30.12.10

FINAL DE ANO

Eis que chegamos ao final do ano de 2010. Para mim 2010 terá a marca da saudade deixada por minha avó, que foi oló há poucas semanas, nesse dezembro que termina amanhã. Terá, também, a marca da batalha que travamos em prol da eleição da primeira mulher presidente do Brasil e a marca do último dos oito anos de governo do primeiro operário presidente do Brasil, revolucionário por conta da inversão que siginificou a impressão de suas medidas. Passamos a pensar grande, deixamos de lado a visão elitista e acadêmica que nos regeu durante séculos e a despedida desse homem, no dia primeiro de janeiro, vai ser emocionante demais, fazendo com que 2011 comece sob a égide também da saudade e da esperança.

Mas o que quero lhes trazer hoje, nesse último texto de 2010, depois desse hiato gerado pela correria do final do ano - meu último texto foi publicado no dia 17 de dezembro - é uma homenagem com cara de cartão postal dirigido a todos vocês, meus poucos mas fiéis leitores, que me lêem. 


2010 não foi, como não tem sido a vida, um ano tranqüilo. A situação que enfrento intramuros é capaz de estabelecer um permanente desafio que - é como penso - exige de mim a exata medida entre o medo e a esperança, entre a angústia e o ânimo, entre o ateísmo e a fé, entre o branco e o preto, entre o fogo e a tempestade, entre a baunilha e o sal. Mais que nunca, e tem sido assim a cada dia que passo, valho-me da lição de um de meus mestres e a cada tristeza ergo o meu copo ao humor - essa é a grandeza que o samba me ensinou.

Muita gente foi (e é) fundamental para que esse enfrentamento aconteça de forma a não me desestabilizar. E ainda que eu siga permanentemente em estado de visível desequilíbrio, como a esperança que dança na corda bamba de sombrinha, acordo diariamente disposto a assistir, sorrindo, o show continuar de mãos dadas com a esperança-equilibrista.

Mas a homenagem que presto hoje vai pra Marcela, minha amada Manguaça, que aparece na foto que ilustra este texto acarinhando meu vira-latas. Ninguém mais foi mais a expressão do carinho do que ela. Não me faltou, nunca, seu abraço, seu cafuné, seus dedos me enxugando o choro, seu colo e seu ombro paciente e doce. Filha de uma moça igualmente imprescindível, filha de um moço que talvez já tenha conhecido minha avó de mais perto, irmã de um sujeito que não nega o berço - ele também um poço de afeto -, a Manguaça recebe, daqui, minha mais profunda declaração pública de gratidão por tudo que é, por tudo que representa, por tudo que faz.

Desejo a vocês, que me lêem, um ano-manguaça. Se no ano-novo todos vocês tiverem que seja dez por cento do que essa moça representou pra mim nesse 2010, o ano de 2011 será um ano fabuloso. E não me ocorre palavra melhor e mais adequada do que "fabuloso". Porque é isso que ela é: quase que um troço de fábula, indizível, concretização dos melhores desejos em termos de gente.

A todos, muita saúde. Muita disposição para os enfrentamentos que a vida exige. Muito ânimo, muita paz, muito amor, muito axé.

Até 2011!      

11 comentários:

Mariane disse...

Feliz Ano Novo Edu...tudo de melhor pra ti, obrigada pela companhia e carinho sempre. Diga à Dani, a bela Sorriso Maracanã, que mando um grande beijo e grandes felicitações tbm!
Beijo enorme.

marcelo disse...

Tudo de bom para vocës todos ai da grande Tijuca.

abs.
Marcelo Vendramel

Giovana Damaceno disse...

Saudade da Tijuca, de uma outra Tijuca que conheci, ao lado de alguém que não verei mais nesta vida. Bom é ter ao meu lado alguém como sua Manguaça, para que eu não morra desta saudade tão doída. Adorei seu blog, seus textos. Feliz Ano Novo!

Cazé disse...

Feliz 2011 pra vocês aí também e obrigado por mais um ano de (ótimos) textos e polémicas!
Do seu leitor assíduo aqui de VR.

Rodrigo disse...

Tudo de BOM p/ vocês!

Eugenia disse...

Edu, que o ano de 2011 seja para vc e Dani um ano muito doce... Doce como a batida de maracujá q vc levou aquele dia no samba em Niterói. Olha, esse blog nos faz muito, muito felizes! Q vcs recebam tudo isso em dobro! Beijos!

Cláudio Nunes Horácio disse...

Obrigado Edu, a você um ano novo abençoado e cheinho de realizações. Paz e bem.

Bruno Ribeiro disse...

Beijo, irmão querido. Estarei, ainda que à distância, sempre à postos e ao teu lado.

Alfredo disse...

Um 2011 de paz e saúde.
Abraço do manauara.

Catarina Cunha disse...

Um ano novo cheio de gente, luz e letras para você.
Abraços,

jb disse...

feliz ano todo pra todos nós!

puta abraço, edu!