9.11.10

ALDIR BLANC ENCERRA IMBRÓGLIO COM GUARABYRA

Quem me lê sabe: em 13 de outubro de 2010 escrevi o texto EM NOME DA VERDADE (aqui) explicando o imbróglio envolvendo a declaração de voto de Aldir Blanc publicada em primeira mão aqui no BUTECO e uma resposta a essa declaração dada pelo compositor Guarabyra no blog do jornalista (?!) Augusto Nunes, da VEJA. Ontem, às 19h43min, o GLOBO ON LINE publicou a resposta de Aldir Blanc - encerrando a questão - abaixo transcrita e que pode ser lida também aqui:

"Logo após o primeiro turno das eleições que apontou para um segundo turno, entre Dilma Rousseff e José Serra, o compositor Aldir Blanc fez uma declaração de apoio à candidata do PT. Pouco depois, uma contestação às opiniões de Aldir - feita pelo também compositor Guttenberg Guarabira e citando nominalmente o autor de "O bêbado e a equilibrista" - foi divulgada no blog do jornalista Augusto Nunes, na Veja On Line. A resposta de Aldir está neste artigo.

Que papelão, Margarida!

Por Aldir Blanc

O ex-amigo Guttenberg Guarabyra me esculhambou no site de um semanário pelo simples direito de declarar meu apoio a uma candidatura. Depois mandou um e-mail para meu advogado. Nele, disse que gosta muito de mim, e que não sabia como sua mensagem particular se tornara pública. Deixa eu ver se entendi: Guarabyra só ofende as pessoas de quem supostamente gosta em particular, não em público? É isso? No meio das sandices, me chama de covarde.

Trabalhamos anos e anos nas lutas autorais, sob o comando incansável e divertidíssimo do melhor de nós, Hermínio Bello de Carvalho. Guarabyra sabe que eu não sou covarde, mas, quando fui processado recentemente, pedi a ele uma declaração. Ele respondeu: claro, evidente, sem a menor dúvida... Na semana seguinte, quando telefonei atrás do papel, roeu a corda e disse que não mais o daria, "a conselho do advogado". Deixo aos leitores o julgamento de quem é covarde.

Numa pergunta de rara estupidez, Guarabyra me interroga: "Quem é você para falar de torturados e mortos?". Ô trouxa, eu cuidei, como médico, de dezenas deles: torturados, familiares de torturados, parentes que tiveram seus entes queridos entregues em caixão lacrado no velório pelos esbirros da ditadura. Os raros que burlaram as ordens de não abrir o caixão, encontraram os corpos mutilados e retorcidos, jogados como animais lá dentro. Mais uma: o jornalista Hugo Sukman nega categoricamente a versão atual de Guarabyra sobre a ordem dos entrevistados na matéria que gerou o processo contra mim. E agora? Você é covarde e mentiroso, ou está só confuso?

Esclareço que encerro aqui minha participação nessa idiotice, mas deixo uma sugestão: enfia a Margarida na bagagem e passa uns tempos em Bom Jesus da Lapa. Você era mais claro quando veio de lá. Até nunca mais."

Até. 

3 comentários:

Mafuá do HPA disse...

Adoro as respostas do Aldir. Essa mais ainda. Nem precisa deizer que tô com ele e não abro. Trajetória por trajetória, sem comparação. Guarabira se meteu num mato sem cachorro. Cagão e agora, sem o amigo de anos.

Henrique Perazzi de Aquino - Bauru SP (www.mafuadohpa.blogspot.com)

Claudia disse...

Tive a curiosidade de ler o blog desse augusto nunes. O conteúdo é aquela vejice de sempre. Mas ele abre os comentários e os responde. Quem concorda com ele é tratado por "amigo"; quem discorda é chamado de "miliciano", "animal" e ameaçado de processo.

Nelson Fiod disse...

http://www.youtube.com/user/dfrangiotti#p/u/1/DtNdvEKFJTY

Porra sensacional o Partido-Alto no samba do anhanguera!!!!
Que versos!!!!
Muito bom!!