17.6.10

O ANTI-BRASILEIRO, O ANTI-CARIOCA

A grande rede veio, mesmo, para revolucionar o sistema de forças que domina o mundo. As redes sociais (e como já falamos delas aqui...), os blogs, os sites que disponibilizam vídeos feitos por qualquer um, são peças de um mecanismo que não perdoa a ninguém e que está aí, ao alcance de todos, pronto para, por exemplo, arrancar as máscaras de gente que mantém no pescoço um número de caras aptas a lhes servir conforme a conveniência da situação. Li, ainda há pouco, no TWITTER, Ed Motta fazendo patético apelo a seus seguidores para que todos espalhassem suas justificativas para a veiculação da entrevista recentemente publicada pela revista CONTIGO. Fui ler o tal apelo. A entrevista, na qual Ed Motta escorraça o brasileiro, o Brasil, o carioca, o Rio de Janeiro, o índio, o samba de enredo, na íntegra, está aqui. E o que dizia, no apelo, o sujeito? Leiam:

"A revista CONTIGO veio na minha casa fazer uma matéria e em vários momentos a jornalista dizia que o gravador estava desligado. Eu, imbecil completo, por estar na minha casa, estava relaxado falando um monte de bobagens, toda equipe dava risada etc. Gravador ligado? Não. Desligado em vários momentos. Conclusão: foi publicada, numa boa, a pior matéria que já fizeram comigo, má-fé total, várias afirmações em tom de piada que, escritas, passam uma imagem como se eu fosse um nazista. Isso é que dá perder tempo com uma revista de 10ª categoria como a CONTIGO. Sacanagem das brabas."

Dá pra ter pena de um cara desses que, em 2006, deu entrevista para a revista ISTO É dizendo isso?

"Para ficar perfeito, o chá tem de ser preparado com água mineral. Preferencialmente com spring water, ou água de montanha. A nossa água de Petrópolis também é boa." Quando lhe dizem que a sua nova mania sai caro, ele concorda. E esnoba: "Não é para o povão, mas eu não consumo nada do povão. Felizmente! A não ser que seja o povão da Itália, o povão da França."

Eu, que recentemente publiquei COLETA DE PROVAS (aqui) para dar cores fortes de coerência à defesa de tudo que faço aqui com franciscana paciência, fiquei feliz com esse troço todo.

Não é por acaso que está sendo marcado o "0800 no Astor", não é por acaso que Cora Rónai o incensa em sua coluna de hoje...

Agora: que justificativa teria o anti-brasileiro, o anti-carioca para ceder ao convite e conceder entrevista para uma revista dessa "categoria"? Patético, não?

Até.

14 comentários:

Claudio Yida Jr disse...

Porra, mano, que memória boa tem essa repórter da Contigo. Fazer uma matéria deste tamanho só com o gravador desligado não é pra qualquer um...

Bruno Chagas disse...

Cliquei no link e li a matéria. Nojo absoluto.

Claire disse...

"Carioca não lê. Também não vê filme e não ouve música. É só praia e sexo. A vida aqui é uma coisa indígena."

Edu, querido

De todas as besteiras que Ed Motta falou na entrevista a qual vc se refere, essa declaração eu considero especialmente grave. Revela, sobretudo - mais do que todas as babaquices que ele tem em mente - o preconceito dele contra o povo indígena.

Note que ele é daqueles que acham a cultura indígena inferior, acham índio preguiçoso, indolente por natureza; como deve achar que índio é burro porque, para eles, os objetos não têm valor de troca, e sim, de uso, enfim...coisas desse nível.

Ou seja, tudo isso revela que Ed Motta, coitado - tão incensado pelo público "cult", intelectual - é, na verdade, um pobre homem ignorante.

Claudio Renato disse...

Ed Motta envergonha a memória de Tim Maia.

caíque disse...

bola fora do gordinho.
não é bemvindo em niterói

Juliano disse...

Não sei o que esse babaca continua fazendo no Brasil. Que vá embora, não faz a mínima falta.
Abraço.

Mafuá do HPA disse...

caro Eduardo
Bom mesmo era o TIM MAIA, que certa feita desferiu que "nesse país prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita".

Sobre Ed Motta, completaria a frase com "a cria, um pseudo intérprete, se acha maior que o criador".

Tim é passarinho, Ed passará... (parafraseando Mario Quintana).

Henrique Perazzi de Aquino (www.mafuadohpa.blogspot.com)

Rodrigo disse...

Edu,
Não consegui ler a "entrevista" até o final.
"...Em São Paulo está todo mundo ricão, com gelzão no cabelo..."
É de foder!

Flávia disse...

"Devo ter milhares de defeitos, desvios de caráter, resquício dessa formação."

O primeiro passo ele já deu, que é o de admitir tais coisas...
O que me intriga, é o fato de um indivíduo como esse que fala mal de onde nasceu e mora, não ir para onde ele acha que é melhor. Custo de vida alto na Europa, querido Ed? Tá aí a prova de que você não é muito diferente de quem critica não. Manter nível de vida alto em país subdesenvolvido é fácil. Onde a riqueza se acumula em algumas poucas mãos que não merecem. O cúmulo é que nem talento ele tem para ao menos falarmos "pelo menos o cara é talentoso, né? Vamos relevar." Abraços, gostei do seu blog.

Luiz Antonio Simas disse...

Ed Motta é o anti-Diego Moreira, apesar de ser o menecma dele.Tenho medo de agredirem meu camarada Diego achando que ele é o rastaqüera do Ed.

Beijo

Diego Moreira disse...

Tremendo elogio a mim, Simão! Eu daqui vou evitando a barba e fechando a boca pra diminuir um pouquinho a semelhança e evitar a porrda alheia imerecida.

Beijo.

Eduardo Goldenberg disse...

Obrigado, Flávia, volte sempre. Um abraço!

Simão: é isso! Sensacional sua observação. E salve o gordo da Tijuca que não renega sua raiz. Beijo nos dois.

Eugenia disse...

Edu,

tem uma entrevista q ele deu uma vez (acho q mais antiga q a da Istoé... ele repete as babaquices...)

nessa entrevista ele dizia q:
- não se sentia brasileiro
- não gostava d nada q brasileiro gostava
- não gostava de feijoada
- não bebia cerveja nacional

tinha outras coisas tb.

fiquei tão chateada...

Rodrigo G5 disse...

O cara é um mega-frustrado que deve ter fugido da escola porque não aguentava a pilha da rapaziada e, é claro porque não pegava ninguém. Devia se sentir excluído e passou a viajar na onda de que não curte este mundo. O mundo é que não vaio com sua cara, seu bundão!