16.6.10

DO DOSADOR

* Vivi, ontem, um dia típico de Copa do Mundo em dia de Brasil. Às 4h da manhã levantei depois de sonhar, a noite toda, com o jogo contra a Coréia do Norte. Fui à cozinha, preparei a moela, fui à feira comprar camarões para meus convidados (Luiz Antonio Simas e sua Candinha), fui ao Centro comprar pão, assisti ao primeiro tempo de Portugal e Costa do Marfim na companhia do Santos, encontrei-me com o Simas no BAR DO MARRECO (onde vimos o segundo tempo) e tomei o rumo de casa com cerveja gelada e mais que tais. Às 15h30min, nossa estréia na Copa do Mundo de 2010;

* achei péssimo para o Brasil o empate entre portugueses e marfinenses. Há quem tenha comemorado. Eu, um contumaz poltrão, acho que foi pior pra nós. O grupo fica, com os resultados de ontem, rigorosamente aberto para o infito sem a polarização que duas vitórias estabeleceriam e vamos ao meu raciocínio. Creio que Portugal e Costa do Marfim vão vencer a fraquíssima Coréia do Norte. Estou apostando numa Costa do Marfim, contra o Brasil, fechadíssima (acreditando que venceremos com sufoco). E num jogo franco e aberto contra Portugal. Resumo da oporeta: tensão absoluta, sabe-se lá se decidindo vagas pelo saldo de gols. Nosso saldo de ontem, 1 golzinho só, não ajuda;

* vamos à análise da atuação dos jogadores, um a um. Infelizmente a previsão de que a seleção brasileira seria modorrenta e sem inspiração confirmou-se. O goleiro Júlio César pouco ou nada fez, assim como nada pôde fazer no instante do gol que sofreu no final do jogo. Juan foi patético no primeiro tempo e menos mal (nada mais que isso) na etapa final. O zagueiro Lúcio foi outro que, como o goleiro, não teve trabalho na zaga. Atuação apagadíssima. Michel Bastos, isso deixa para lá. Sinto nojo só de escrever seu nome. Maicon, adulado de forma significativa pelo narrador da TV GLOBO, eleito pela FIFA o melhor em campo, fez um gol-jabulani e foi raçudo, que é o mínimo que se espera de quem veste a amarelinha. Foi pouco à frente, muito provavelmente atendendo ordens do general de casaca (que casaca a do Dunga, hein?!). Felipe Melo, uma arma de destruição em massa na opinião de Aldir Blanc, fez o de sempre: faltas, faltas, faltas e falta (de criatividade, como de hábito). Foi substituído por Ramires, que não conseguiu repetir a atuação que teve no último amistoso antes da estréia, e que me deu esperança de vê-lo ganhar a vaga. Levou um cartão amarelo besta. Gilberto Silva foi outro que não fez NADA (com a ênfase szegeriana) de produtivo. E conseguiu ser pior que o horroroso Felipe Melo: nem faltas fazia, deixando avenidas abertas para os norte-coreanos (inabilidosíssimos, graças aos deuses). Nem o segundo gol do Brasil, de autoria de Elano (em magistral passe de Robinho), foi capaz de redimir o meia inteiramente medíocre. Sacado logo depois do gol, deu lugar a Daniel Alves que, isso também deixa para lá. Kaká foi outro que esteve muito aquém do esperado (se bem que, com a recente contusão, tenha nos deixado esperando muito pouco...). Errou demais e não teve sequer sombra de qualquer rompante genial. Saiu para a entrada de Nilmar que, mesmo com pouco tempo de atuação, fez mais que Luis Fabiano nos 90 minutos (esse também deixa para lá, que sua atuação foi bisonha). Robinho, que deve estar sentindo aguda saudade de seus companheiros da Vila Belmiro, fez por ele e fez por Kaká. Foi bem, na minha humílima opinião, ainda mais se levarmos em conta sua companhia durante todo o jogo. Seu passe para o segundo gol foi fabuloso, fabuloso. Como fabulosa foi, diga-se, a chulapada dada pelo mediano Elano;

* fomos obrigados a assitir o jogo na TV GLOBO. Tentamos a BAND, mas ouvimos, alguns segundos antes, a explosão da vizinhança na hora do gol de Maicon. Esses delays são impressionantes;

* Flamengo, rapidamente. Nojenta, como de hábito, a postura do goleiro Bruno diante de Zico, na Gávea. Vai tarde, o fanfarrão. Torço, agudamente, para a concretização de sua venda;

* hoje começa a segunda rodada dessa primeira fase. África do Sul e Uruguai entram em campo às 15h30min. Começará, assim, a ser melhor desenhado o painel das oitavas-de-final;

* e pra terminar: triste, muito triste, a cobertura da Copa do Mundo. Encontrei um Luiz Antonio Simas desolado com o caderno de esportes d´O GLOBO nas mãos, ontem à tarde. Adnet, Mazzeo, gente sem NENHUMA (com a ênfase szegeriana) autoridade ou intimidade com o assunto escrevendo sobre a Copa do Mundo. E hoje pela manhã, no jornal matinal da TV GLOBO, matérias patéticas que revoltam o pobre-torcedor: repórteres entrevistaram a mãe do Lúcio e a mãe do Júlio César, aquela em casa e esta, coitada, no Maracanã, debaixo do gol. As perguntas? "A senhora ficou nervosa?", "O que a senhora acha do tamanho do gol?" e outras babaquices inacreditáveis. Depois? Léo Jaime comentou o jogo de dentro do estúdio. Um lixo absoluto. Juntamente com o CALA BOCA GALVAO, top do top no TWITTER, deveria vir o CALA BOCA GLOBO;

* e vamos em frente. Domingo enfrentaremos a Costa do Marfim e o jogo de ontem deixou essa certeza: vem pedreira por aí.

Até.

7 comentários:

Paulo Rogerio disse...

Edu!!!! Concordo em quase tudo na análise do time ontem...apenas não concordo com os elogios ao Felipe Melo!!! Ele é pior do que vc. descreve !! Podiamos emprestar alguns jogadores para outras seleções... pra ver se o negócio melhora.

Bruno Ribeiro disse...

Inacreditável mesmo foi a postura do Dunga. Entrar com três volantes (para mim, Elano não passa de um volante avançado) contra a Coreia do Norte era previsível. Mantê-los na volta do intervalo foi de uma burrice atroz.

Você pegou leve com Kaká. Vi uma declaração do mesmo, após a partida, dizendo-se satisfeito com o próprio desempenho. Afirmou, com todas as letras, que não está em condições de jogo, mas que espera melhorar no decorrer da Copa. É, no mínimo, suicida manter entre os titulares um jogador bichado, que não corre, não divide bola, não se apresenta e, ainda por cima, erra todos os passes. Ninguém pode jogar com o nome em um torneio tão curto como a Copa do Mundo. A experiência com Zico, em 86, deveria ter servido de lição. E vamos repetir o mesmo erro ao apostar em Kaká. A ausência de Paulo Henrique Ganso começou a ser sentida antes do que eu esperava.

Concordo que o empate entre Costa do Marfim e Portugal foi péssimo para nós. Se os dois vencerem a Coreia (o que deverá acontecer), não podemos sonhar em empatar os próximos jogos (algo perfeitamente factível diante das circunstâncias atuais). Empatando, estamos fora.

Uma vez classificados (o que deverá acontecer na última rodada, diante de Portugal), corremos o risco de pegar a Espanha nas oitavas, já que a Fúria acaba de perder para a chatíssima Suíça e terá de brigar pela segunda vaga (a primeira, provavelmente, ficará com os suíços: basta que empatem com o Chile e vençam Honduras).

Não há a menor condição de enfrentar o time espanhol enquanto tivermos um meio de campo lento e sem criatividade como o atual. Se Dunga não agir rapidamente, testando Júlio Baptista (Deus, que remédio?!?) no lugar de Kaká, e Daniel Alves no lugar de Felipe Melo ou Gilberto Silva, podemos preparar as malas. As mudanças devem ser feitas já contra a Costa do Marfim. Ou não haverá tempo para nada.

Vale como curiosidade: ontem, minutos antes do jogo, mandei um torpedo para o Szegeri (que se mostrou surpreso ao descobrir que Michel Bastos era negro!), pedindo seu palpite para o jogo. Ele foi o único, dentre nós, que cravou na lata: "2 x 1 para nós, no sufoco". Seria prudente consultá-lo nas próximas rodadas.

Suicide-se disse...

Edu,
Quando o Robinho pegou a primeira bola na ponta, no comecinho do jogo, "pedalou" e encanetou o norte coreano, vi logo que nosso adversário não teria a mínima condição de nos encarar, mesmo jogando o que jogamos. Mais estou com vvc quanto a análise do proximo jogo, acho que a Costa do Marfim vai buscar o empate, e se conseguir, vai decidir com a Coréia do Norte. Se nós sedermos esse empate domingo, a chapa vai esquentar, pois decidiremos a vaga com os portugueses... Domingo é a primeira decisão!

Eduardo Goldenberg disse...

Bruno: há apenas um equívoco em seu comentário. O Szegeri deve sempre ser consultado sobre todo e qualquer assunto. Sua autoridade é - digo isso aqui há anos - impressionante e imprescindível. Beijo.

Eduardo Goldenberg disse...

Suicide-se (que nome, hein?!): espero que o Brasil vá com sede pra cima do próximo adversário a fim de não ceder o empate. Um abraço.

Eugenia disse...

Até algumas crianças q conheço já estão desanimadas nesta Copa.

Claudio Renato disse...

Tô preocupado com meu bolão! Apostei que a seleção dé ódio do Dunga cairia nas quartas-de-final. Se vier a Espanha, cairá antes...