27.8.10

A "CORAGEM" DE CORA RÓNAI

ESTE TEXTO AGORA PODE SER LIDO AQUI.

14 comentários:

Carlos Andreazza disse...

Edu, aqui você faz grande jornalismo. Este post é absolutamente sensacional. Como acredito em tudo quanto vai escrito no relato e nada tenho a acrescentar às tuas intervenções, gostaria apenas de ressaltar a elegância deste contraventor a propósito de uma amiga:

"Ela tem cara de cavalo, parece homem, mas é mulher e uma querida. Isso não aconteceu."

Que tal o naipe?

Eduardo Goldenberg disse...

Sem comentários, Andreazza. Obrigado pelo imerecido elogio. Não sou jornalista, não sei e nem pretendo, franca e sinceramente, fazer jornalismo. Pretendi aqui, apenas, fazer ver que Cora Rónai, quando diz preferir acreditar na promoter Liége Monteiro está visivelmente mentindo. Ela foi, sim, coagida a retirar a denúncia do ar. E quis fazer ver, também, a podridão que ronda as tais "celebridades". E é bacana ver que Gloria Perez freqüenta há anos o camarote do Jayder Soares, que é queridinho do Boni, que é patrão da Suzana Vieira, que é matrona da GRANDE RIO, que é a escola queridinha dos "artistas", que a Cora Rónai é a "porta-voz" do Moacyr Luz, que tem na Roberta Sudbrack uma "fada", que cozinha pro Ed Motta, que pede 0800 pro Moacyr Luz... sacou? São as tais cores da coerência. Abraço.

leo boechat disse...

A frase "cada vez mais down no high society" resume tudo.

Concordo com o Andreazza: a descrição da amiga com cara de cavalo é bem "sutil" e merece destaque.

Paulo Rogerio disse...

é.. meu amigo... estive sumido porque acompanho o seu blog pelo "Google Reader".. mas não resisti e deixou meu comentário!

Pau na canalha !!!!

Juliano disse...

Isso tudo é muito nojento. E a Grande Rio não é escola de samba.
Abraço

Fabiano Moraes disse...

Parabéns pelas denúncias. Precisamos de gente corajosa e sem rabo preso assim.

Eugenia disse...

Gente, que podre, que podre... Tudo podre. A atitude grosseira do Jayder, a declaração do cabelereiro (isso q é amiga dele...imagine se não fosse), a submissão dos jornalistas...

p.s. Edu, não é só a Época que te acompanha. O Te Dou um Dado também...risos. Link abaixo

http://entretenimento.r7.com/blogs/te-dou-um-dado/

julia disse...

a podridão do submundo das celebridades (?) já é um antigo cnhecido de quem frequenta a zona sul da cidade do Rio de Janeiro. E até me permito dizer que essa tal podridão não acontece só no meio artístico. Existem muitos casos famosos de atletas (?), dos mais variados esportes, que compartilham dessa nojeira.
Para mim, não é novidade e nem me surpreende mais tais acontecimentos.
Porém, um único fato me deixou apavorada: Uma jornalista, reconhecida por seu trabalho de anos a frente de uma publicação da qualidade que é, FOI CENSURADA POR UM BANDIDO. Não sejamos hipócritas em dizer que o Brasil é um país democrático e blábláblá. Todos sabemos que existe censura descarada por parte do governo e por partes de veículos de comunicação. Mas censura vinda de um contraventor, eu nunca tinha visto.
Para onde este país está caminhando????

Luiz Antonio Simas disse...

Assino o texto e o comentário do Andreazza. Grande momento do buteco.

Carlos Emerson Jr. disse...

Edu, vou concordar com todos os demais comentaristas - amiga com cara de cavalo ? E ainda bem que é amiga do indivíduo...

Infelizmente, a sociedade carioca foi, literalmente, para o brejo!

Um abraço

Diego Moreira disse...

Se a caralha do traveco tivesse mamado o tal do Jayder lá em Caxias, não dava essa merda toda. Mas... Foi no Leblon! Foi no Leblon!

Tudo lamentável...

Excelente postagem, velho. Coerência acima de tudo.

Abraço!

Roney Belhassof disse...

Olha, havia mais pessoas na Guanabara além da jornalista amiga da Cora... Eu não estava lá, mas conheço alguém que disse estar e ter visto tudo... Não sei se a pessoa mentiria, acho que não...
Só sei que, se um suposto contraventor é capaz de controlar a mídia o que dirá das mega-corporações que tem bilhões de dólares investidos em transgênicos por exemplo...
Felizmente temos blogueiros prontos a fazer bom jornalismo.
Descobri seu blog hoje e vou passar aqui de vez em quando!

Mr. brBlues disse...

Sou carioca, vivo em São Paulo tem mais de vinte anos e a cena descrita pela jornalista catarinense me deixou chocado, sem chão, porque acredito ser inteiramente real e verídica.
E por saber da podridão de uma alta classe média carioca que se "diverte" jogando ovos em transeuntes na rua. São todos psicopatas, sob o manto acobertador do dinheiro e fama. Se indignam com facilidade quando o governo Lula promove a distribuição de um pouquinho da renda nacional, certamente um escândalo para quem sempre preferiu ver qualquer pessoa do povo na mais abjeta pobreza.
São essas conexões ilícitas que estão jogando o continente na mão do poder do narcotráfico, no México, na Colômbia e até mesmo no Brasil, a despeito da luta das forças populares, em parte representadas no atual governo. É isso o que gostaria de registrar.

AOS QUARENTA A MIL disse...

Olha rapaz, o cabra se aproveitou do imbróglio para vingar-se da amiga com a cara de cavalo.

Hoje a Grande Rio é a Padre Miguel de outrora no auge da fanfarronice nos camarotes da escola, com estouro de champanhe Francês e lagostas para convidados VIPS e Globais.

Lembro de uma frase infeliz da primeira Dama de Bangu (a do Castor , não a Beth Andrade) em entrevista a uma repórter da Globo, exibindo sua taça de cristal com o melhor champanhe, empolgada soltou a peróla: - Este carnaval é do povo , foi feito para o povo !!! Como a imprensa pegou no pé dizendo que o povo que fazia o carnaval não usufruía daquela parte da festa, no ano seguinte montaram uma mesa na concentração da escola com lagostas e champanhe para o “povo do carnaval” , kkkk patético!!!!! A rapaziada da bateria tirou uma onda na festinha e só, pois a exploração e a safadeza continuaram.

Já naquela época, Boni vinha a frente da escola ou no final dela fazendo o papel de diretor ou de sei lá o que , todo serelepe e pimpão demonstrando com muito orgulho os laços íntimos e sólidos das empresas Globo com a contravenção e outros “bichos” mais.

Com a derrocada e posterior morte do patrocinador da querida Mocidade , eles inventaram esse lixo que é a Grande Rio para fazer festinha particular no carnaval, nada a ver com as nossas escolas.

A única diferença é que pelo menos no “quesito” “querer aparecer” o Castor era menos escroto , boquete em público na Pizzaria Guanabara é meio brabo de acreditar , mas vindo de um grupo formado por Jayder Soares e a mulher do Adriano protagonista de tantos escândalos na imprensa mundial, não é de se admirar.
Esse tipo de gente é que está impregnada no carnaval a anos e não tem pesticida suficiente que consiga exterminá-los.
É Andreazza, não é mole não!