12.7.10

DO DOSADOR

* Eis que temos a campeã da Copa do Mundo de 2010. A Espanha, sapateando sobre sua fama de fúria-broxa, venceu a Holanda por uma a zero - o mais largo placar por ela alcançado na competição - com um gol no final da prorrogação e levou a taça pra casa. Merecidamente, diga-se. A Holanda foi, o tempo todo, a seleção mais adepta da catimba, do cai-cai, do vitimismo covarde;

* assisti à partida - e vejam que gloriosa notícia! - no RIO-BRASÍLIA, fechado abruptamente no segundo semestre de 2008 (vejam aqui as últimas fotos tiradas lá). Ocorre que o Jorge, um morador da área, órfão como eu desde o fechamento do fabuloso buteco, comprou o ponto do Joaquim (que ainda mantém, ao lado, a lanchonete que inaugurou logo após o fechamento do portento) e ergueu as portas de aço na sexta-feira à noite. Pois pra lá nos dirigimos, ontem, eu, Betinha, Claudinha, Flavinho, Henrique Blom, Leo Boechat, Luiz Antonio Simas e Vidal. Pela manhã, depois da feira, recebi na Tijuca, orgulhosamente, Marcos Bressan e membros da malta palestrina. BAR DO CHICO, COLUMBINHA e depois RIO-BRASÍLIA, onde unimo-nos todos. O Jorge - desde ontem chamado de Moisés por ter devolvido, ao povo, a terra prometida - começou bem: a cerveja estupidamente gelada, pastéis sensacionais e caldinhos (ontem, de ervilha e de abóbora) incríveis. A conta? Inacreditáveis R$ 58,00. Já volto ao jogo;

* realizou-se, no sábado, na Mansão dos Zampronha, o III Rali, dessa vez de frutos do mar, coroado com uma paella valenciana que trouxe, na véspera, o sabor da vitória espanhola. O medo de preparar, pela primeira vez, uma paella, esvaneceu-se diante do êxito que foi o troço;

* ao lado do RIO-BRASÍLIA, na pacata Almirante Gavião, há uma enorme casa de pedra onde reside a família Quintans, da qual faz parte o Felipinho, na Europa desde a manhã de sábado. E lá estava - falei com ele pela manhã - seu tio, o Celestino, mais conhecido como Espanhol. Pois no instante do gol da Espanha o que se viu - e se ouviu - foi, agudamente, um ato de ópera. As mulheres (as primas, as tias, novas e velhas) davam gritos, urros, e o alarido foi impressionante. Havia na casa um único homem (vivo, diga-se), justamente o Espanhol. Lá estava o Manolo (eu vi), e ouvi também, depois do apito final, Montserrat Caballé cantando MIO BABBINO CARO, gargalhando estridentemente acompanhada pelo rufar dos sapatos das espanholas enlouquecidas. Fui ao portão e eis o que vi: as tias batiam as cabeças, em compasso, na parede. Gritavam e choravam alto. Uma das primas do Felipe me viu e abriu-me a porta. Exibiu-me, como um troféu, um banquinho de madeira maciça rachado e com os pés quebrados. Fora o Espanhol, em fúria no instante do gol. Tocou o telefone e era, justamente, o Felipinho. Em prantos, o pequeno espanhol, falou com as tias, com as primas, com o Espanhol, comigo e com Leo Boechat que, contaminado pelo furacão espanhol, gritava - incompreensivelmente - para espanto da espanholada:

- A casa caiu, Felipinho! Tô aqui, tô aqui, tô aqui!

O Espanhol, que já havia detonado uma garrafa de Rioja pela manhã, que bebeu caipirinha durante todo o jogo, ainda foi ao RIO-BRASÍLIA pra brindar conosco.

Até.

4 comentários:

Tande Biar disse...

Edu, boa notícia essa do Rio-Brasília! Há duas semanas atrás passei na esquina da Almte.Gavião com Satamini e fiquei pensando no bar. Como podia acabar assim sem um justo motivo? Salve Jorge "Moisés"!!

caique disse...

hahaha! Edu, faço idéia do volume da comemoração! Aqui em Itaipú, Niquíti, a farra no Clube Espanhol perto da minha casa também foi braba! Primeiro título mundial dos caras... aliás, merecidíssimo sobre os holandeses que apresentaram-se de coturno a distribuir porrada. Resultado: perderam!
Boa notícia a dobar. Eu já havia perguntado a você há bastante tempo onde ficava, mas então... fechou! Bom parece que eu vou ter outra chance de conhecer o Rio Brasília.
Abração de Niterói.
Caíque.

Bezerra disse...

Grande surpresa, Edu, saber do retorno do Rio-Brasília! Vida longa ao buteco!

Forte abraço!

Felipinho disse...

Que beleza de Dosador. Estou louco pra voltar. Europa e bonito mas nai da pra mim. Quero a TIJUCA, que falta me faz este lugar.