fazendo caras e bocas de indignação. Assim vejo o William Bonner e Fátima Bernardes, por exemplo, o Tarcisio e Glória do telejornalismo. Canastrões!!!!

Bar Gay: A Bicha é GINECOFÓBICA, não tem nenhum artigo que possa ser enquadrada ??????

Perdoe-me o comentário longo, mas tem coisa que engasga de um jeito, que nem com a mais gelada das originais , desce!

Forte abraço!

NADJA GROSSO disse...

Edu, fazem muitos anos que o Globo manipula o nosso BRASIL. Hoje com a minha idade e lendo seu blogger volto a lembrar do meus pais de minha tia Lita e o que diziam a respeito da TV globo.
Por um fio já esta a muitos anos com esta cupula de jornalistas safados o fio breve muito breve quebra. Saudades