18.10.10

PARA TODOS

Voltei de um brevíssimo e merecido descanso de quatro dias no final da tarde de ontem. Eu e minha menina descíamos ainda a Linha Vermelha em direção à Tijuca quando começou a tocar, no rádio, PARATODOS, de Chico Buarque. Sabe-se lá por qual razão - vá tentar entender as razões que a própria razão desconhece... - olhamo-nos de olhos marejados. Vai daí que a conversa descambou pro Brasil, pro Brasil de hoje, um Brasil mais para todos que nunca.

Lembramos do debate que haveria à noite, lembramos do encontro de hoje à noite no Teatro Casa Grande liderado pelo mesmo Chico em torno da candidatura de Dilma Rousseff.

Falamos sobre a campanha sórdida de José Serra, abraçada pela mais abjeta categoria de seres humanos, capitaneada pelas mais atrasadas lideranças do Brasil. Uma campanha que, como toda campanha, pede uma oposição. Uma oposição com fulcro em idéias, em ações, não em ódio, em preconceito, em constante tentativa de desqualificação da oponente - como a que estamos assistindo, e aqui me recordo dessa pobre mulher, Maristela Bairros, - vejam aqui - que gasta o tempo de que dispõe para agredir, da forma mais suja, a candidata Dilma Rousseff, o presidente Lula, o governador eleito do estado em que reside, Tarso Genro, num espetáculo deprimente que me causa náusea, nojo e vergonha.

Fiquei pensando se essa gente, se o próprio José Serra, teria capacidade de ser sensível ao apelo que faz o maiúsculo Chico Buarque nessa (mais uma) obra-prima do cancioneiro popular. Não. Não teriam. Absolutamente não teriam. Porque têm o coração revestido de ódio, de preconceito, de uma mesquinharia rasteira que não tem nada a ver com o Brasil que queremos todos. Por isso o acerto de Dilma Rousseff, ontem, quando disse: "Em 2002 a esperança venceu o medo, em 2010 a esperança há de vencer o ódio".

Pois tenhamos nós essa sensibilidade, nós que reconhecemos nos 8 anos de governo Lula a grande alavancada em direção a um futuro ainda mais justo e igualitário. Estejamos todos hoje, juntos, de corpo e de alma, no encontro do Teatro Casa Grande, no Leblon, às 20h30min, com Dilma Rousseff. E que nós possamos sair de lá com a alma leve, com o coração cheio de esperança, certos de que nossa participação efetiva nessa reta final da campanha é fundamental para o êxito maior, no dia 31 de outubro, elegendo a primeira mulher presidente do Brasil. Chama, Tom Jobim, o homem que soprou a toada pro Chico, que a cobriu de redondilhas. Tenhamos em mente que contra fel, moléstia e crime, nós temos Dorival Caymmi e Jackson do Pandeiro. Chama! Vamos nos armar contra essa vilania fumando Ary Barroso, cheirando Vinícius de Moraes, bebendo Nelson Cavaquinho! Chama! Chama! Chama! Armemo-nos contra os corações mesquinhos.





Evoé! É Dilma Rousseff à vista!

2 comentários:

AOS QUARENTA A MIL disse...

Fiquei muito emocionada ao ver tanta gente que admiro presente neste encontro.

Tive um momento de desânimo tão grande , quando vi que alguns concordavam com essa campanha vampiresca do Serra e cheguei a pensar , seria eu tão alienada e ignorante que não consigo de forma alguma, enxergar com estes olhos que alguns enxergam??? Infelizmente não pude ir, pois estou com uma fratura grave no tornozelo que me impede de locomover de São Gonçalo para Zona Sul, por isso hoje de manhã ao ver tanta gente que gosto ali se posicionando a favor da Dilma chorei emocionada, mas tive a certeza que valeu a pena ,entre outras coisas , ligar para todos os meus amigos onde trabalho e confirmar o voto, defender na internet todo o tipo de sandice plantada pelos marqueteiros do Serra e até me desentender com alguns.

Bravo Dilma !!!!!

Israel disse...

QUENTINHA DO VOX POPULI: DILMA 51, serra 39. FALTA POUCO. MAIS TEXTOS EDU.